Norfloxacino: usos e efeitos colaterais

16 Abril, 2020
Devido à sua potente atividade bactericida, o norfloxacino combate germes resistentes a outros medicamentos. Em quais casos ele é usado? Quais são os seus efeitos colaterais? Saiba mais a seguir.

O norfloxacino é um antibiótico que pertence ao grupo quinolona. Possui ação bactericida de amplo espectro contra micro-organismos patogênicos aeróbios gram-positivos e gram-negativos.

Este antibiótico inibe a síntese bacteriana do ácido desoxirribonucleico. Devido à sua potente atividade bactericida, é eficaz contra micro-organismos resistentes.

Para que o norfloxacino é indicado?

O norfloxacino pertence ao grupo farmacoterapêutico de antissépticos e anti-infecciosos urináriosÉ utilizado no tratamento de infecções do trato urinário, dentre as quais podemos citar:

  • Cistite: inflamação aguda complicada da bexiga.
  • Infecções recorrentes crônicas do trato urinário.
  • Cistopielite: inflamação da bexiga e da pelve renal.

O ideal é fazer uma cultura para analisar a sensibilidade do micro-organismo que causa a infecção ao tratamento.

Infecção urinária
O norfloxacino é um medicamento recomendado em caso de infecções do trato urinário.

Como devo tomar o norfloxacino?

Antes de mais nada, cabe mencionar que este medicamento deve ser tomado de barriga vazia, ou seja, uma hora antes ou duas horas após as refeições. O padrão dependerá do resultado do exame e da gravidade do quadro.

Para adultos com infecção do trato urinário, a dose é de um comprimido a cada 12 horas, durante 7 a 10 dias. No entanto, se for uma cistite aguda não complicada, a duração do tratamento é reduzida para 3 a 7 dias.

Nos casos de infecções crônicas recorrentes, o tratamento pode ser prolongado por até 12 semanas. No entanto, se um bom resultado for alcançado em 4 semanas, a dose pode ser reduzida para uma vez por dia.

Leia também: Cistite depois de ter relações sexuais: por quê?

Reações adversas do norfloxacino

As reações adversas mais comuns são as gastrointestinais, psíquicas e cutâneas. No entanto, náusea, dor de cabeça, tontura, azia, dor e diarreia podem ocorrer.

Outros efeitos colaterais menos frequentes podem aparecer e se tornar graves, duradouros e, em alguns casos, irreversíveis. Eles podem afetar o organismo em diferentes níveis e sistemas, dando origem a diferentes tipos de distúrbios e reações.

Reações de hipersensibilidade e distúrbios gastrointestinais

Eles incluem:

  • Anafilaxia
  • Angioedema
  • Falta de ar
  • Vasculite
  • Urticária
  • Artrite
  • Mialgia e artralgia

Por outro lado, os distúrbios gastrointestinais incluem colite pseudomembranosa, e raramente pancreatite, hepatite e icterícia.

Mulher tomando norfloxacino
O norfloxacino pode causar efeitos colaterais como dor de estômago, dor de cabeça e diarreia. No entanto, em alguns casos, provoca outras reações que exigem um maior cuidado.

Pele e tecido subcutâneo

Os casos de reações de fotossensibilidade apareceram em pacientes tratados com norfloxacino que foram expostos ao sol por um longo período de tempo.

Caso esses sintomas apareçam, você deve interromper o tratamento. Além disso, evite a exposição direta ao sol para prevenir possíveis riscos de fotossensibilidade. Também podem ocorrer outras reações, como:

  • Dermatite esfoliativa
  • Eritema multiforme
  • Vasculite
  • Necrólise epidérmica tóxica
  • Síndrome de Stevens-Johnson

Voce também pode se interessar: Medicamentos antiespasmódicos e anticolinérgicos

Tecido musculoesquelético e conjuntivo

A tendinite e ruptura de tendão podem ocorrer, principalmente no tendão de Aquiles. A ruptura pode ocorrer bilateralmente.

Nas primeiras 48 horas do início do tratamento com quinolonas e fluoroquinolonas, ocorreram casos desse tipo de distúrbio. Alguns foram notificados até vários meses após a interrupção do tratamento.

O risco de tendinite e ruptura de tendão pode ser maior em pacientes com:

  • Idade avançada
  • Pacientes que receberam transplantes de órgãos
  • Insuficiência renal
  • Pacientes tratados simultaneamente com corticosteroides

Diante do primeiro sinal de tendinite, como dor ou inflamação, o tratamento com norfloxacino deve ser interrompido. Por outro lado, devemos cuidar do membro afetado da maneira correta para favorecer uma recuperação adequada.

Mulher com dor no ombro
Diante do primeiro sinal de tendinite, é essencial suspender o consumo de norfloxacino.

Neuropatia periférica

Foram relatados casos de polineuropatia sensorial ou sensório-motora. Esta condição pode levar à parestesia, hipoestesia, disestesia ou fraqueza.

Os pacientes sob tratamento com norfloxacino devem informar ao médico se apresentarem sintomas de neuropatia. Esses sintomas incluem formigamento, queimação, dor, dormência ou fraqueza. Desta forma, é possível impedir o desenvolvimento de condições potencialmente irreversíveis.

Coração

Em algumas ocasiões, os medicamentos do grupo quinolona foram associados ao prolongamento do intervalo QT nos eletrocardiogramas. No entanto, de forma mais isolada, têm sido associados a casos de arritmias.

Por esse motivo, é preciso ter cautela com pacientes com hipocalemia e bradicardia significativa. Da mesma forma, deve-se ter cuidado com pacientes que estão sendo tratados com antiarrítmicos classe I ou III.

Conclusão sobre o norfloxacino

De acordo com a AEMPS (Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde), as quinolonas ou fluoroquinolonas devem ser usadas no tratamento de infecções leves ou moderadamente graves. Ou seja, quando outros antibióticos não são eficazes ou o paciente não é tolerante.

Pergunte ao seu médico ou farmacêutico qualquer dúvida que você tenha sobre o tratamento com este medicamento. Dessa forma, você evitará o desenvolvimento de complicações.

  • Cué Brugueras, M., Morejón García, M., & Salup Díaz, R. (2005). Actualidad de las quinolonas. Revista Cubana de Farmacia.
  • Rocha, L. C. de A. (1988). Norfloxacino em infecçöes urinárias recidivantes TT  – Norfloxacin in recidivant urinary infections. Rev Bras Med.
  • Ye, Z., Wang, L., & Wen, J. (2015). A simple and sensitive method for determination of Norfloxacin in pharmaceutical preparations. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. https://doi.org/10.1590/S1984-82502015000200020