Nível ideal de colesterol: quando devemos nos preocupar?

5 de dezembro de 2018
Para evitar os riscos de um nível elevado de colesterol, devemos levar alguns fatores em consideração. Neste artigo falamos sobre como atingir o patamar ideal.

Para o funcionamento correto do organismo, é necessária uma substância lipídica natural como o colesterol. Ele é sintetizado principalmente no fígado e também pode ser obtido através da ingestão de alguns alimentos. O colesterol se encontra em todas as células do corpo. É importante ter um nível ideal de colesterol para que o organismo possa cumprir todas as suas funções.

Funções do nível ideal de colesterol

Colesterol

  • Participar da gênese dos ácidos biliares, que são vitais para a digestão ou a assimilação de gorduras.
  • Produzir vitamina D por meio da exposição à luz solar. Esta vitamina é um fator protetor da pele contra substâncias químicas irritantes e, assim, evita a desidratação. É essencial para o metabolismo do cálcio, o que contribui para a boa saúde óssea.
  • É um precursor de hormônios como o cortisol, os hormônios da tireoide e os sexuais.

O colesterol representa um fator importante na determinação do risco de doença cardiovascular . A formação da placa aterosclerótica, pelos depósitos desta molécula, pode ser encontrada nas paredes arteriais se transformando em aterosclerose.

Tipos de colesterol

Homem observando lâmpadas com alimentos

O colesterol é transportado pelo sangue – do fígado ou do intestinopara o resto dos tecidos que precisam dele. Esta ação é realizada através de moléculas chamadas lipoproteínas. Existem dois tipos de proteínas lipídicas:

  • Baixa densidade (LDL): transportam o novo colesterol dos locais de produção para o resto das células do corpo.
  • Uma alta densidade (HDL): é responsável pelo transporte reverso de colesterol, isto é, das células para o fígado. Desta forma, é usado em um novo ciclo – é armazenado ou excretado – através da bile.

De acordo com o exposto acima, existem duas variantes de colesterol:

  • Colesterol ruim: é o colesterol que se une ao LDL, é depositado nas paredes arteriais por meio da formação de uma placa. Neste caso, você deve reduzir os parâmetros indicativos.
  • Bom colesterol: é esse colesterol que, ao se unir às lipoproteínas HDL, transporta o excedente de colesterol para os locais de produção.

Por que o colesterol é considerado um fator de risco?

Seus níveis elevados levam à hipercolesterolemia. Portanto, é importante manter um nível ideal de colesterol. Verificou-se que pessoas com níveis sanguíneos de colesterol de 240 mg/dl aumentam o risco de infarto. Ao contrário dos que apresentam valores de 200 mg/dl.

Os níveis de colesterol podem exceder a capacidade de HDL para retornar ao fígado. Se as células do corpo não absorvem essas moléculas em excesso, ocorre o armazenamento. Isso acontece nas paredes arteriais, acelerando o processo aterosclerótico. O estreitamento das artérias ocorre pouco a pouco, e se desenvolve a aterosclerose.

Para os pacientes que já tiveram um infarto do miocárdio ou estão em risco de AVC, recomenda-se que eles mantenham o nível de colesterol baixo. É muito importante ter artérias limpas.

Nível ideal de colesterol e suas variações

Nivel de colesterol

Colesterol total

  • Normal: menos de 200 mg / dl
  • Normal-alto: 200 – 240 mg / dl
  • Alto: mais de 240 mg / dl

Falamos de hipercolesterolemia quando os níveis de colesterol total são superiores a 200 mg / dl.

Colesterol LDL

  • Normal: menos de 100 mg / dl
  • Normal-alto: 100-160 mg / dl
  • Alto: mais de 160 mg / dl

Existem casos em que o nível desejável de LDL pode ser inferior a 70 mg / dl.

Colesterol HDL

  • Normal: maior que 35 mg / dl em homens e 40 mg / dl em mulheres

Triglicerídeos

  • Normal: menos de 150 mg / dl
  • Normal-alto: 100 – 500 mg / dl
  • Alto: mais de 500 mg / dl

Há hipertrigliceridemia quando os níveis de triglicerídeos são superiores a 150-200 mg / dl.

Quando é preciso fazer exames para medir o colesterol?

Exame de sangue para medir colesterol

Em geral, a realização desses exames deve ser feita antes dos 35 anos de idade, no caso dos homens, e dos 45 anos no caso das mulheres. Recomenda-se a realização desses testes antes destas idades se você tiver: diabetes, doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais, hipertensão arterial, histórico familiar dessas doenças.

Os exames de acompanhamento devem ser realizados nessas situações particulares:

  • Se os valores forem normais, repita a cada cinco anos.
  • No caso de pessoas com diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares ou acidentes vasculares cerebrais, a revisão deverá ser mais frequente.
  • O controle deve ser feito todos os anos se o paciente ingerir medicamentos que ajudem a controlar os níveis de colesterol no sangue.
  • Barter, P., Gotto, A. M., LaRosa, J. C., Maroni, J., Szarek, M., Grundy, S. M., … Fruchart, J.-C. (2007). HDL Cholesterol, Very Low Levels of LDL Cholesterol, and Cardiovascular Events. New England Journal of Medicine. https://doi.org/10.1056/NEJMoa064278
  • Hafiane, A., & Genest, J. (2013). HDL, atherosclerosis, and emerging therapies. Cholesterol. https://doi.org/10.1155/2013/891403
  • Lawes, C. M. M., Hoorn, S. Vander, Law, M. R., & Rodgers, A. (2004). High cholesterol. In Comparitive Quantification of Health Risks. https://doi.org/10.1007/s11356-012-1164-x
  • Khera, A. V., Cuchel, M., de la Llera-Moya, M., Rodrigues, A., Burke, M. F., Jafri, K., … Rader, D. J. (2011). Cholesterol Efflux Capacity, High-Density Lipoprotein Function, and Atherosclerosis. New England Journal of Medicine. https://doi.org/10.1056/NEJMoa1001689
  • Berry, J. D., Dyer, A., Cai, X., Garside, D. B., Ning, H., Thomas, A., … Lloyd-Jones, D. M. (2012). Lifetime Risks of Cardiovascular Disease. New England Journal of Medicine. https://doi.org/10.1056/NEJMoa1012848