4 mitos sobre o ibuprofeno

20 Fevereiro, 2020
Os mitos sobre o ibuprofeno, em grande parte, vêm da confusão gerada entre esse medicamento e o paracetamol. Descubra neste artigo 4 mitos comuns e qual é a verdade por trás deles.
 

O ibuprofeno é um dos medicamentos mais vendidos em vários países e está ao alcance de todos. A dose mais baixa desse medicamento pode ser adquirida em qualquer farmácia sem receita médica. Por ser um medicamento tão difundido, surgiram alguns mitos sobre o ibuprofeno que precisam ser esclarecidos.

Embora alguns medicamentos sejam vendidos sem receita na farmácia e uma prescrição médica não seja necessária, isso não significa que eles não tenham recomendações específicas de uso. O uso indevido de qualquer medicamento pode levar a sérios problemas de saúde.

Portanto, para o ibuprofeno ou para qualquer outro medicamento de venda livre, precisamos nos informar sobre possíveis efeitos colaterais. Sendo assim, vamos analisar os mitos mais comuns sobre o ibuprofeno.

O que é o ibuprofeno?

O ibuprofeno é um medicamento que pertence à família de analgésicos não esteroides. É utilizado, acima de tudo, para o tratamento da dor, dos processos inflamatórios e para reverter condições febris.

Apesar de ser um medicamento tão utilizado e com um bom perfil de segurança, não está isento de provocar uma série de efeitos adversos. Entre eles, podemos citar:

  • Problemas gástricos, como úlcera duodenal
  • Reações alérgicas
  • Problemas cardiovasculares

Por esse motivo, é essencial fazer um uso racional, tanto deste medicamento quanto de todos, embora possam ser obtidos livremente na farmácia. Devemos sempre nos informar sobre as indicações e contraindicações de cada remédio.

 
Composição do ibuprofeno

Principais mitos sobre o ibuprofeno

1. Tanto faz tomar paracetamol ou ibuprofeno

A ideia de que o ibuprofeno tem o mesmo efeito no organismo que o paracetamol é um dos mitos mais difundidos sobre esse fármaco na população. No entanto, isso não é verdade.

Por um lado, o paracetamol não tem efeitos anti-inflamatórios, e o ibuprofeno tem; portanto, quando temos uma dor associada a uma inflamação, o segundo é o mais indicado, não o primeiro.

Um exemplo são as dores menstruais, que ocorrem pela inflamação nos ovários. Para tratá-las, o ibuprofeno será mais eficaz.

O paracetamol é mais eficaz no tratamento de sintomas febris, embora ambos apresentem efeitos antipiréticos.

Leia também: Paracetamol: indicações, contraindicações e efeitos colaterais

2. Tomar ibuprofeno antes de ingerir bebidas alcoólicas evita a ressaca

É muito comum que os jovens espalhem diversos mitos para combater a ressaca quando saem para se divertir. Entre esses mitos está aquele que diz que tomar ibuprofeno antes de uma festa evita a ressaca do dia seguinte associada ao excesso de bebidas alcoólicas.

A verdade é que esta afirmação é completamente falsa. Além disso, se você tomar um ibuprofeno e ingerir bebidas alcoólicas, além de não impedir a ressaca, pode agravá-la.

 

A razão para isto é que ambos são metabolizados no fígado, dando o dobro de trabalho ao mesmo órgão. Isso pode aumentar as concentrações de álcool no sangue, o que aumentaria seus efeitos no organismo.

Amigos brindando

3. O ibuprofeno pode causar dependência

É comum relacionar o uso de analgésicos e anti-inflamatórios leves com analgésicos mais complexos, como os opioides. Entre os primeiros, família à qual o ibuprofeno pertence, não há perigo de dependência ou tolerância.

Em outras palavras, o uso de ibuprofeno em tratamentos de curta duração e com uma prescrição adequada não causará ao paciente uma necessidade impulsiva de continuar tomando o remédio.

Por outro lado, é verdade que, às vezes, ele pode causar uma sensação de tolerância ou a redução de seus efeitos. No entanto, a razão para isso é a intensidade da dor sofrida anteriormente, e não a ineficácia do medicamento.

Descubra: Por que um médico prescreve opioides?

4. O uso de ibuprofeno pode causar problemas no fígado

Entre os mitos sobre o ibuprofeno estão os possíveis efeitos colaterais hepáticos que este medicamento pode provocar. É muito comum confundi-lo com o paracetamol, que realmente pode vir a causar danos no fígado.

 

A verdade é que o ibuprofeno não danifica o fígado, mas afeta o estômago e pode causar úlceras. Por outro lado, o próprio paracetamol é hepatotóxico, ou seja, tóxico para o fígado.

Conclusão a respeito dos mitos sobre o ibuprofeno

Como podemos ver, existem várias crenças e mitos falsos sobre o ibuprofeno que são comuns na população. Embora alguns profissionais defendam a automedicação com esse fármaco, recomendamos que você sempre se informe sobre seu uso correto com o seu médico.

  • Espallargas Vargas, I., & Rodríguez De La Serna, A. (2004). Ibuprofeno. DOLOR. https://doi.org/10.2165/00128415-201214270-00079
  • Bejarano, P. F. (2016). Ibuprofeno y analgesia. Ibuprofeno y Analgesia.
  • Carabaño Aguado, I., Jiménez López, I., López-Cerón Pinilla, M., Calvo García, I., Pello Lázaro, A. M., Balugo Bengoechea, P., … Ruiz Contreras, J. (2005). Eficacia de ibuprofeno y paracetamol como antitérmicos. Anales de Pediatria. https://doi.org/10.1157/13071307