Minoxidil: tratamento contra alopecia e perda de cabelo

3 de setembro de 2019
O minoxidil, como todos os medicamentos, pode desencadear uma série de reações adversas no organismo. Entre os efeitos colaterais relatados com mais frequência encontramos os que afetam a pele. 

O minoxidil é uma droga geralmente usada para estimular o crescimento do cabelo e frear a perda de cabelo.

Inicialmente, o minoxidil era um medicamento administrado por via oral para o tratamento da hipertensão arterial, devido ao seu efeito vasodilatador. Em alguns dos pacientes tratados com esta droga, a aparição de pelos foi observada como um efeito indesejado.

Por causa disso, foi passado para a fórmula tópica enriquecida na forma de solução hidroalcoólica para aplicação local, em casos de alopecia. Assim, foi aprovado como um dos fármacos eficazes para o tratamento da alopecia androgenética, ou seja, a calvície comum.

Minoxidil, como usar este medicamento? 

Homem com alopecia

Este medicamento pode ser usado em homens e mulheres em casos de alopecia e perda de cabelo. Como diretriz geral, 5% é geralmente recomendado para homens e 3 ou 4% para mulheres, a fim de evitar o aparecimento de pelos faciais.

Além disso, também pode ser usado em concentrações de 2%. Nestes casos, requer duas aplicações por dia. A dose recomendada é de 2 ml por dia, isto é, cerca de 10 ou 12 pulverizações.

Além das diferentes concentrações que estamos mencionando, o minoxidil também está no mercado em diferentes apresentações, e sob o nome de várias marcas registradas.

A apresentação farmacêutica mais comumente usada é a loção. Além disso, vale a pena notar uma nova apresentação que está ganhando fama ao longo do tempo: o minoxidil em espuma.

Por que a alopecia ocorre? 

A alopecia é comumente conhecida como perda de densidade capilar. É um problema médico muito comum. Dados estatísticos indicam que afeta mais de 50% dos homens e 30% das mulheres ao longo da vida.

É uma doença que pode afetar muito a qualidade de vida dos pacientes que sofrem com isso. Por esta razão, não deve ser considerada como uma patologia puramente estética. Deve receber uma importância médica adequada para evitar que o paciente sofra distúrbios psicológicos associados.

Hoje, mais de 100 tipos de alopecia são conhecidos. O mais comum é, como mencionamos anteriormente, a alopecia androgenética. Sua causa está nas alterações hormonais. No entanto, além da alteração hormonal, existem outras causas que podem influenciar a queda de cabelo:

  • A dieta
  • O estresse físico ou emocional.
  • Anemia ou falta de ferro.
  • Doenças imunes
  • Alterações na tireoide.
  • Alguns medicamentos.

Como existem muitas causas que podem estar provocando a alopecia, é importante fazer um bom diagnóstico médico. Desta forma, um tratamento mais apropriado pode ser indicado para cada caso.

Leia também: Combata a queda de cabelo com este tratamento de aloe vera e leite de coco

Sintomas da alopecia 

Homem com queda de cabelo

O sintoma mais característico da alopecia é a perda de densidade capilar. Às vezes, o paciente percebe um aumento na perda de cabelo. No entanto, nem sempre que o cabelo caia em demasia, significa que a pessoa sofre dessa patologia.

A perda de densidade geralmente começa nas entradas e na coroa nos homens, e na área da linha do cabelo nas mulheres. Além disso, alguns tipos de alopecia podem ocorrer com coceira, e até mesmo dor no couro cabeludo.

Como podemos prevenir a alopecia? 

Os hábitos de vida saudáveis, como não fumar, ter uma dieta saudável e evitar a exposição excessiva ao sol, podem favorecer a manutenção da saúde capilar adequada e produzir uma melhora na estética capilar.

No entanto, nenhum tratamento médico eficaz que previna a alopecia é conhecido. Por isso, a medida mais útil para melhorar o prognóstico do cabelo é fazer um diagnóstico adequado e tratamento precoce, como o minoxidil, uma vez que a alopecia apareça.

Descubra ademais: Seu cabelo tem pontas duplas e quebradiças? Repare-as com estes 5 tratamentos caseiros

Efeitos adversos do minoxidil no corpo 

Mulher sofrendo alopecia

O minoxidil, como todos os medicamentos, pode desencadear uma série de reações adversas no organismo. Entre os efeitos colaterais mais frequentemente relatados, encontramos os que afetam a pele. Entre eles podemos mencionar:

  • Prurido
  • Dermatite
  • Secura
  • Irritação da pele
  • Eczema
  • Hipertricose

Normalmente, estas reações adversas do minoxidil são de caráter leve a moderado e, após a descontinuação do tratamento, são curadas. Estes efeitos adversos podem depender da dose da medicação que foi administrada, bem como da forma de administração.

É importante mencionar, que a incidência de reações adversas e os dados estatísticos obtidos foram calculados a partir dos dados de 1932 pacientes que receberam tratamento com minoxidil 50 mg/ml, bem como dos dados obtidos após a sua comercialização.

Conclusão 

Em conclusão, o minoxidil é um medicamento útil para o tratamento da alopecia. Tire todas as dúvidas com o seu médico, e siga bem as orientações de administração.

 

  • Wagner, L., & Kenreigh, C. (2011). Minoxidil. In xPharm: The Comprehensive Pharmacology Reference. https://doi.org/10.1016/B978-008055232-3.62191-9
  • Messenger, A. G., & Rundegren, J. (2004). Minoxidil: Mechanisms of action on hair growth. British Journal of Dermatology. https://doi.org/10.1111/j.1365-2133.2004.05785.x
  • Kelly, Y., Blanco, A., & Tosti, A. (2016). Androgenetic Alopecia: An Update of Treatment Options. Drugs. https://doi.org/10.1007/s40265-016-0629-5