O que é o mel de trigo mourisco e quais são as suas propriedades?

O mel de trigo mourisco se destaca pelo seu sabor particular e suas propriedades medicinais. Concentra antioxidantes, vitaminas e minerais que proporcionam benefícios à saúde. Você quer saber quais são?
O que é o mel de trigo mourisco e quais são as suas propriedades?

Última atualização: 27 Abril, 2021

Poucas pessoas sabem que existem mais de 300 tipos de mel. Talvez um dos menos conhecidos seja o mel de trigo mourisco, ou trigo sarraceno. Esse alimento se destaca pela sua cor escura particular e pelo seu sabor e aroma, que lembram o do melaço de cana.

O mel é valorizado há séculos e os gregos, egípcios, maias e babilônios já o utilizavam, tanto pela sua capacidade nutricional quanto para fins medicinais.

Destaca-se pelo seu teor de antioxidantes, vitaminas e minerais. Por sua vez, podemos destacar a sua capacidade de promover a cicatrização de feridas, acalmar a tosse e combater algumas infecções. A seguir, falaremos mais sobre seus recursos e como usá-lo no dia a dia.

O que é o trigo mourisco ou trigo sarraceno?

Embora seu nome possa gerar confusão, não se trata de um parente do trigo comum ou mesmo de um cereal. O trigo mourisco, ou sarraceno (Fagopyrum esculentum), é o grão de uma planta da família Polygon. Seus frutos têm formato triangular e cor escura.

É cultivado em grande parte do mundo, mas principalmente na Europa, Rússia, Estados Unidos e Ásia. Um dos seus pontos fortes é que não contém glúten e é cozido como qualquer outro cereal.

Em alguns países, existem muitos pratos típicos feitos com este ingrediente. É o caso do macarrão soba japonês, galettes bretonnes (crepes salgados típicos da Bretanha), blinis (tipo de panqueca) na Europa do Leste e kasha (prato de cereais) na Rússia.

Trigo sarraceno ou mourisco
O trigo mourisco é um alimento sem glúten. Além disso, fornece quantidades significativas de antioxidantes.

Características do mel de trigo mourisco

O mel de trigo mourisco costuma apresentar características bastante diferentes das outras variedades de mel mais conhecidas, como o mel de mil flores, o mel de alecrim ou o mel da flor do eucalipto.

A sua cor pode variar um pouco dependendo da época e da localização da coleta de pólen de trigo mourisco. Apresenta tonalidades entre o amarelo acobreado e o preto, embora o mais comum seja uma cor entre o vermelho e o âmbar.

O sabor doce predomina, mas não é tão doce quanto a grande maioria dos méis. Ele também deixa um gostinho amargo que o torna um pouco áspero no paladar. É um mel perfumado que lembra o malte ou o aroma do açúcar de cana.

Em geral, sua consistência é viscosa e pouco fluida. Além disso, tende a cristalizar rapidamente, o que torna sua textura muito mais espessa e cremosa.

Benefícios e usos do mel de trigo mourisco

O principal componente do mel são os carboidratos, mas ele também contém vitaminas, minerais, ácidos orgânicos, flavonoides, polifenóis e compostos voláteis. Quer saber quais são os seus principais benefícios? Veja os detalhes.

É um adjuvante no tratamento de cicatrizes e queimaduras

O uso do mel como cura e remédio tópico para feridas é bem conhecido. Não se deve aplicá-lo em feridas abertas, mas é útil em casos de úlceras, feridas ou arranhões na pele. Além disso, ajuda a impedir o crescimento de bactérias na superfície da pele.

Atividade antioxidante

O efeito antioxidante se deve ao seu teor de fenol. No momento, estudos mostram um aumento nos componentes antioxidantes no sangue, mas o papel exato que eles desempenham no corpo humano é desconhecido.

De qualquer forma, por enquanto se sabe que os antioxidantes são decisivos na prevenção do envelhecimento precoce e doenças associadas.

Proteção da microbiota intestinal

Os resultados da pesquisa apresentada na revista Evidence Based Complement Alternative Medecine indicam que o mel do trigo mourisco pode trazer benefícios para o intestino humano. Em particular, é um bom alimento para as bifidobactérias positivas que vivem no cólon. Além disso, restringe o crescimento desses patógenos.

Evidências científicas recentes indicam a importância da microbiota intestinal para a saúde, além das outras funções deste órgão. Um bom estado das funções do intestino se traduz em melhorias no cérebro, no sistema imunológico e no estado nutricional.

Capacidade antimicrobiana e antiviral

Devido ao alto teor de açúcar do mel, ele pode ter um efeito positivo na luta contra alguns patógenos comuns em ambientes hospitalares.

Os cientistas analisaram especificamente a sua atividade contra os seguintes microrganismos:

  • Clostridium difficile.
  • Staphylococcus aureus.
  • Dois tipos de Pseudomonas aeruginosa.
  • Enterococcus faecalis.
  • Klebsiella pneumoniae.

Esses especialistas concentraram suas pesquisas no mel de Wisconsin e concluíram que podemos adicioná-lo a outros recursos terapêuticos contra patógenos resistentes, embora sejam necessárias mais evidências.

O mel de trigo mourisco é ideal para preparações doces e também salgadas
O mel de trigo mourisco é valorizado pela sua capacidade antimicrobiana e antiviral. Portanto, é considerado um adjuvante contra algumas infecções.

Alívio do resfriado comum

O mel do trigo mourisco, assim como o mel comum, parece ser um complemento no tratamento dos sintomas do resfriado. Em crianças, ajuda a acalmar a tosse e melhorar a qualidade do sono.

Recomendações para o uso na cozinha

Uma das maneiras mais comuns e difundidas de usar o mel é por meio de chás de ervas ou infusões quentes. Podemos prepará-las simplesmente diluindo o mel em água quente, ou adicionando outras plantas e especiarias de diferentes variedades.

Nesse caso, não exceda a dose recomendada de uma colher de chá de sobremesa por xícara para adultos, e a metade para crianças pequenas.

É importante lembrar que o mel não é recomendado para menores de 1 ano devido ao risco de botulismo.

Em outros casos, é um bom adoçante que pode substituir o açúcar de mesa comum. Podemos adicionar uma colher de chá a alguns pratos ou sobremesas, como os seguintes:

  • Mingau de aveia.
  • Iogurte com frutas.
  • Queijo cottage com nozes.
  • Laranja com canela.

A capacidade do mel de atrair água permite que bolos, muffins e sobremesas em geral fiquem mais úmidas. Isso, por sua vez, dá um sabor mais especial aos pratos.

Por atuar em conjunto com o fermento químico, o resultado obtido é uma massa muito fofa. Passá-lo no pão também é uma boa opção no café da manhã ou no lanche.

Seu uso é válido até mesmo naquelas receitas salgadas às quais você deseja dar um toque doce, como:

  • Vinagrete com mostarda, vinagre de vinho tinto ou maionese.
  • Marinadas de peixe, carne ou tofu.
  • Oleaginosas e sementes caramelizadas.

Mel de trigo mourisco, uma opção saudável

O mel de trigo mourisco tem cor, textura e sabor diferentes dos outros méis. Além disso, é um produto saudável que pode ser incorporado à dieta alimentar com segurança, em quantidades moderadas.

Na cozinha, podemos adicioná-lo em algumas receitas doces e salgadas. Inclusive, também é ótimo para preparar infusões, sozinho ou misturado com outras plantas.

Topicamente, pode ser aplicado em feridas superficiais ou queimaduras, pois auxilia na cicatrização e prevenção de infecções. Basta aplicar uma camada fina na área desejada e cobri-la com um curativo limpo. Você se anima a experimentar?

Pode interessar a você...
6 adoçantes para limitar o consumo de açúcar
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
6 adoçantes para limitar o consumo de açúcar

Segundo a OMS, devemos limitar o consumo de açúcar para não exceder 10% da ingestão calórica total devido aos seus efeitos nocivos no organismo.



  • Hammond EN et al. Effect of United States buckwheat honey on antibiotic-resistant hospital acquired pathogens. Pan African Medical Journal. Diciembre 2016.25:212.
  • Fashner J. et al. Treatment of the Common Cold in Children and Adults. American Family Physician. Julio 2012. 86(2):153-159.
  • Jiang L et al. Phenolics and Carbohydrates in Buckwheat Honey Regulate the Human Intestinal Microbiota. Evidence Based Complement Alternative Medicine. Febrero 2020:6432942.
  • Lai-flurrie K. Honey in wound care: effects, clinical application and patient benefit. British Journal of Nursing. Septiembre 2013. 17(5).
  • Geldof N. et al. Journal of Agricultural and Food Chemistry. Enero 2003. 51 (5):1500–1505.
  • Van den Berg A.J.J et al. An in vitro examination of the antioxidant and anti-inflammatory properties of buckwheat honey. Journal of wound care. Septiembre 2013. 17(4):