Medicamentos contra a gripe em crianças: tipos e dicas de uso

É necessário usar medicamentos contra gripe em crianças? Caso seja, como fazer isso? Continue lendo e descubra as precauções a serem consideradas.
Medicamentos contra a gripe em crianças: tipos e dicas de uso

Última atualização: 15 abril, 2022

Vários medicamentos contra a gripe são usados em crianças. Entre os mais comuns estão os antibióticos, anti-histamínicos e descongestionantes. Mas, esses medicamentos são mesmo necessários?

Vale ressaltar que, em geral, os medicamentos vendidos sem receita para o tratamento da gripe não são eficazes na cura da doença; apenas aliviam os sintomas. No entanto, considera-se que alguns podem ser prejudiciais, principalmente em crianças com menos de 2 anos de idade.

Portanto, o uso de todos os tipos de medicamentos contra a gripe não é recomendado para crianças menores de 12 anos. E mesmo quando usados, alguns cuidados devem ser tomados.

Precauções ao usar medicamentos contra a gripe em crianças

A gripe pode causar estresse e preocupação nos pais. Além disso existem muitos mitos sobre a gripe infantil. Nesse sentido, é compreensível que os adultos considerem administrar medicamentos aos filhos como uma alternativa.

No entanto, na maioria dos casos a gripe tende a melhorar sozinha, e os medicamentos não alteram ou aceleram o curso natural da recuperação. Medicamentos para gripe vendidos sem receita também são frequentemente considerados como uma alternativa para ajudar a aliviar os sintomas, mas isso não é uma questão a ser tomada como simples.

A esse respeito, a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos emitiu um alerta sobre o uso de medicamentos contra a gripe em crianças. Ela menciona que a maioria dos problemas com esses medicamentos ocorre se eles forem administrados com muita frequência ou em uma quantidade maior que a recomendada.

Pode acontecer, particularmente, que fórmulas destinadas a adultos sejam usadas em crianças. Isso deve ser evitado a todo custo; nem sequer é aconselhável reduzir a dose. Isso é arriscado e nem sempre eficaz.

Além disso, há chances de que ocorram efeitos colaterais ao dar remédios contra a gripe para crianças. Por exemplo, recomenda-se que menores em recuperação de varicela ou doenças respiratórias evitem tomar aspirina, pois ela tem sido associado à síndrome de Reye, uma doença rara, mas com risco de vida.

Gripe em uma criança.
A gripe em crianças deve ser controlada, mas é muito provável que não sejam necessários medicamentos específicos para o seu tratamento.

Continue lendo sobre o assunto em Vacina contra a gripe: perguntas e respostas

Tipos de medicamentos para gripe em crianças

Existem diferentes medicamentos usados para tratar a gripe. Vejamos a seguir quais são os mais usados em crianças.

Antibióticos

Os antibióticos são prescritos quando existem infecções bacterianas. Embora algumas pessoas os deem a seus filhos quando eles estão resfriados ou gripados, esse medicamento não têm nenhum efeito nesses casos. Por outro lado, a administração prolongada aumenta as chances de contrair uma infecção resistente no futuro.

Paracetamol

O acetaminofeno, ou paracetamol, é o princípio ativo de vários medicamentos vendidos sem receita. Ele é usado para reduzir a febre e aliviar outros sintomas, como a dor. No entanto, o problema com este componente é que ele está presente em diferentes medicamentos antigripais.

Dessa forma, a dose pode ser dobrada ao tomar um comprimido e em um antigripal em pó, por exemplo. Os sintomas de uma overdose de paracetamol incluem náuseas, vômitos, dor abdominal e letargia. Algumas mortes foram relatadas em pesquisas.

Descongestionantes

Como o nome indica, os descongestionantes são usados para aliviar o nariz entupido. Eles ajudam a reduzir a secreção nasal estreitando os vasos sanguíneos nas narinas. Embora eficazes, os efeitos colaterais da efedrina e pseudoefedrina (seus principais componentes) incluem reações de hiperatividade e irritabilidade.

Anti-histamínicos

Os anti-histamínicos buscam minimizar as reações alérgicas, além de tratar diversos sintomas de resfriados e gripes. Muitas fórmulas para resfriado e alergia vendidos sem receita combinam descongestionantes e anti-histamínicos. Os efeitos colaterais deste último podem incluir visão turva, sonolência, nervosismo e tontura.

Antitússicos ou antitussígenos

Antitússicos ou antitussígenos são os termos usados para se referir aos medicamentos prescritos para aliviar a tosse. Eles atuam no sistema nervoso central, ajudando a suprimir essa reação.

Esses medicamentos geralmente são usados quando os ataques de tosse afetam o descanso e outras atividades (como a permanência na escola). Porém, os supressores de tosse com opioides (codeína) podem provocar várias reações, como sonolência, respiração lenta e difícil.

A codeína não é recomendada para uso em medicamentos contra a gripe para crianças menores de 12 anos.

Mucolíticos e expectorantes

Ao contrário dos medicamentos já citados, os expectorantes buscam estimular a tosse produtiva, entendida como aquela que auxilia na eliminação das secreções brônquicas. Por sua vez, os mucolíticos modificam as características dessas secreções, facilitando sua expulsão.

Xarope para tosse em crianças com gripe.
Xaropes para tosse vendidos sem receita nem sempre fazem sentido em um tratamento. Muitos são contra-indicados em certas idades.

Antigripais

Por fim, diferentes formulações combinadas também são usadas em medicamentos contra a gripe para crianças. A maioria dos antigripais incluem vários tipos de componentes:

É preciso ter muito cuidado com essas apresentações. A interação dos princípios ativos pode provocar efeitos adversos e reações inesperadas.

Como ajudar seu filho quando ele está gripado?

Medicamentos contra a gripe podem ser usados em crianças, desde que prescritos por um médico. Caso contrário, não é aconselhável administrá-los por conta própria.

Leve em consideração as seguintes recomendações gerais:

  • Siga as orientações de dosagem ao pé da letra.
  • Se o recipiente incluir uma seringa ou conta-gotas, use a medida do medicamento e não uma colher para alimentos.
  • Não use paracetamol em crianças menores de 3 meses, ibuprofeno em crianças menores de 6 meses ou aspirina em crianças menores de 3 anos.
  • Evite o uso de medicamentos para múltiplos sintomas.
  • Não dê medicamentos contra a gripe à criança se ela estiver vomitando ou apresentando sinais de desidratação.
  • Lembre-se que o mel não deve ser dado a crianças menores de 12 meses, devido ao risco de botulismo.

Em vez de administrar medicamentos contra a gripe às crianças, os sintomas podem ser aliviados usando outros mecanismos e estratégias. Você pode aspirar o nariz com uma pera para remover o excesso de muco em crianças menores de um ano de idade.

É importante dar a elas muito líquido para mantê-las hidratadas. O pediatra dirá se é necessário administrar medicamentos e ensinará a verificar os sinais vitais para identificar uma complicação de forma precoce.

This might interest you...
5 recomendações para tratar a gripe em crianças
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 recomendações para tratar a gripe em crianças

Como pais, é muito importante saber como tratar a gripe em crianças. Embora seja uma infecção comum e muitas vezes recorrente, é essencial tratá-la...



  • Cano Garcinuño A, et al. Prescripción de fármacos anticatarrales de uso sistémico a niños de 0-13 años. Un problema no resuelto. An Pediatr (Barc). 2012. http://dx.doi.org/10.1016/j.anpedi.2012.04.003.
  • Forero G. Botulismo. Revista Electrónica de Veterinaria. 2007; 7(4): 1-5.
  • García Puga J, Callejas Pozo J, Castillo Díaz L, et al. Conocimiento y actuación de los padres sobre la fiebre. Rev Pediatr Aten Primaria. 2011; 13: 367-79.
  • Lanza O, Campos P.  El uso racional de mucolíticos y expectorantes  Carta med. A.I.S. Boliv; 2001; 16(1): ERRO-03_48-2.
  • Montijo-Barrios E, Cadena F, Ramírez-Mayans J, et al. Ensayo clínico sobre el efecto de la bufenina, aminofenazona y el clorhidrato de difenilpiralina en el tratamiento del resfriado común en niños de seis a 24 meses de edad. Rev Invest Clin. 2011; 63(4): 335-343.
  • Prymula R, Siegrist C, Chlibeck R, et al. Effect of prophylactic paracetamol administration at time of vaccination on febrile reactions and antibody responses in children: two open-label, randomized controlled trials. Lancet. 2009; 374: 1339–1350.
  • Roldán T; López ÁIntoxicación por acetaminofén en pediatría: aproximación y manejo Universitas Médica. 2012; 53(1): 56-67.
  • Serra-Grabulosa J, Sánchez-Turet M, Grau C. Efectos secundarios del antihistamínico clorfeniramina sobre el sistema nervioso central. REV NEUROL 2002; 34 (12): 1178-1182.