Hipotermia em crianças e bebês: como agir?

27 de junho de 2019
A hipotermia em crianças e bebês pode ser difícil de detectar, porque eles não são capazes de se expressar bem. É importante agir rapidamente e tomar os cuidados necessários para restabelecer a temperatura corporal o mais rápido possível.

Você sabe como agir ante a hipotermia em crianças? Nunca pensamos que isso pode acontecer com nossos filhos, por isso hoje daremos algumas informações para que você saiba o que fazer se esse problema se manifestar. Continue lendo!

A hipotermia é a diminuição da temperatura corporal abaixo dos limites considerados normais, ou seja, abaixo de 35 graus. A partir dessa margem, os mecanismos compensatórios para a regulação da temperatura corporal começam a falhar.

Geralmente é uma consequência da exposição prolongada a temperaturas frias sem proteção adequada. Mas, você sabe o que deve fazer em caso de hipotermia em crianças e bebês? Veja em seguida.

Hipotermia em crianças e bebês: o que você deve saber

Mecanismos de perda de temperatura

  • Por radiação: diferença de gradiente de temperatura entre o organismo e o ambiente que o rodeia.
  • Por condução: por contato com superfícies com diferentes temperaturas, neste caso, temperaturas frias ou mais baixas.
  • Evaporação: consequência da liberação de temperatura pela conversão de um fluido corporal em vapor ou gás. Por exemplo: aumento da sudorese, respiração acelerada, etc.

Causas da hipotermia

A hipotermia pode ocorrer em qualquer grupo da população e em qualquer estação do ano. Os mais propensos a sofrê-la são os bebês e crianças pequenas, pois seus corpos estão evoluindo e os mecanismos para regular a temperatura não estão totalmente desenvolvidos.

As causas mais comuns de hipotermia em crianças e bebês são:

  • Proteção inadequada do bebê em baixas temperaturas.
  • Permitir que o bebê ou a criança use roupas molhadas por muito tempo em ambientes frios ou na presença de vento forte.
  • Em alguns casos, quando as crianças têm febre, os pais tentam baixar a temperatura expondo-as a temperaturas muito frias (por exemplo, compressas frias, banhos de água a baixa temperatura, ventiladores, etc.). Isso pode levar a um choque térmico devido a uma mudança brusca de temperatura.
Hipotermia em crianças no inverno

Confira ademais: 6 dicas preventivas para exposição ao frio

Sintomas

  • Crianças e bebês não costumam tremer ou relatar tremores.
  • A pele fica fria, pode haver uma mudança na coloração (palidez) ou, no caso de muitos bebês, permanecer com tom rosado.
  • Respiração e pulso diminuem a velocidade.
  • Não há reflexos.
  • No caso de bebês, por não serem capazes de expressar a sensação de frio, devemos prestar atenção especial à temperatura da pele, mudanças no comportamento, falta de apetite, etc.

Como agir em caso de hipotermia em bebês?

É de vital importância entrar em contato com um médico a qualquer sinal de hipotermia em um bebê. Mas, se nesse momento não for possível uma atenção imediata, as recomendações gerais são as seguintes:

  • Aumente gradualmente o calor do ambiente: leve-o para uma sala quente e remova as roupas molhadas, se houver.
  • Cubra e proteja a cabeça do bebê com um boné ou cobertor e abrace-o contra o peito para aguentar a temperatura com o calor do corpo.

É muito importante não aplicar uma fonte direta de calor na pele nua. Por isso, não use garrafas ou compressas de água quente a menos que haja um pano entre elas para evitar queimaduras.

É aconselhável verificar os sinais vitais da criança de vez em quando, mesmo após a estabilização da hipotermia. Mas, se perder a consciência, verifique sua respiração. Caso esteja respirando, coloque-o em posição de recuperação (lateral), mas se não estiver, faça boca a boca e realize uma massagem cardíaca enquanto aguarda a atenção médica necessária.

Leia mais: Tratamento do paciente com hipotermia

Bebê chorando

Como agir em caso de hipotermia em crianças?

Dependendo da gravidade da situação, será necessário ou não chamar os serviços de emergência. Avalie os sintomas e se não observar sinais sérios de hipotermia, adote os passos que daremos em seguida:

  • Dê à criança um banho morno até perceber que a cor da sua pele recupera a normalidade. Em seguida, ajude-a a sair e seque-a rapidamente.
  •  Vista-a em roupas quentes, leve-a para uma sala quente e envolva-a em muitos cobertores. Como no caso dos bebês, é importante fornecer seu próprio calor corporal e proteger a cabeça com um chapéu, bem como as mãos e pés.
  • Dê-lhe líquidos quentes e alimentos energéticos.
  • Não o deixe sozinho em nenhum momento, caso os sintomas piorem.

Em geral, aplicando essas técnicas, a temperatura corporal retornará ao normal em um período de tempo relativamente curto. Por fim, se este não for o caso e você perceber que os sintomas pioram, leve imediatamente a criança ao serviço de emergência ou chame uma ambulância.

  • Burger, L., & Fitzpatrick, J. (2014). Prevention of inadvertent perioperative hypothermia. British Journal of Nursing. https://doi.org/10.12968/bjon.2009.18.18.44553
  • Gelb, D. (2014). Hypothermia. In Encyclopedia of the Neurological Sciences. https://doi.org/10.1016/B978-0-12-385157-4.00059-2
  • Sefrin, P. (2018). Accidental Hypothermia. Notarzt. https://doi.org/10.1055/a-0752-6485
  • So, H. Y. (2010). Therapeutic hypothermia. Korean Journal of Anesthesiology. https://doi.org/10.4097/kjae.2010.59.5.299