Gêmeos univitelinos e bivitelinos: confira a diferença

7 de março de 2019
Conhecer a diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos é essencial para conhecer os cuidados que a mãe deve ter durante a gravidez para que ela se desenvolva adequadamente.

A diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos é encontrada em como o(s) óvulo(s) foi fertilizado. Por exemplo, os gêmeos univitelinos surgem da divisão de um óvulo que foi fertilizado por um único espermatozoide. Por outro lado, os gêmeos bivitelinos são concebidos de dois óvulos e dois espermatozoides diferentes. Esta é uma das principais diferenças entre os gêmeos univitelinos e bivitelinos.

A relevância de saber a diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos

A ultrassonografia é importante na gravidez de gêmeos

É importante saber a diferença entre gêmeos univitelinos e bivitelinos porque as gravidezes em ambos os casos devem ser tratadas de forma diferente. Embora a maioria dessas gravidezes ocorra com alguma normalidade, existe a possibilidade de algumas complicações ocorrerem. Por exemplo, transfusão feto-fetal ou retardo de crescimento intrauterino.

Por esse motivo, para ter o controle adequado da gestação gemelar é essencial conhecer o tipo de gravidez o mais rápido possível. Normalmente, o ultrassom do primeiro trimestre pode identificar se a gravidez é de gêmeos univitelinos ou bivitelinos. Da mesma forma, possíveis anomalias fetais ou outros tipos de complicações podem ser detectadas a tempo.

Para identificar que tipo de gravidez você tem, existem alguns fatores que você deve considerar. Eles são fáceis de entender e ajudarão você a diferenciar se tem uma gravidez de gêmeos univitelinos ou bivitelinos.

Não deixe de ler: Quais são os diferentes tipos de gravidez?

Uma fecundação diferente

Os gêmeos dizigóticos, isto é, os gêmeos bivitelinos, são aqueles produzidos pela fertilização de dois óvulos e dois espermatozoides. No momento da fertilização, o ovário libera dois óvulos. Visto que o homem libera milhões de espermatozoides, é normal que ambos sejam fertilizados.

Na gravidez de gêmeos bivitelinos, cada feto tem seu saco amniótico e placenta. Portanto, eles podem ser do mesmo sexo ou não, e sua semelhança será como a de dois irmãos nascidos em diferentes momentos.

Por outro lado, os gêmeos monozigóticos, isto é, os gêmeos univitelinos, são concebidos quando um único óvulo é fertilizado com um espermatozoide. Isso forma um zigoto, que é então dividido em dois, desenvolvendo dois fetos. Se a divisão ocorrer entre o primeiro e o quarto dia da fertilização, cada feto terá sua placenta e sua própria bolsa amniótica. Por outro lado, se acontecer entre o quarto e o oitavo dia, cada feto terá sua própria bolsa, mas vai compartilhar a placenta.

Nos gêmeos univitelinos, o que acontece é uma “clonagem natural”. Embora cada um se desenvolva independentemente, eles são formados pelo mesmo óvulo e espermatozoide. Portanto, eles compartilham a mesma carga genética e são fisicamente quase idênticos.

Os gêmeos bivitelinos podem ser de sexos opostos

É comum que, de cada 100 gestações de gêmeos bivitelinos, 50 sejam de sexos diferentes. Portanto, 25 são homens e 25 são mulheres. Os gêmeos de sexos diferentes têm um desenvolvimento diferente, não só porque são pessoas diferentes, mas porque o sexo também influencia.

  • Quando nascem, os meninos desenvolvem mais suas habilidades físicas. Ou seja, eles aprendem a engatinhar primeiro e depois a correr e pular.
  • Em contraste, as meninas são mais comunicativas e, antes de começarem a engatinhar ou andar, elas dizem suas primeiras palavras.

Os gêmeos univitelinos são muito parecidos e quase idênticos

Os gêmeos monozigóticos compartilham o mesmo material hereditário, já que ambos nasceram do mesmo óvulo fertilizado que foi dividido em dois após a concepção. Qualquer diferença que exista entre eles, após o nascimento, será causada por fatores externos. Por exemplo, a alimentação e o exercício.

Embora fisicamente sejam parecidos, há muitas características que não são idênticas. Por exemplo, as impressões digitais. Quando os gêmeos univitelinos estão se formando, cada um toca o saco amniótico em lugares diferentes, o que gera linhas diferentes nos dedos e, portanto, eles não possuem as mesmas impressões digitais.

Os gêmeos interagem dentro do útero, ou seja, eles se procuram instintivamente. Dentro do ventre da mãe, eles geralmente procuram e tocam um ao outro mais do que a si mesmos. Uma vez que eles estão dentro da mãe, eles estão criando um vínculo inquebrável.

Em geral, eles se desenvolvem como se estivessem se olhando de frente. Isto é, um é o reflexo do outro. Então, se um deles for destro, o outro será canhoto. Se um deles tiver uma mancha no braço direito, o outro terá uma mancha idêntica no mesmo lugar, mas no braço esquerdo. Esta é uma das diferenças entre os gêmeos univitelinos e bivitelinos.

Os gêmeos bivitelinos compartilham apenas 50% de seu DNA

DNA de gêmeos univitelinos e bivitelinos

Do ponto de vista da genética, todos os seres vivos têm duas cópias de cada gene. Um que é herdado da mãe e aquele que é herdado do pai. Ou seja, metade dos genes vem do óvulo e o outro do espermatozoide.

Portanto, os gêmeos bivitelinos, por virem de diferentes espermatozoides e óvulos, compartilham apenas 50% do DNA. Eles também podem ter diferentes tipos de sangue. Assim, os gêmeos bivitelinos são irmãos que nascem no mesmo parto, mas sem qualquer outra semelhança.

Confira também: A segunda gravidez e as diferenças com a primeira

Conclusão

No início, a concepção de dois bebês no útero gera confusão. O fato de ter gêmeos univitelinos não é algo que é herdado entre as famílias. O que é hereditário é a capacidade de ter gêmeos. Se houve casos de gêmeos bivitelinos na família, é provável que isso aconteça a cada duas ou três gerações.

Um estudo do Dr. Gary Steinman determinou que consumir mais produtos derivados do leite aumentariam as chances de conceber gêmeos. Isso foi demonstrado depois de comparar os números de gêmeos nascidos de mães que eram veganas e aqueles concebidos por mães com uma dieta normal.