Gelatina na gravidez: podemos consumi-la?

A gelatina tem propriedades nutricionais que beneficiam a saúde das mulheres na gravidez. Seu consumo é ideal para acalmar a fome sem recorrer a refeições cheias de calorias.
Gelatina na gravidez: podemos consumi-la?

Última atualização: 15 Maio, 2021

Muitas mulheres se perguntam se é saudável consumir gelatina na gravidez. Sabemos que esse alimento, além de versátil, possui qualidades nutricionais muito especiais.

Há muitas maneiras de preparar gelatina e incluí-la na dieta regular; o que não temos claro são suas propriedades e efeitos sobre as futuras mães. Para muitos, é um alimento refrescante e de poucas calorias, que pode ajudar a acalmar a fome durante períodos de ansiedade; outros, no entanto, consideram a gelatina um bom suplemento nutricional.

Por que seu uso é recomendado durante a gravidez? Embora, em geral, tenha benefícios para todos, as gestantes obtêm algumas vantagens ao consumi-la. Descubra-as!

O que é a gelatina?

A gelatina é um espessante natural obtido a partir do processamento dos tecidos conjuntivos de bovinos e suínos. É uma substância incolor, semissólida, usada na cozinha como base para preparar sobremesas, doces, e uma grande variedade de receitas.

É composta principalmente por proteínas de alto valor biológico, mas também é fonte de vitaminas, minerais e carboidratos.

O que é a gelatina?

Benefícios de comer gelatina na gravidez

A gelatina é um ingrediente facilmente combinado com outros alimentos na preparação de deliciosas sobremesas. É muito popular em todo o mundo, especialmente porque é atraente para as crianças.

Muitos a valorizam por suas aplicações medicinais, visto que:

  • Melhora a saúde digestiva.
  • Previne o aparecimento de algumas doenças inflamatórias.
  • Contém 18 aminoácidos essenciais e ajuda a atender às necessidades do corpo de vitaminas e sais minerais.

Podemos consumi-la durante a gravidez? Claro que sim! É um produto muito completo que, de fato, traz diversos benefícios para a gestante.

Reduz as náuseas

Mulher grávida com enjoos

Os nutrientes da gelatina são facilmente assimilados pelo corpo, e têm um efeito benéfico no controle de náuseas e vômitos que ocorrem na gravidez.

Suas propriedades anti-inflamatórias acalmam a irritação do estômago e, por regular seu pH, reduzem a tendência a ter convulsões devido a esses sintomas. Há até evidências de que o controle da diarreia melhora

Facilita a digestão

Continuando com o benefício anterior, vale a pena mencionar de forma especial que comer gelatina na gravidez ajuda a:

  • Promover uma boa digestão, principalmente quando houver prisão de ventre.
  • Neutraliza a produção excessiva de sucos ácidos e reduz episódios desconfortáveis ​​de azia e refluxo gastroesofágico.
  • Graças às suas contribuições de um aminoácido denominado glicina, ajuda a melhorar o processo de absorção de nutrientes, reduzindo o risco de deficiências.

Fornece minerais essenciais

A absorção correta de minerais é crucial para a saúde da mãe e do feto em desenvolvimento. A gelatina, graças ao seu conteúdo de cálcio, fósforo e magnésio, é um bom suplemento para a gravidez.

Lembre-se de que o magnésio é um mineral que demonstrou promover um descanso adequado, por isso é importante maximizar sua contribuição.

É livre de gorduras e colesterol

Não há razão para se preocupar! A gelatina é uma sobremesa saudável que não contém gordura nem colesterol. Seu consumo não representa um risco para o peso na gravidez.

Evita a desidratação

Graças ao seu alto teor de água, comer gelatina na gravidez evita a desidratação. Embora não substitua os copos de água, é um complemento refrescante para dias de frio e de calor.

Protege a pele e o cabelo

Pele saudável e bonita

O principal componente deste alimento é o colágeno. Graças a ele, sua ingestão regular tem efeitos positivos sobre a saúde da pele e do cabelo. Este tipo de proteína apoia o processo de regeneração celular e diminui o risco de estrias, fraqueza capilar e pele seca.

Ajudar a acalmar a fome

Esta sobremesa, livre de açúcares e aditivos químicos, é uma excelente opção para saciar a fome sem medo de ganhar quilos desnecessários. Graças ao seu efeito saciante, diminui a sensação de ansiedade que leva a excessos entre as refeições principais.

Como consumir gelatina na gravidez

Para que o consumo de gelatina na gravidez seja seguro, é essencial respeitar algumas regras dietéticas básicas:

  • Não comê-la com açúcares adicionados
  • Evitar as apresentações industrializadas
  • Comer porções moderadas

Embora seja um alimento rico em proteínas, não deve ser considerado um substituto para carnes magras, leguminosas, e outros alimentos que fornecem esse nutriente.

No mercado há gelatina sem sabor de alta qualidade, perfeita para preparar sobremesas caseiras, livre de aditivos artificiais. Além disso, existem muitas receitas para consumi-la sem a necessidade de açúcar.

Inclua gelatina na sua dieta se estiver grávida

Você está grávida e não sabe o que incluir nos seus lanches? Experimente a gelatina! Como você pode ver, ela tem propriedades muito nutritivas e interessantes. O seu consumo regular pode ser benéfico para a saúde, embora você deva optar por uma gelatina sem a adição de açúcares.

Pode interessar a você...
Como se alimentar durante a gravidez
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como se alimentar durante a gravidez

Durante a gravidez devemos levar em conta que é tão importante consumir certos alimentos como eliminar aqueles que podem ser prejudiciais para nós....



  • Shaw G, Lee-Barthel A, Ross ML, Wang B, Baar K. Vitamin C-enriched gelatin supplementation before intermittent activity augments collagen synthesis. Am J Clin Nutr. 2017;105(1):136-143. doi:10.3945/ajcn.116.138594
  • Çağan E, Ceylan S, Mengi Ş, Çağan HH. Evaluation of Gelatin Tannate Against Symptoms of Acute Diarrhea in Pediatric Patients. Med Sci Monit. 2017;23:2029-2034. Published 2017 Apr 27. doi:10.12659/msm.903158
  • Cao Y, Zhen S, Taylor AW, Appleton S, Atlantis E, Shi Z. Magnesium Intake and Sleep Disorder Symptoms: Findings from the Jiangsu Nutrition Study of Chinese Adults at Five-Year Follow-Up. Nutrients. 2018;10(10):1354. Published 2018 Sep 21. doi:10.3390/nu10101354