Exaustão por onda de calor

21 de dezembro de 2019
O que é a exaustão por onda de calor? Como reconhecer? É importante levar em consideração que o valor do termômetro, por vezes, não reflete o perigo real das temperaturas ambientes.

A exaustão por onda de calor é um quadro que se caracteriza por uma temperatura corporal alta, sempre menor a 40º C. Tem origem em ambientes muito quentes, em combinação com grande umidade e intensa atividade física.

Pode evoluir para o chamado “golpe de calor” que é um quadro muito mais grave, até mesmo mortal. A última grande onda de calor que atingiu a Europa foi em 2003 e provocou mais de 35.000 mortos com temperaturas que superaram os 46 graus centígrados.

Sintomas de exaustão por onda de calor

Sem dúvida alguma, podem ser muitos não específicos e o paciente pode não relacionar o que está acontecendo com o calor, a umidade e o exercício. No exame físico, costuma apresentar uma temperatura corporal abaixo dos 40º C e pode até mesmo estar normal. Isso ocorre devido aos mecanismos de compensação como a transpiração.

Os sintomas mais comuns são:

  • Transpiração abundante: pele pálida e fria.
  • Pulso acelerado.
  • Cãibras musculares.
  • Mal-estar.
  • Fraqueza.
  • Tonturas.
  • Dor de cabeça.
  • Náuseas e vômitos.
  • Urina de cor escura por causa da desidratação.

Diferentemente do que acontece no golpe de calor, nesse caso os pacientes costumam conservar intacto seu estado mental, sendo muito raras a confusão ou a perda de consciência, embora possam apresentar hipotensão ortostática (sentir tonturas quando se colocam em pé de forma brusca).

Você também pode se interessar por: Estresse térmico por calor, em que consiste?

Por que a exaustão por onda de calor acontece?

Mulher com calor

Podemos dizer que é a derrota do organismo ao tentar manter a temperatura normal em ambientes de altas temperatura e umidade, durante grandes esforços físicos. O corpo tenta regular a temperatura por meio do suor, mas chega um momento em que se torna ineficaz.

Além da água, por meio do suor são perdidos eletrólitos como o sódio e o potássio, chegando a ser a causa das cãibras musculares e da taquicardia.

É importante levar em consideração que o valor do termômetro, por vezes, não reflete o perigo real das temperaturas ambientes. Uma temperatura não excessivamente elevada, na presença de altos níveis de umidade, pode causar uma exaustão por onda de calor.

É o que se denomina índice de calor e mede a temperatura do ar somada aos efeitos da umidade. Por isso, temperaturas consideradas como toleráveis podem se tornar perigosas em certas situações.

Assim como em muitos outros casos, a melhor terapia contra a exaustão por onda de calor é a prevenção. As empresas são obrigadas por lei a adaptar as temperaturas dos locais de trabalho.

Em escritórios e locais de trabalho sedentário: entre 17 e 27º C. Se as temperaturas estiverem abaixo ou acima desse intervalo, considera-se estresse térmico. No entanto, há uma brecha legal no que se refere aos trabalhos em ambientes externos.

Situações que agravam o prognóstico

  • Obesidade
  • Distúrbios cardíacos
  • Insuficiência respiratória
  • Certos medicamentos: antibióticos, anticonvulsivantes, diuréticos, laxantes, anti-histamínicos, vasoconstritores, betabloqueadores, antidepressivos e antipsicóticos, entre outros, e algumas drogas como a cocaína e as anfetaminas.
Obesidade pode dar calor

E não é somente aos trabalhadores que se deve prestar atenção. A realização de esportes ao ar livre: ciclismo, atletismo, caminhada, etc., nos horários inadequados e sem a correta proteção podem nos levar à exaustão por onda de calor.

É preciso prestar atenção especial às crianças e aos idosos, pois não possuem um sistema termorregulador eficaz e são suscetíveis à exaustão por onda de calor a uma temperatura mais baixa e em um menor tempo de exposição.

Leia também: Como se proteger do sol no verão

Medidas preventivas

  • Em primeiro lugar, use roupas leves, folgadas e de cores claras.
  • Também, lembre-se de colocar chapéu, boné, sombrinha para evitar o contato direto do sol com a cabeça.
  • Por outro lado, aplique protetor solar com fator de proteção suficiente de acordo com o local, a época do ano e o índice ultravioleta.
  • Lembre-se de beber água em quantidade suficiente, repetindo a ação em curtos períodos de tempo. Para verificar se você está corretamente hidratado, é útil observar a cor da urina. Se estiver clara, a hidratação pode estar correta. Se estiver escura, precisamos beber mais água.
  • Ademais, recomenda-se repor os eletrólitos perdidos junto com a água por meio do suor. Podem ser úteis as bebidas isotônicas para esportistas ou as chamadas limonadas alcalinas.
  • Além disso, evite o consumo de bebidas estimulantes que contenham cafeína: refrigerantes de cola, café, etc.
  • Também, evite o consumo de álcool, visto que provoca desidratação celular.
  • Na medida do possível, programe as atividades que requerem esforço físico, tanto as esportivas quanto as profissionais, nos horários de menos calor. Também é importante programar descansos que nos permitam ficar durante alguns minutos em um local mais fresco para, depois, retomar a atividade.
  • Finalmente, de nenhuma maneira deixe as crianças fechadas dentro do carro em épocas de calor. A temperatura interior pode subir muitos graus em pouco tempo.

Como agir em caso de exaustão por onda de calor?

Mulher se hidratando

Se já tiver ocorrido a exaustão por onda de calor:

  • Em primeiro lugar, afaste-se do lugar e buscar um local fresco na sombra.
  • Também, pode-se deitar no chão e elevar as pernas para facilitar o retorno venoso ao coração e a perfusão do cérebro.
  • Além disso, lembre-se de tirar as peças de roupa desnecessárias, desabotoar os botões mais próximos ao pescoço ou de qualquer outra parte que estiverem apertando.
  • Por outro lado, recomendamos refrescar-se com um banho ou uma ducha fria. Aplicar toalhas molhadas na cabeça, na nuca e no peito.
  • Também, hidrate-se pouco a pouco com água ou bebidas isotônicas.
  • Os sintomas da exaustão podem durar vários dias. Não faça exercício, nem se exponha ao calor enquanto não tiver se recuperado totalmente.

Em conclusão, se após essas recomendações você não se recuperar, a temperatura corporal continuar alta e você desmaiar ou tiver convulsões, deve chamar os serviços de emergência ou procurar um médico. Finalmente, devemos ter precaução com as atividades que podem provocar exaustão por onda de calor e tomar as medidas preventivas necessárias.

  • Ballester, F. (1996): “Metereología y salud. Relación entre temperatura ambiental y salud”, Revista Española de Salud Pública, 70, pp. 251-259
  • Montero, J.C., Mirón, I.J., Díaz, J. y Alberdi, J.C. (1997): “Influencia de las variables atmosféricas sobre la mortalidad por enfermedades respiratorias y cardiovasculares en lo mayores de 65 años en la Comunidad de Madrid”, Gaceta Sanitaria 11, pp.164-170.
  • Moreno, A. y Fernández, F. (2003): “El confort climático en los entornos residenciales de las capas altas, medias y bajas de la Comunidad de Madrid: Otra forma de desigualdad socio-espacial”, en Moreno, A. (coord.): La distribución de la renta en la Comunidad de Madrid. Análisis y aplicaciones. Madrid, Instituto de Estadística de la Comunidad de Madrid, pp. 153-175.
  • Olivera, A. (1993): Geografía de la Salud. Colección Espacios y Sociedades. Madrid, Síntesis.
  • Sierra, M., Díaz, J., Montero, J.C., Alberdi, J.C., y Mirón, I.J. (1997): “Mortalidad diaria en la Comunidad de Madrid durante el periodo 1986-1991 para el grupo de edad de 45 a 65 años: su relación con la temperatura del aire”, Revista Española de Salud Pública, 71, pp.149-160.