Estado vegetativo: tudo que você precisa saber

26 Julho, 2020
O estado vegetativo é um distúrbio que ocorre quando apenas o nosso cérebro primitivo permanece ativo e deixamos de ter consciência de nós mesmos e do ambiente ao nosso redor. Descubra mais detalhes sobre os sintomas, o diagnóstico e o prognóstico a seguir.

Existem muitos distúrbios que podem afetar o nível de consciência, e o estado vegetativo ocupa um lugar de destaque nesse tópico tão amplo. Antigamente, esse termo era utilizado para se referir a pacientes com perda de consciência e cujas funções vitais eram substituídas.

Somente na década de 1970 dois neurologistas renomados, Brian Jennet e Freud Plum, decidiram fazer a primeira descrição científica da doença. Desde então, vários artigos foram publicados analisando o estado vegetativo sob diferentes ângulos, e ainda existem controvérsias em discussão.

Neste artigo, explicaremos os aspectos mais importantes que você precisa saber sobre o estado vegetativo.

Qual é o estado vegetativo?

Para explicar melhor esse estado, vamos dividir o cérebro em duas partes, de acordo com o que elas controlam:

  • Os hemisférios cerebrais controlam o pensamento e o comportamento, tornando-nos conscientes de nós mesmos e do nosso ambiente. Neles, encontramos os diferentes lobos – frontal, temporal, occipital, parietal – com suas respectivas funções, executadas pelos neurônios que estão no córtex dos hemisférios.
  • O diencéfalo, composto pelo tálamo e hipotálamo, e o tronco cerebral controlam as funções vitais. Isso inclui ciclos de vigília, temperatura corporal, respiração, pressão arterial, frequência cardíaca, etc. Essa parte do cérebro seria como o nosso cérebro primitivo.
Estudo do cérebro humano

Saiba mais: Quais são as partes do cérebro e suas principais funções?

Um estado vegetativo é um distúrbio duradouro que ocorre quando os hemisférios cerebrais param de funcionar. Portanto, a pessoa deixa de estar consciente de si mesma e do ambiente. No entanto, o cérebro mais primitivo, que continua a manter suas funções vitais, não é afetado.

“Eles não estão inconscientes ou em coma no sentido usual da palavra, estão acordados sem consciência”.
– Jennet e Plum –

Causas do estado vegetativo

Existem várias causas do estado vegetativo, pois qualquer distúrbio que provoque danos cerebrais pode levar a esse estado.

Normalmente, ocorre porque, após o agente causador, a função do tronco encefálico e do diencéfalo é retomada, mas o mesmo não ocorre com a função do córtex cerebral ou a função cortical.

As causas mais comuns são:

  • Trauma na cabeça: por exemplo, um motociclista sem capacete que sofreu um acidente de moto e bateu a cabeça.
  • Um distúrbio que priva o cérebro de oxigênio, como uma parada cardíaca ou parada respiratória.
  • Doença cerebrovascular: por exemplo, uma artéria no cérebro é ocluída, fazendo com que o sangue não chegue até ele e levando a um derrame.

Outras causas podem ser tumores, hemorragias, infecções cerebrais, estágios finais de demências como Alzheimer, etc. Esses distúrbios não prejudicam o cérebro primitivo, mas danificam o córtex cerebral.

Você pode se interessar: Paralisia cerebral: do que se trata?

Sintomas do estado vegetativo

As pessoas em estado vegetativo podem fazer algumas coisas que nos fazem pensar que elas podem estar conscientes, como:

  • Abrir os olhos. O paciente pode alternar os tempos de sono com os olhos fechados, com períodos em que os olhos são mantidos abertos.
  • Eles podem respirar, sugar, mastigar, tossir, engasgar, engolir, emitir sons, etc.
  • Eles podem até mesmo reagir a estímulos fortes, como barulhos, e às vezes parecem sorrir ou franzir a testa.

No entanto, essas reações são realizadas pelo cérebro primitivo sem qualquer consciência. Elas são o resultado de reflexos involuntários básicos que todos os seres humanos têm.

Como podemos saber que os pacientes não estão conscientes?

Para determinar se alguém está consciente, deve haver intenção em suas ações. Essa intenção nos indica que algo está relacionado ao ambiente externo:

  • O paciente pode abrir e fechar os olhos e realizar movimentos oculares, mas estes não têm nenhum objetivo. Os movimentos são aleatórios e independentes dos estímulos à sua frente. Por exemplo, se o paciente estiver com os olhos abertos e colocarmos um lápis na sua frente, ele não o seguirá com os olhos se o movermos.
  • Não realiza nenhum movimento motor voluntário ou intencional. Se ele faz um gesto ou levanta um membro, é porque ele reage a estímulos intensos que nós lhe damos. Eles podem ser, por exemplo, reflexos de despertar e de sobressalto devido a barulhos. O restante dos movimentos serão reflexos primitivos, como sucção, mastigação, deglutição etc.
  • Não consegue falar, não pronuncia uma palavra sequer. Se emitir algum som, será um tipo de grunhido ou outro ruído primitivo.
  • Se receber uma ordem verbal ou escrita, não a obedecerá, não reagirá a ela.
  • Apresenta incontinência urinária e fecal.

Portanto, vemos que o paciente não está ciente de nada, mas seu coração e pulmões continuam funcionando. Ou seja, ele pode manter sua pressão arterial e funções cardiorrespiratórias.

Estado vegetativo

Diagnóstico

O diagnóstico é baseado na avaliação dos sintomas pelo médico. Embora o paciente apresente toda a clínica de um estado vegetativo, é necessário observá-lo por um período de tempo para confirmar esse estado. Caso contrário, certos sinais de consciência podem ser negligenciados.

Testes de imagem podem ser feitos para descobrir qual parte do cérebro foi afetada e se ela poderá ser tratada. Para verificar se existe algum tipo de consciência, testes como ressonância magnética funcional ou eletroencefalograma são usados ​​para medir a atividade cerebral.

Infelizmente, esses testes não conseguem detectar a quantidade de consciência que os pacientes têm, apenas detectam se existe uma consciência que não pode ser determinada a olho nu. Esses resultados podem afetar as decisões sobre cuidados de longo prazo e a possibilidade ou não de recuperação.

Prognóstico do estado vegetativo

Geralmente, após mais de um mês, o quadro é considerado um estado vegetativo persistente. No entanto, foi observado que a causa do estado vegetativo, sua duração e a idade do paciente são os fatores que podem alterar o prognóstico.

Alguma recuperação pode ocorrer, embora o quadro tenha sido considerado permanente, mas sempre será mínima, com grandes consequências residuais e uma baixa qualidade de vida.

Tratamento do estado vegetativo

Pessoas em estado vegetativo precisam de cuidados abrangentes. Acima de tudo, devemos fornecer as seguintes medidas:

  • Medidas preventivas para problemas devido à imobilização: úlceras ou contraturas podem ocorrer nas áreas onde estão apoiadas. Além disso, o sangue fica estagnado nas veias, causando trombos ou coágulos sanguíneos. Para evitar isso, o paciente deve ser movido passivamente.
  • Boa nutrição: através de tubos que vão da boca/nariz ao esôfago ou diretamente ao estômago. Os nutrientes também podem ser administrados por via intravenosa.
  • Boa limpeza dos tubos e do paciente para evitar infecções.

A possibilidade de não recuperação

Nesses pacientes, a recuperação é improvável. Médicos, familiares e algumas vezes o comitê de ética do hospital devem discutir como o paciente será tratado. Os desejos do paciente sobre esses tratamentos devem ser considerados se forem conhecidos ou escritos em testamento.

  • Domínguez Roldán, J., Domínguez Morales, M., & León Carrión, J. (2001). Coma y Estado vegetativo: aspectos médico legales. Revista Española de Neuropsicología.
  • Declaración de la Asociación Médica Mundial sobre el Estado Vegetativo Persistente – WMA – The World Medical Association. (n.d.). Retrieved April 10, 2020, from https://www.wma.net/es/policies-post/declaracion-de-la-asociacion-medica-mundial-sobre-el-estado-vegetativo-persistente/
  • Aspectos puntuales del estado vegetativo persistente. (2013). Medisan.
  • Ruscalleda, J. (2014). Estado vegetativo persistente. Aspectos clímicos. Medicina Intensiva. https://doi.org/http://dx.doi.org/10.1016/S0210-5691(04)70033-9
  • Estado vegetativo y estado mínimamente consciente – Trastornos neurológicos – Manual MSD versión para profesionales. (n.d.). Retrieved April 10, 2020, from https://www.msdmanuals.com/es-es/professional/trastornos-neurológicos/coma-y-deterioro-de-la-conciencia/estado-vegetativo-y-estado-mínimamente-consciente?query=estado vegetativo persistente