Escola coloca bolas de tênis nos pés das cadeiras para abafar ruídos que incomodavam aluno autista

Pessoas no espectro do autismo possuem uma alta sensibilidade a ruídos. Às vezes esse incômodo pode ser solucionado com criatividade e boa vontade, como no caso que mostramos no artigo de hoje.
Escola coloca bolas de tênis nos pés das cadeiras para abafar ruídos que incomodavam aluno autista

Última atualização: 06 junho, 2022

Pessoas que possuem Transtorno do Espectro Autista (TEA), geralmente têm bastante sensibilidade a ruídos e luzes fortes. Isso as deixa incomodadas e algumas vezes inquietas, por isso é recomendável minimizar esse tipo de perturbação. Foi o que fez uma escola localizada em Paraná, capital da província argentina de Entre Ríos. A coordenação decidiu colocar bolas de tênis nos pés das cadeiras para abafar os ruídos que incomodavam um aluno autista.

A vida escolar de uma criança com autismo é ainda mais desafiadora, pois, além dos temores clássicos em relação ao ambiente escolar, como fazer novos amigos, etc., essas crianças precisam lidar diariamente com os ruídos provocados, por exemplo, pelas outras crianças e pelo arrastar de cadeiras e carteiras, que para elas são extremamente incômodos.

No entanto, felizmente existem escolas e creches dispostas a encontrar formas criativas de resolver esse tipo de problema, garantindo que todos os seus alunos (autistas ou não) tenham o máximo de conforto e um ambiente tranquilo para aprender e se divertir.

O pequeno Geremias, aluno autista de uma escola em Paraná, é um ótimo exemplo de criança que pôde se desenvolver melhor graças às medidas tomadas por sua mãe, em parceria com a escola. Anni Baldoni, sua mãe, fez uma publicação em suas redes sociais comentando sobre o estresse que o barulho gerado pelas cadeiras e mesas sendo arrastadas provocava em seu filho.

Mesmo com esse incômodo, o menino era um ótimo aluno, com notas e comportamento exemplares. No entanto, como ele sempre comentava com a mãe sobre seu desconforto. Então, ela decidiu fazer a postagem como um desabafo e para sugerir uma solução.

Anni postou fotos de uma possível forma de resolver o problema, que consistia em colocar bolinhas velhas de tênis em cada um dos pés das cadeiras e mesas da sala de aula para, dessa forma, acabar de vez com o ruído incômodo.

A postagem viralizou e chegou ao conhecimento da escola, que fez questão de entrar em contato com a mãe e se oferecer para ajudar a tornar essa ideia realidade.

A união entre pais e escola para garantir conforto ao aluno autista

Anni precisava de ajuda para reunir uma boa quantidade de bolinhas, e foi então que a escola entrou na campanha para ajudar seu aluno autista a ter mais tranquilidade no ambiente escolar. Com essa parceria, foi arrecadada a quantidade necessária de bolinhas, e todas as cadeiras e mesas da classe do menino foram protegidas.

Essa solução foi adotada pelas escolas de toda a região, pois mesmo que os alunos não sejam autistas, essa é uma boa maneira de tornar as salas de aulas mais silenciosas e propícias ao aprendizado e à concentração.

Pode interessar a você...
Dia do autismo: acreditamos num mundo baseado na inclusão e na tolerância
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Dia do autismo: acreditamos num mundo baseado na inclusão e na tolerância

Conviver com o autismo é desafiador, mas todos podemos ajudar para que as pessoas autistas tenham uma vida plena e feliz.