Em que consiste a lavagem gástrica?

5 de novembro de 2019
Quer saber em que casos é realizada uma lavagem gástrica e qual é o procedimento seguido? Hoje você vai descobrir neste artigo.

A lavagem gástrica, como Bugarin et al. apontam, “é uma técnica de descontaminação gastrointestinal”. O objetivo deste procedimento é eliminar as substâncias tóxicas que estão na cavidade gástrica e que estão colocando em risco a saúde do paciente.

As pessoas que tiveram que experimentar lavagem gástrica sabem que não é muito agradável. De fato, é bastante dolorosa e desconfortável. No entanto, às vezes é inevitável ter que passar por esse processo, pois, caso contrário, a morte do paciente pode ocorrer.

Como é feita uma lavagem gástrica?

A maneira de realizar uma lavagem gástrica é sempre a mesma. O procedimento deve ser feito apenas por profissionais treinados. Além disso, deve-se dispor de material adequado como, por exemplo, os que descrevemos em seguida:

  • Tubo gástrico: indispensável para poder realizar a sondagem.
  • Lubrificante solúvel em água: para impedir que o tubo danifique as paredes do esôfago e ajudar a deslizar facilmente.
  • Seringa: para administrar a solução que permitirá a lavagem da cavidade gástrica.
  • Estetoscópio: permite ouvir se a solução está sendo administrada corretamente dentro da cavidade gástrica.
  • Solução de lavagem: é uma solução salina isotônica que geralmente é administrada até 300 ml em adultos e 15 ml em crianças.
  • Equipamento de sucção: é responsável por aspirar o conteúdo da cavidade gástrica.

Também te interessará: Sonda nasogástrica: quando é utilizada?

Passos a seguir

Como a lavagem gástrica é realizada

Agora que conhecemos os elementos necessários para realizar uma lavagem gástrica, veremos as etapas a seguir para que ela tenha o efeito desejado.

Para começar, o paciente geralmente é colocado de lado antes de inserir o tubo gástrico, que deverá estar adequadamente lubrificado, pela boca ou pelo nariz.

Com a ajuda do estetoscópio, o médico ouvirá se o tubo está se aproximando da entrada do estômago ou não. Introduzindo um pouco de ar com a ajuda da seringa a colocação adequada pode ser facilitada para continuar seu caminho até o estômago.

Quando o tubo finalmente chegar ao estômago, a solução de lavagem será introduzida na seringa. Então todo o conteúdo da cavidade gástrica será aspirado. Isso será feito várias vezes repetidamente até ter certeza de que a lavagem está concluída.

Questões a considerar

Alguns problemas que devem ser levados em consideração é que o paciente sempre deve estar de lado na hora de realizar esse procedimento. Além disso, se começar a tossir, deve-se remover imediatamente o tubo gástrico. Caso contrário, isso pode fazer com que ele se afogue.

Além disso, deve-se observar se o líquido que flui através do tubo faz isso facilmente. Se não for esse o caso, é possível que não esteja bem colocado ou que haja algum tipo de pressão sobre qualquer uma de suas partes. Se houver alguma dúvida, ele deve ser removido e reintroduzido.

Ao remover o tubo, deve ser feito de forma suave. Ocasionalmente, durante esses procedimentos, ocorrem espasmos esofágicos. Pode parecer que a sonda ficou presa. É por isso que é tão importante não poupar ao colocar lubrificante quando o tubo é introduzido pela primeira vez.

Após a lavagem, o paciente recebe carvão ativado. Este é um excelente aliado para ajudar na desintoxicação. A quantia dependerá se é um adulto ou uma criança que a receberá.

Descubra: 5 formas de usar o carvão ativado que você não conhecia

Lavagem gástrica nas intoxicações

Mulher com problemas digestivos

A lavagem gástrica é realizada quando ocorre intoxicação. Mas, não é em todas as intoxicações que isso acontece. Para fazê-la, devem ser consideradas intoxicações  agudas que estão colocando em risco a vida do paciente. Estes são alguns dos casos em que é feita uma lavagem gástrica:

  • Ingestão de veneno ou alguma substância potencialmente tóxica.
  • Sobredosagem acidental ou voluntária.

No entanto, uma lavagem gástrica também pode ser realizada se exames envolvendo o estômago forem realizados. É o caso, por exemplo, de uma gastroscopia ou endoscopia.

Uma das consequências de ter sido submetido a uma lavagem gástrica pode ser sofrer distensão abdominal. Por isso, e por ser um procedimento agressivo, é realizada apenas nos casos mencionados.

Você já passou pela experiência de lavagem gástrica? Por fim, como já dissemos, não é algo muito agradável devido à introdução do tubo e à subsequente lavagem do estômago. No entanto, em alguns casos, é inevitável.

  • Seger, D., & Meulenbelt, J. (2004). Position paper: Gastric lavage. Journal of Toxicology – Clinical Toxicology. https://doi.org/10.1081/CLT-200045006
  • Benson, B. E., Hoppu, K., Troutman, W. G., Bedry, R., Erdman, A., Höjer, J., … Caravati, E. M. (2013). Position paper update: Gastric lavage for gastrointestinal decontamination. Clinical Toxicology. https://doi.org/10.3109/15563650.2013.770154
  • Zimmermann-Serret, A., Alcaraz-Bravo, J., Carballo-Alvarez, M., & Fernandez-Vargas, C. (2006). Lavado gastrico . Revista de Enfermeria .