Dieta paleolítica: descubra tudo sobre ela

· 9 de janeiro de 2019
A dieta paleolítica é um tipo de alimentação que tomou muita força recentemente. Aqui lhe explicamos em que consiste.

Se você quiser perder peso de maneira saudável, mudar seu estilo de vida, ser mais forte e cheio de energia, durante cada uma das atividades que faz em sua rotina diária, nós o convidamos a descobrir o que é a popular dieta paleolítica.

Certamente, você já deve estar cansado de ir à Internet com supostas dietas milagrosas que prometem ajudá-lo a perder peso, mas a realidade é que se revelaram um fracasso.

Então, é hora de você saber porque este método de dieta é tão recomendado por especialistas em nutrição.

O que é a dieta paleolítica?

A dieta paleolítica tem o objetivo de nos levar para as nossas origens primitivas. Exatamente a 2,85 milhões de anos atrás. Este método imita a dieta que os homens costumavam seguir no período conhecido como a Idade da Pedra.

Assim sendo, durante a era paleolítica, a dieta dos homens primitivos era sustentada por uma variedade de frutas, tubérculos, vegetais, carnes e outros alimentos que lhes proporcionavam os nutrientes necessários para o organismo.

Nossa genética atual é muito semelhante à dos nossos ancestrais. No entanto, os costumes modernos fizeram com que os alimentos que consumimos estejam cheios de elementos processados, refinados, ou ricos em gordura e açúcares.

Acredita-se que esses produtos tenham influência no desenvolvimento de doenças degenerativas, autoimunes ou crônicas, como as seguintes:

  • Diabetes,
  • Câncer,
  • Problemas cardiovasculares
  • Alzheimer,
  • Doença de Parkinson,
  • Obesidade
  • Infertilidade,
  • Depressão

Veja também: 7 alimentos que não podem faltar na sua cozinha se quiser perder peso

Quais alimentos devo comer?

Em geral, os alimentos que compõem a dieta paleolítica são os seguintes:

Proteínas magras

As proteínas magras são essenciais nesta dieta, porque preservam os nossos músculos fortes, ossos saudáveis, favorecem a nossa função imunitária, e ajudam-nos a perder peso porque nos dão uma sensação de saciedade, que previnem os nossos desejos entre as refeições.

Entre as proteínas magras está a carne de animais de caça, ou criados em liberdade e alimentados com pasto.

No entanto, se você não tiver acesso a esta primeira opção, também pode usar carne convencional de animais alimentados com grãos. No entanto, você deve procurar os cortes mais magros, que são os menos gordurosos.

Peixes e mariscos

De preferência, peixes selvagens, que não foram criados em uma fazenda de peixes. Que além de ser um dos alimentos com maior quantidade de proteínas magras, é uma fonte considerável de nutrientes fundamentais, como os ácidos graxos ômega 3.

Peixes e mariscos na dieta paleolítica

Ovos

Estes têm que vir de aves selvagens que comeram pasto e insetos durante toda a vida, ou que têm um selo de produção ecológica. Se você não quiser prejudicar o seu colesterol, consuma apenas a clara do ovo.

Frutas e verduras

Estas são ricas em vitaminas, antioxidantes, minerais e fitonutrientes, que nos ajudam a prevenir uma série de doenças. Idealmente, eles deveriam ser produtos orgânicos.

Gorduras saudáveis

Você tem várias opções, como óleo de coco orgânico não refinado, manteiga clarificada com lactose baixa ou zero, abacate, óleo de palma não refinado, entre outros.

É provável que estes equilibrem o nível de açúcar no sangue, os hormônios e as vitaminas A, D, E e K. Nozes e sementes também são necessárias para realizar esta dieta.

Diga não a esses alimentos

Se você decidiu aplicar a dieta paleolítica é melhor evitar os seguintes produtos:

  • Primeiramente, os alimentos que contêm glúten, porque são pobres em minerais e vitaminas.
  • Grãos e cereais
  • Legumes
  • Açúcar refinado e adoçantes artificiais.
  • Óleos e gorduras vegetais refinados.
  • Laticínios pasteurizados.
  • Gorduras hidrogenadas
  • Gorduras quimicamente alteradas
  • Molhos como maionese e molho de tomate com adição de açúcar, conservantes, produtos químicos e ingredientes geneticamente modificados.
  • Todos os tipos de produtos com adição de açúcar.
  • Carnes e frangos processados, que contêm hormônios, antibióticos ou ômega-6.
  • Sumos em pó que contêm corantes e ingredientes artificiais.
  • Comida rápida.
  • Bebidas alcoólicas

Você pode estar interessado: Apoie a desintoxicação do seu fígado com este suco de mirtilo e beterraba

Benefícios da dieta paleolítica

Benefícios da dieta paleolítica

O Centro Nacional de Informações Biotecnológicas (NCBI) realizou vários estudos sobre os benefícios da dieta paleolítica em vários cenários:

Melhora o controle glicêmico, e diferentes fatores de risco cardiovascular em pacientes com diabetes tipo 2.

Também beneficia os processos metabólicos e fisiológicos. Além disso, este regime da era primitiva traz outros benefícios para sua saúde:

  • Faz com que você tenha um humor melhor.
  • Você terá mais energia.
  • Evita doenças autoimunes e cardiovasculares.
  • Você perde peso ou o mantém, dependendo das suas necessidades.
  • Você vai se sentir saciado.
  • Vai melhorar seus hábitos de descanso.
  • Reduz as inflamações em geral.
  • Melhora a condição da sua pele.

Em resumo, da próxima vez que você for ao supermercado, não se esqueça de ler de forma detalhada e cuidadosa a lista de ingredientes dos produtos que irá adquirir, mesmo daqueles que são marcados como alimentos saudáveis. Desta forma você será capaz de saber se esses alimentos cumprem as diretrizes que lhe explicamos.

 

  • Pescetto, H. (2013). Dietas especiales. Hospital Andahuaylas.
  • Arana Cañedo-Argüelles, C. (2006). Dietas Vegetarianas. Revista Pediatría de Atención Primaria. https://doi.org/10.1016/j.jada.2009.05.027
  • Marques-Lopes, I., Russolillo, G., Lopes-Rosado, E., & Bressan, J. (2002). Dietas adelgazantes. Anales Del Sistema Sanitario de Navarra.