Descubra tudo o que deve saber sobre a diabetes

A diabetes é uma das doenças mais comuns hoje em dia e, na maioria dos casos, acaba sendo uma doença crônica na qual a insulina não é produzida normalmente.

Atualmente a diabetes não é considerada como um dos males do século, bem como a obesidade ou o sedentarismo.

No entanto, esta condição é uma das mais propagadas em todo o mundo, o que a torna muito perigosa e complexa de controlar.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a diabetes uma pandemia, devido ao um grande número de portadores.

O problema tem sido tão perturbador para essa entidade internacional que foi criado a International Diabetes Federation (IDF) dentro da OMS. Vale ressaltar que a IDF vem trabalhando desde 1950 contra essa doença.

O que é diabetes?Vacina contra diabetesDoença crônica e irreversível presente no metabolismo.

Segundo a OMS,  ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não usa de forma eficaz a que produz.

A IDF nos diz que “A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que age como uma chave que permite que a glicose dos alimentos que comemos passe do sangue para as células do corpo para produzir energia”.

Veja também:  O segredo do povoado onde as pessoas não sofrem de câncer e nem de diabetes

Tipos de diabetes

Também conhecida como a diabetes mellitus, é dividida em três tipos:

·         Diabetes de tipo 1 ou insulinodependente

Segundo a OMS, a causa deste tipo de doença ainda é desconhecida. É caracterizada por insuficiente ou nenhuma produção de insulina, o que requer um fornecimento diário.

Por esta razão, também chamada de diabetes insulinodependente.

·         Diabetes de tipo 2 ou não insulinodependente

É a mais comum em pacientes registrados em todo o mundo e sua existência está associada à inatividade física e ao excesso de peso corporal.

A sua característica comum é baseada em uma utilização ineficaz da insulina.

·         Diabetes gestacionalAparelho para detectar a diabetes

Sua principal característica é o aumento de açúcar no sangue que ocorre durante o período de gestação.

Os valores desta hiperglicemia são mais elevados do que o normal, mas menores do que o estabelecido. Por esta razão não chega a ser uma diabetes comum e é chamada de diabetes gestacional.

Quais são os países mais afetados pela diabetes?

Como mencionado acima, a diabetes é considerada uma das doenças mais comuns deste século.

Isto se deve graças ao acúmulo de casos identificados em todo o planeta; no entanto, existem alguns países com mais casos do que outros.

Aqui apresentamos as nações com maior incidência:

  • China: É um dos países mais populosos do mundo, e por isso é compreensível que a sua cifra seja uma das mais altas nesta doença. Neste país existem cerca de 92 milhões de casos registrados.
  • Índia: Este é um dos países mais populosos, assim como a China e, no seu caso, tem 63 milhões de casos relatados, aproximadamente.
  • Estados Unidos: Em terceiro lugar no pódio das nações com maior incidência de diabetes, encontra-se uma potência mundial, com cerca de 24 milhões de casos oficiais.

Embora os países com mais casos relatados não sejam tão pobres em termos econômicos, os seus números são relativos à sua população.

No entanto, quando falamos sobre a prevalência em cada país, os nomes mudam.

Neste caso a Micronésia aparece em primeiro lugar com 37%. Esta porcentagem inclui a população de 20 a 79 anos.

Recomendamos que você leia:  8 sinais sutis que podem indicar que não estamos bem de saúde

Avanços tecnológicosDispositivo para detectar a diabetes

A ciência médica encabeçada pela IDF tem feito vários estudos, a fim de melhorar as condições de vida dessas pessoas.

Por esta razão, tem sido desenvolvido um adesivo de insulina do tamanho de uma moeda, a fim de substituir as injeções.

É o que indica um  estudo publicado na revista da Academia Americana de Ciências, que fala da descoberta de um grupo de cientistas das Universidades de Carolina do Norte e do Estado da Carolina do Norte.

“Nós fornecemos um adesivo para os diabéticos que funciona de forma rápida, é fácil de usar e feito de materiais não tóxicos e biocompatíveis,” disse o principal autor da pesquisa, Professor Gu Zhen, da Universidade do Estado da Carolina do Norte.

Recomendados para você