Descubra como a cúrcuma ajuda no Mal de Alzheimer

3 de janeiro de 2019
Mesmo que esteja comprovado que a cúrcuma pode melhorar a condição dos pacientes com Alzheimer, devemos saber que cada caso é diferente e que não se trata de um condimento milagroso 

A cúrcuma é um dos condimentos mais conhecidos dentro do catálogo de ingredientes naturais para proteger o corpo e melhorar a saúde.

Provém da Índia e suas aplicações gastronômicas e medicinais se espalharam para muitos lugares do mundo ao longo da história.

Além da curcumina ser a responsável por sua cor característica, participa em mais de 150 atividades terapêuticas.

Isso se deve a sua ação anti-inflamatória e antioxidante que intervém em funções vitais para o corpo, reduzindo os riscos de câncer e outras patologias crônicas.

De fato, estudos asseguram que a cúrcuma tem o poder de cruzar a barreira hematoencefálica, o que a torna promissora na prevenção e tratamento de transtornos neurológicos.

Um dos estudos mais destacados sugere que menos de um grama de cúrcuma por dia, tomado durante três meses, pode favorecer os pacientes com Alzheimer.

Como a cúrcuma ajuda os paciente com Alzheimer?

Paciente idosa que come cúrcuma para evitar o Alzheimer

A doença de Alzheimer está catalogada como a forma mais comum de demência. Caracteriza-se pela perda da função cognitiva.

No mundo existem mais de 26 milhões de pacientes com esta doença. Ainda mais, estima-se que para o ano de 2050 a prevalência se quadruplique.

Até hoje não existe uma cura e os tratamentos com medicamentos convencionais não são muito efetivos para o controle dos sintomas.

Por isso, muitos estão centrando suas pesquisas nos efeitos de controle que ingredientes naturais como a cúrcuma apresentam.

Este condimento natural vem dando resultados positivos sobre os pacientes diagnosticados. Tudo aponta que tem o poder de melhorar sua condição.

Em um estudo titulado “Efeitos da cúrcuma sobre a doença de Alzheimer com sintomas comportamentais e psicológicos de demência”, que foi publicado em 2012, os cientistas descreveram três pacientes com esta doença.

Seus sintomas comportamentais melhoraram depois de receber 100 mg de curcumina por dia durante 12 semanas. 

De acordo com a informação divulgada:

“Os três pacientes mostravam irritabilidade, agitação, ansiedade e apatia, dois pacientes sofriam de incontinência urinária. Foram prescritas cápsulas de pó de cúrcuma e começaram a se recuperar destes sintomas sem nenhuma reação adversa com relações a sintomas e testes clínicos”. 

Os pesquisadores concluíram que tanto os sintomas dos pacientes como a carga de seus cuidadores reduziram. 

Leia mais: 5 dicas para ajudar um paciente com Alzheimer

Propriedades da cúrcuma contra o Alzheimer

Cúrcuma atuando sobre neurônios

De acordo com estudos, a curcumina é a responsável por provocar os efeitos positivos nos pacientes.

Esta substância ativa aumenta a depuração da placa patológica beta-amiloide e, combinada com a vitamina D3, seu processo neuro-restaurador é ainda maior.

  • A curcumina transpassa com facilidade a barreira hematoencefálica.
  • Ali se une com os beta-amiloides, proteínas anormais que foram encontradas no cérebro dos indivíduos com a doença.
  • Suas poderosas qualidades anti-inflamatórias e antioxidantes reduzem os sintomas que se produzem por excesso de inflamação no cérebro e a oxidação celular.

Além disso, a curcumina interfere na expressão de mais de 700 genes. Inibe tanto a atividade como a síntese da cicloxigenase-2 (COX-2) e a 5-lipoxigenase (5-LOX), enzimas que modulam a inflamação.

Saiba mais: Alzheimer pode ser prevenido naturalmente?

Como incluir cúrcuma na dieta?

Chá de cúrcuma

Em síntese, a cúrcuma pode ser adicionada em pequenas quantidades a muitos pratos comuns como as sopas, os ensopados e o arroz.

Além disso, pode ser adicionada nas vitaminas de frutas e vegetais para ter um “extra” de antioxidantes.

Em lojas de produtos naturais podem ser obtidos extratos e suplementos de cúrcumaos quais podem variar em quantidade de curcumina e qualidade.

Ainda mais, uma solução rápida e simples para aproveitar ao máximo suas propriedades é através da preparação de um chá.

Ingredientes

  • 1 colher de cúrcuma em pó (10 g)
  • 1 litro de água

Como preparar?

  • Primeiramente, adicione a colher de cúrcuma em pó em um litro de água fervendo.
  • Em seguida, deixe repousar.
  • Por fim, quando estiver fria, sirva uma xícara de chá e consuma duas vezes por dia.
  • De forma opcional, pode-se adoçar com um pouco de mel.

O consumo habitual de cúrcuma pode reduzir os efeitos do Alzheimer em pacientes diagnosticados, assim como ajuda a evitar o risco nas pessoas saudáveis.

No entanto, não é bom ingerir em quantidades excessivas e tampouco esperar resultados milagrosos.

  • Collino, L. (2014). Curcumina: de especiaria à nutracêutico.
  • Teixeira, F. E. G., Haas, S. E., Giacomeli, R., & Jesse, C. R. (2018). AVALIAÇÃO DE NANOCÁPSULAS DE NÚCLEO LIPÍDICO CONTENDO CURCUMINA EM MODELO ANIMAL DA DOENÇA DE ALZHEIMER. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão10(3).
  • Bassani, T. B. (2017). Estudo dos efeitos da curcumina no modelo de doença de Alzheimer esporádica induzido por injeção intracerebroventricular de estreptozotocina em ratos.
  • Hoppe, J. B. (2013). Mecanismos celulares e moleculares envolvidos no efeito neuroprotetor da curcumina em modelos experimentais da doença de Alzheimer.