Dermatite atópica no bebê, cuidados básicos

21 de julho de 2019
A dermatite atópica no bebê é uma afetação que preocupa muito os pais. Mas com as recomendações certas pode melhorar rapidamente.

A dermatite atópica no bebê é uma das afecções cutâneas mais frequentes que podem aparecer nos primeiros meses de vida. Por se tratar de uma doença crônica, seu principal cuidado será a prevenção e alívio dos sintomas que ocorrem com ela.

A detecção precoce dessa afetação dermatológica favorecerá a conduta dos familiares para reduzir os sintomas e o desconforto que gera.

O que é dermatite atópica no bebê?

Entre os diferentes estágios pelos quais as crianças passam, estão a fase de lactente, a fase infantil ou escolar, e a adolescência. Na medicina, o bebê recebe o nome de lactente para diferenciá-lo de outros estágios.

A dermatite atópica no bebê geralmente começa entre o terceiro e o quinto mês de vida. Nesse estágio essas lesões de pele são mais frequentes. Elas geralmente aparecem em surtos de cerca de seis semanas, embora também possam ser de forma contínua.

É uma doença inflamatória cutânea que apresenta ressecamento na pele como um dos sinais mais significativos em bebês. Este quadro geralmente acompanha coceira ou coceira intensa.

Permanece ativa geralmente até os dois anos, data em que, ou perdura no tempo, ou desaparece. É uma doença infantil e tem um componente hereditário. Por esse motivo, o histórico familiar é um fator a ser levado em conta.

Bebê com dermatite

Leia também: Que alimentos você deve evitar dar ao seu bebê de 9 meses?

Quando consultar o pediatra

A dermatite atópica no bebê não possui características específicas. Ela varia de acordo com cada indivíduo. Por isso é muito difícil diferenciá-la de outras dermatites. Somente seu pediatra pode diagnosticar a dermatite atópica após avaliar os sinais e sintomas do bebê.

É aconselhável consultar o pediatra se uma das seguintes manifestações for observada na criança:

  • Lesões inespecíficas na pele, especialmente na região facial e nas áreas das juntas.
  • Aparecimento das lesões em surtos, ou mantidas ao longo do tempo.
  • Choro frequente do bebê, que pode estar associado à coceira nas áreas afetadas.

Como a dermatite atópica aparece no bebê

A dermatite atópica no bebê pode se manifestar de maneiras diferentes. As mais comuns são aquelas que iremos expor neste artigo.

As lesões geralmente se apresentam nas bochechas, testa, orelhas e couro cabeludo. A partir da região facial, pode se espalhar para o resto do corpo. Elas são geralmente eczemas que causam muita coceira e, às vezes, um certo grau de exsudação.

A dermatite atópica no bebê pode ser acompanhada de sensibilização à proteína de clara de ovo. Por esta razão, os bebês diagnosticados devem ser testados quanto à sensibilização a este alimento.

Você certamente vai querer ler ademais: Como fazer um sabonete caseiro de glicerina, própolis e argila para a dermatite

Cuidados para prevenir a dermatite atópica no bebê

Dermatite atópica no bebê

Para o cuidado da dermatite atópica no bebê é necessária uma boa educação sanitária à família sobre os cuidados específicos:

  • Em primeiro lugar, lave as roupas do bebê com produtos suaves e evite amaciantes.
  • Também, evite o calor, em especial o ar quente. Para fazer isso você deve eliminar tecidos de lã, poliéster, e algumas fibras que favorecem o suor e, portanto, a presença de lesões. Por esse motivo, roupas de algodão devem ser usadas.
  • Por outro lado, coloque umidificadores em regiões onde os níveis de umidade são baixos.
  • Além disso, realize a higiene do bebê com banhos curtos ou duchas, não mais do que 2-3 vezes por semana, pois o excesso de água e a exposição a géis favorecem o aparecimento das lesões. Recomenda-se o uso de gel de pH ácido ou de aveia.
  • Finalmente, aplique cremes emolientes várias vezes ao dia, realizando uma massagem suave, para a penetração adequada na pele.

Tratamento farmacológico

Sem dúvida alguma, há situações em que os sinais ou sintomas que formam a dermatite atópica no bebê requerem tratamentos farmacológicos e acompanhamento pelo médico para evitar complicações:

  • Em primeiro lugar, quando há surtos é necessário ir ao pediatra para determinar o padrão de tratamento anti-inflamatório tópico. Além disso, cremes emolientes usados ​​na fase de prevenção devem ser eliminados.
  • Além disso, deve-se evitar infecções de pele. Elas geralmente aparecem por causa dos arranhões gerados após o aparecimento da coceira. É necessário manter uma higiene adequada. Mediante essa suspeita o pediatra pode recomendar a aplicação de antibióticos tópicos ou sistêmicos.
  • Um dos medicamentos mais prescritos pelos pediatras nessa doença são os corticosteroides tópicos. Por isso, não tenha medo de aplicar corretamente este tratamento, pois proporciona grandes benefícios para o bebê que tem essas afetações.

 

  • Sánchez Pérez, J., & García García, C. (2010). Dermatitis atópica. Medicine. https://doi.org/10.1016/S0304-5412(10)70015-9
  • Martorell, A., & Martorell, C. (2013). Actitud ante el niño afecto de dermatitis atópica. Sección de Dermatología Pediátrica.
  • Mateos, M. (2011). Guía de tratamiento de la Dermatitis Atópica en el niño. In Documento de consenso grupo de expertos.
  • Dammak, A., Guillet, G., & Guillet, S. (2015). Dermatitis atópica del niño. EMC – Tratado de Medicina. https://doi.org/10.1016/s1636-5410(15)72824-2