Decoração com acessórios de cores vibrantes

· 6 de janeiro de 2019
Se você tem pensado nas melhores ideais para decorar um ambiente com cores vibrantes, não pode perder algumas dicas que te daremos neste artigo!

No âmbito da decoração, recorremos às cores vibrantes para dar vitalidade aos espaços. Em outras palavras, supõem uma forma de expressão de bom humor, e alegria. Além disso, oferecem certo ar de descontraído que faz com que as pessoas se sintam jovens, originais e criativas.

Quando pensamos em cores vibrantes, frequentemente, nos sentimos intimidados visto que as associamos diretamente com um arco-íris ou um carnaval. O certo é que estas cores não precisam vir juntas e tampouco de forma exagerada.

De fato, podem oferecer um resultado muito elegante de acordo com a forma como forem usadas.

No reino animal, as cores vibrantes são um sinal de alarme, já que indicam que pode ser perigoso. De tal forma que, ao ver um animal com um aspecto brilhante, saberemos que esconde algum perigo.

Por outro lado, a cor também ajuda as espécies no que diz respeito à reprodução: como é o caso do pavão real macho, que exibe uma plumagem muito mais colorida do que o da fêmea com a finalidade de atraí-la.

As cores vibrantes mais populares

Há cores que são muito mais populares na decoração do que outras, simplesmente por sua relação com a natureza. Por isso, os azuis e os verdes são cores que as pessoas tendem a procurar e incluir em suas vidas.

São chamativas, agradáveis, enérgicas e, claro, fáceis de introduzir em um ambiente harmônico.

Apesar de se considerar que as cores primárias são as principais expoentes de alegria e vitalidade, há tonalidades brilhantes que, com o tempo, adquiriram cada vez mais popularidade tanto em espaços interiores quanto exteriores.

Esse é o caso da cor turquesa, do fúcsia, do púrpura, e certos tons de amarelo e laranja.

Você também pode ler: Acessórios para a sala: aprenda a fazê-los com alguns passos simples

Decorar com cores vibrantes

Como escolher acessórios de cores vibrantes

Certamente, as cores vibrantes oferecem uma margem ampla de improviso. Porém, a amplitude da margem não implica que se tenha que fazer um uso excessivo dos mesmos. Podemos ser divertidos e oferecer um bom contraste inclusive com pequenos detalhes. A questão está em ter uma estratégia e torna-la evidente. Temos de ser consequentes com o que queremos para conseguirmos um bom resultado.

Monocromático ou policromático?

Na hora de decorar com cores vibrantes, é necessário sair do esquema de associação que mencionamos anteriormente; do carnaval ao arco-íris.

A primeira coisa que devemos nos perguntar é o tipo de decoração que queremos atingir e quantas cores queremos adicionar.

Caso queiramos usar apenas uma cor vibrante, devemos saber que o resultado não deixará de ser menos alegre e original.

Por exemplo, se o espaço do qual dispomos e muito simples (tanto em sua estrutura quanto no mobiliário), podemos adicionar a cor para lhe dar a vitalidade que precisa.

Na seguinte imagem pode-se apreciar como a cor azul foi usada para adicionar um design atraente e alegre, sem deixar de ser elegante. Do mesmo modo, a cor oferece estrutura e serve como elemento de coesão.

Decorar cores vibrantes monocromáticas ou policromáticas?

Folclórico ou moderno?

Outra pergunta que devemos fazer na hora de decorar com cores vibrantes é sobre que estilo gostaríamos.

Por um lado, temos a arte folclórica, que oferece cor e familiaridade ao ambiente. E por outro, temos a variante moderna que, em geral, se orienta a peças de uma cor e desenhos geométricos.

A decoração com cores vibrantes de estilo folclórico é muito comum nos países latino americanos, desde o México até a Argentina.

Não só supõe uma tradição, mas também uma forma de libertar a mente do presente, das coisas cotidianas.

De fato, nos países caribenhos a decoração policromática tradicional é muito recorrente tanto em casas quanto nas “casas de praia”.

Leia também: Ideias para uma decoração rústica

A decoração moderna, em contrapartida, oferece outro tipo de colorido e, apesar de ser mais fria do que a folclórica, não deixa de ser acolhedora.

Por exemplo, em um quarto com tendência ao minimalismo, cujas paredes são brancas, pode-se adicionar vários toques de cor: um sofá verde maçã, uma lâmpada de pé cor fúcsia e alguns acessórios em azul turquesa.

Desta maneira, trazemos vitalidade ao quarto sem sobrecarregá-lo.

O importante na hora de decorar com cores é ter clara a estratégia e não ser muito restrito com a margem de improviso. Não devemos ter medo de perder a elegância. Só é preciso querer adicionar contraste e energia a um espaço.

Anime-se e faça testes até encontrar a ideia que realmente encante você!