Curiosidades sobre o odor corporal

· 6 de novembro de 2014
Você acredita que existem certas coisas sobre o odor corporal que possivelmente você não conhecia? Neste artigo te explicamos detalhadamente.

O corpo humano tem cerca de 50 mil glândulas sudoríparas, que têm a capacidade de produzir até 1 litro de suor por dia. Graças a este mecanismo, expulsa-se as toxinas nocivas. As regiões que apresentam maior odor são os pés, a virilha e as axilas. Neste artigo você descobrirá coisas que, até agora não sabia, sobre o odor corporal.

Curiosidades sobre o odor corporal

Você sabia que o odor do seu corpo é único e irrepetível? Assim como o seu DNA ou a suas impressões digitais. Depende de vários fatores, tais como a alimentação ou os processos químicos que se desenvolvem dentro de você.

O aroma de cada pessoa é reflexo do que consome e faz parte de um sistema de comunicação ancestral com os nossos semelhantes. Por isso é que, por exemplo, as mulheres no período mais fértil “cheiram” mais sem praticar esportes e até depois de tomar banho.

Os odores que sentimos ao longo da vida ficam gravados na memória olfativa. Assim, tanto os perfumes como os maus cheiros, podem influenciar no humor e nos incitam a aceitar ou recusar comidas, pessoas e objetos. 

Todos acreditam que o mau odor pessoal se deve unicamente a falta de higiene, entretanto, também é devido a fatores climáticos, hereditários, alimentares e pela ingestão de certos medicamentos.

Nas áreas “mais problemáticas” (pés, virilha e axilas) existem glândulas que se encarregam de produzir mais suor. Além disso são áreas com pouca ventilação, por isso as bactérias permanecem ali e decompõem a transpiração.

curiosidades sobre o odor do pé

A pele é formada por milhões de orifícios chamados de “poros”, que permitem ao corpo respirar. Um duto usado como via de escape para as glândulas sudoríparas. Eles têm a função de produzir esse líquido um pouco salgado que se conhece como suor.

Esta substância tem como objetivo regular a temperatura do corpo e é por isso que transpiramos ao ter febre, por emoções fortes, quando faz calor, quando praticamos exercícios, comemos alguma coisa picante, etc.

Também favorece a eliminação de toxinas, água e sais minerais que não servem.

Dicas para evitar o mau odor corporal

  • Não usar os mesmos sapatos vários dias seguidos sem ventilar.
  • Usar produtos específicos para cada área. 
  • Ao tomar banho, dedicar mais tempo a higiene das regiões “complicadas” (pés, genitais, virilhas e axilas).
  • Usar um sabonete antibacteriano.
  • Secar muito bem o corpo depois de tomar banho, principalmente entre os dedos dos pés.
  • Lavar adequadamente as roupas recorrendo, se for preciso, a desinfetantes especiais.
  • Dar preferência a roupa feita com tecidos naturais como o algodão, para absorver e evaporar o suor.

Como evitar o mau odor corporal

  • Depilar as axilas para evitar que as secreções se decomponha pelas bactérias.
  • Aplicar nas axilas bicarbonato de sódio ou amido de milho para reduzir a transpiração e matar as bactérias.
  • Diminuir a ingestão de carnes vermelhas, gorduras, alho, cebola e bebidas alcoólicas (dar preferência a frutas e vegetais frescos).

Leia também: Remédios naturais à base de bicarbonato de sódio

Alimentos que causam mau odor

Como dito anteriormente, a alimentação tem muito a ver com o odor que desprende do nosso corpo, mais do que a higiene ou a época do ano.

Se você tem problemas com relação aos cheiros corporais, talvez se deva a algo que você está consumindo. Preste atenção a estes alimentos que causam mau odor:

Balas

As bactérias que causam os maus odores adoram as coisas doces. Quando a levedura cresce, o açúcar das guloseimas se transforma em álcool, isto traz como consequência mais acidez do que o corpo necessita. Por isso, o odor se torna mais intenso.

Gordura hidrogenada

É um dos ingredientes dos Fast foods. Outro motivo a mais (além de causar sobrepeso, colesterol, problemas cardíacos, etc) para não consumi-la. A gordura hidrogenada se decompõe rapidamente e causa má digestão, por isso o odor corporal aumenta.

A gordura hidrogenada do fast food piora o odor corporal

Embutidos

O patê ou as salsichas não são bons aliados do aroma corporal. Quando se decompõem (ao fazer a digestão), podem causar acidez estomacal, flatulência, etc. Ou seja, é melhor não consumi-los com tanta frequência, por mais que você goste.

Lácteos

O excesso de leite, iogurte ou queijo é uma das causas do mau odor no corpo. Isto se deve, segundo pesquisas, ao fato de que estes produtos contêm muita proteína (caseína) que ao se decompor produz sulfeto de hidrogênio, uns dos preferidos das bactérias.

Ovo

Uma das razões pelas quais às vezes você tenha odor de “peixe”, é devido a uma desordem genética chamada trimetilaminúria. Um dos agentes que o provocam é o ovo. Não importa se você o consome cru, frito ou em algum preparo. O ovo pode causar mau odor corporal

Temperos

Principalmente a pimenta, mas também outros temperos que se usam na cozinha como, por exemplo, o cardamomo, o cominho e o curry. Prefira os mais suaves, tais como a hortelã, salsa e manjericão.

Saiba mais: Manjericão: conheça suas incríveis propriedades medicinais

Carne

Sobretudo as cernes vermelhas e o peixe. Isto ocorre porque elas demoram muito em passar pelo trato digestivo, e assim apodrecem e liberam gases ruins e toxinas. Estas últimas se transformam em suor e flatulência, gerando o mau odor.

Fibra

Os legumes e os feijões, assim como os grãos integrais, ao se digerirem produzem metano, hidrogênio e dióxido de carbono, que se traduzem em alimento para bactérias e causadores de mau odor corporal. Não se exceda com estes alimentos.

cereais

Café

O seu sabor e cheiro forte tem que se “desfazer” de alguma forma. Além disso, a cafeína, por sua vez, tem efeitos químicos no corpo que produzem uma mudança na quantidade e na maneira de transpirar.

Álcool

Por fim, as bebidas alcoólicas se transportam muito rápido a corrente sanguínea e mudam de forma ao se decompor. Isso acelera o processo de sudoração, embora o odor seja penetrante e fique presente por mais tempo. Alcool

Riquen Mulji, Florêncio Nuno, A. P. (2014). Trimetilaminúria ou Síndrome do odor de peixe podre – RElato de caso e considerções para a prática Cliníca. Rev Port Med Geral Fam.

Ferreira, J. H. T. (2012). Deteção de faces ameaçadoras: efeito dos odores corporais de ansiedade (Master’s
thesis, Universidade de Aveiro).
Faber, J. (2009). Halitose. Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial, 14(3), 14-15.