6 coisas que você deve saber sobre a crosta láctea

12 Julho, 2020
A crosta láctea não é uma alergia, nem ocorre devido à falta de higiene. É um problema estético que, com os cuidados necessários, permanecerá sob controle até desaparecer naturalmente.

A crosta láctea ou dermatite seborreica infantil é relativamente comum em crianças de até três anos de idade e, geralmente, desaparece sozinha. No entanto, é normal que os pais se preocupem quando se deparam com ela.

Por isso, neste artigo, explicaremos algumas questões relacionadas a essa condição.

Crosta láctea

Com o termo crosta láctea, nos referimos a um tipo de dermatite seborreica que ocorre principalmente em bebês. Trata-se do surgimento de crostas ou escamas amareladas grossas na área do couro cabeludo. No entanto, pode aparecer em outras partes do corpo.

Enquanto alguns bebês as apresentam em áreas muito pequenas, em outros elas podem aparecer em toda a cabeça, até mesmo nas sobrancelhas ou nos cílios.

Com relação às causas, a verdade é que muitas ainda estão em estudo. No entanto, os pesquisadores acreditam que essa doença pode ser causada pela produção excessiva de gordura pelas glândulas sebáceas. Além disso, como a seborreia afeta principalmente bebês e adolescentes, o fator hormonal pode desempenhar um papel importante.

De qualquer forma, também existem outros aspectos que podem aumentar a probabilidade de um bebê vir a desenvolver essa condição. Entre eles, podemos destacar climas extremos, pele oleosa, estresse, sistema imunológico enfraquecido, etc.

A seguir, detalharemos quatro coisas que você deve saber sobre a crosta láctea. São perguntas que os pais costumam fazer sobre esta condição. Dessa forma, você vai poder se acalmar e lidar com a situação da melhor maneira.

Coça ou dói?

Embora sua aparência possa dar a sensação de prurido ou dor, a verdade é que a crosta láctea não causa nenhuma dessas sensações no bebê. Se houver irritação, pode ser devido a uma infecção, mas não devido à própria dermatite seborreica.

Este é apenas um problema estético que, na maioria dos casos, desaparece por si só depois de algum tempo.

A crosta láctea é uma alergia?

Testes de alergia
A crosta láctea não é uma reação alérgica, nem pode ser transmitida.

Tradicionalmente, alguns mitos vinculam o aparecimento da crosta láctea a certas alergias alimentares, principalmente ao leite. No entanto, trata-se apenas de uma crença infundada.

Como explicado anteriormente, a dermatite seborreica infantil não está relacionada a reações alérgicas, mas à produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas.

Não deixe de ler: As 9 alergias mais comuns em crianças

É uma doença contagiosa?

Não, a crosta láctea não é uma doença contagiosa. Não é uma infecção de nenhum tipo, nem é causada por bactérias ou vírus; portanto, não pode ser transmitida de uma pessoa para outra.

Embora na maioria dos casos geralmente desapareça após alguns meses, algumas crianças continuam a apresentá-la até os 2 ou 3 anos de idade. Em alguns casos, ela pode voltar repentinamente depois de um tempo.

Ela ocorre devido à falta de higiene?

Crosta láctea em bebês
Embora não seja provocada por causas relacionadas à higiene, uma escovação adequada e o uso de óleos podem ajudar a eliminar a crosta láctea e evitar infecções.

Anteriormente, explicamos que as causas exatas da crosta láctea são desconhecidas. No entanto, sabe-se que ela ocorre devido à produção excessiva de gordura ou sebo pelo organismo. Portanto, ela não é causada por falta de higiene.

Por outro lado, uma vez que aparece, é importante manter certas medidas para evitar infecções. Assim, é conveniente colocar luvas no bebê se ele tende a se coçar, manter as unhas limpas e usar um pente cujas cerdas também estejam limpas.

Leia também: 4 xampus caseiros para acabar com a caspa

Como tratar a crosta láctea?

Na maioria dos casos, nenhum tratamento específico é necessário. A aplicação de azeite de oliva ou óleo de amêndoas juntamente com uma massagem suave na área afetada pode ajudar na eliminação das escamas. Em alguns casos, pode ser necessário deixar o óleo por um tempo para amolecê-las.

De qualquer forma, nunca devemos remover as escamas coçando ou usando escovas. É melhor deixar os óleos as amolecerem para que desapareçam gradualmente por conta própria.

Devo ir ao médico?

É sempre importante ter o aconselhamento do pediatra em assuntos relacionados à saúde dos bebês. Por esse motivo, no caso da crosta láctea, devemos pedir que o pediatra verifique se esse realmente é o diagnóstico ou se pode ser alguma outra doença de pele. Isso pode ser feito na consulta de rotina.

Além disso, o médico pode nos aconselhar a respeito de xampus específicos para bebês ou quais óleos usar.

Procure um especialista se…

Bebê em consulta pediátrica
Em caso de dúvidas ou complicações, devemos ir ao médico para obter o diagnóstico e tratamento adequados.
  • A crosta láctea piora e se espalha para outras partes do corpo, além da cabeça.
  • A seborreia causa irritação e coceira no bebê, e é observada queda de cabelo.
  • A área afetada fica vermelha, está quente ou começa a supurar.
  • Além da seborreia, o bebê tem dificuldades para ganhar peso.

Como você viu, a dermatite seborreica infantil não é uma condição séria. Um pouco de atenção domiciliar é suficiente e, mais cedo ou mais tarde, ela desaparecerá. No entanto, devemos consultar o pediatra para que, além de descartar outros problemas, ele possa indicar profissionalmente como tratá-la. 

  • Organización Mundial de la Salud, Guidelines on the Treatment of Skin and Oral HIV-Associated Conditions in Children and Adults, 2014
  • Thomas Berk y Noah Scheinfeld, “Seborrheic Dermatitis”, P T. 2010 Jun; 35(6): 348–352.
  • Victoire A, Magin P, Coughlan J, van Driel MLVictoire A, Magin P, Coughlan J, van Driel ML.”Interventions for infantile seborrhoeic dermatitis (including cradle cap) (Protocol)”, Cochrane Database of Systematic Reviews, 2014, Issue 11. Art. No.: CD011380