Por que os corticoides engordam?

· 25 de outubro de 2013
Hoje falaremos por que os corticoides podem engordar. Não deixe de ler para saber mais.

Os glicocorticoides (glicose + cortex + esteroides) são hormônios esteroides produzidos pelo córtex da glândula suprarrenal. Neste artigo, falaremos por que os corticoides podem engordar.

O hormônio produzido naturalmente pelo nosso organismo é o cortisol, conhecido como hormônio do estresse, porque sua produção aumenta sempre que nosso organismo se encontra sob estresse físico.

Mas o que o cortisol tem a ver com os corticoides? Simples, os corticoides são mais potentes que o cortisol natural, por isso são tão receitados e eficazes.

Inúmeras doenças podem ser tratadas através do uso de corticoides ou glicocorticoides devido às suas propriedades anti-inflamatórias, antialérgicas e imunossupressoras.

Os fármacos utilizados podem ser naturais, sintéticos ou terem afinidade com receptores dos glicocorticoides naturais.

Mas os corticoides, por mais benéficos e naturais que possam ser, apresentam contraindicações e podem causar problemas se ministrados da maneira errada. Confira.

Descubra: 14 sinais de um nível alto de cortisol

Corticoides aumentam o apetite

O efeito colateral mais visível desse medicamento é aumentar a massa corpórea, ou seja, acumular gordura no corpo. A sua produção se dá quando o corpo se encontra sob estresse.

Ele faz aumentar a produção de glicose (açúcar) e energia no organismo, a fim de prepará-lo para combater a agressão causada pelo estresse físico.

Além do ganho de gordura, também pode levar a alterações do metabolismo da glicose, podendo inclusive induzir ao diabetes.

Leia também: Conheça todos os tipos de diabetes

Efeitos colaterais

Mesmo os atletas sentem as consequências do uso dessa medicação, que provoca inchaço e retenção de líquidos.

Sua ação

O cortisol atua nas funções metabólicas do organismo, no sistema imunológico, na cicatrização, no sistema cardíaco, no crescimento, entre outras. Em níveis normais, são perfeitos para a saúde.

Corticoides sintéticos

Os mais utilizados pela medicina são: prednisona, prednisolona, hidrocortisona, dexametasona, metilprednisolona e beclometasona (via nasal).

Os corticoides sintéticos são mais potentes que os naturais. Com exceção da hidrocortisona, que apresenta potência semelhante. 60 mg de prednisona equivale a 300 mg do cortisol natural.

Indicações do corticoide e da prednisona

Esses dois hormônios agem em processos inflamatórios e imunes do organismo humano, tornando-o forte para enfrentar doenças alérgicas, inflamatórias ou autoimunes, tais como:

  • Asma;
  • Esclerose múltipla;
  • Bronquite crônica e enfisema;
  • Alergias;
  • Hepatites autoimunes;
  • Herpes;
  • Lúpus;
  • Artrite reumatoide;
  • Leucemias e linfomas;
  • Rinite alérgica;
  • Úlceras;
  • Doenças alérgicas da pele, etc.

Doses da medicação

As doses entre 5-10 mg são denominadas doses fisiológicas por aturem no organismo na forma natural do hormônio.

Se a dose aumentar, a prednisona ou outro corticoide produz efeitos imunossupressores; isso se dá no tratamento de doenças autoimunes e no transplante de órgãos.

Administração dos corticoides

Os corticoides podem ser administrados principalmente pela via oral ou intravenosa, via nasal, através de pomadas, intra-articular (infiltração), em forma de colírio (gotas); tudo dependerá do tipo de problema.

corticoides
Os corticoides também podem ser administrados em forma de colírio (gotas), tudo dependerá do tipo de problema.

Desvantagens do uso dos corticoides a longo prazo

Nas mulheres, é a estética que fica comprometida com o uso prolongado do medicamento; nos homens, a calvície é um dos efeitos dos corticoides;

  • Acnes;
  • Cataratas e glaucomas, se utilizado em doses altas e por muito tempo;
  • Osteoporose;
  • Insônia, perda de memória (se utilizado em doses elevadas por muito tempo);
  • Rouquidão, etc.

Cuidados

Se o hormônio prednisona for utilizado por muitos anos, acarreta perda do hormônio natural produzido pelas glândulas suprarrenais. Os tratamentos que duram menos de 3 semanas não produzem efeitos colaterais agressivos para o organismo.

Portanto, a diminuição das doses no tratamento de doenças com corticoides deve ser lenta e gradual, e você jamais deve fazê-lo sem a prévia consulta com um médico.