Comprimido sublingual de nitroglicerina: para que serve?

O comprimido sublingual de nitroglicerina é um medicamento usado na cardiologia, especialmente em patologias relacionadas às artérias coronárias. Te explicaremos tudo a seguir.
Comprimido sublingual de nitroglicerina: para que serve?

Última atualização: 13 maio, 2022

O comprimido sublingual de nitroglicerina é uma das formas de administração mais utilizadas deste medicamento. A nitroglicerina é uma substância vasodilatadora, ou seja, ela estimula a dilatação dos vasos sanguíneos.

Isso ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo que pode ter sido prejudicado por diversos motivos. A verdade é que este medicamento é de grande importância para certas doenças cardiovasculares, por exemplo no tratamento da angina de peito. Neste artigo explicaremos tudo o que você precisa saber sobre essa substância, e quais são seus principais usos.

O que é o comprimido de nitroglicerina sublingual?

O comprimido sublingual de nitroglicerina é uma forma em que a nitroglicerina é administrada. Essa é uma substância que faz com que os vasos sanguíneos se dilatem. Isso porque ela age relaxando a musculatura lisa que faz parte dos vasos.

Quando a nitroglicerina é administrada, o retorno do sangue ao coração diminui, pois as veias não empurram o sangue com a mesma intensidade. Dessa forma, a quantidade que chega às câmaras cardíacas é menor. Por esse motivo o órgão precisa de menos força para bombear.

Além disso, ao aumentar o calibre das artérias, a pressão arterial também é reduzida. Ela age de forma semelhante nas artérias coronárias (responsáveis por levar o sangue oxigenado ao miocárdio). Isso ajuda o músculo cardíaco a obter o oxigênio necessário para bater adequadamente.

O comprimido sublingual de nitroglicerina permite uma rápida absorção. Quando colocado sob a língua, que é uma área altamente vascularizada, o medicamento passa diretamente para o sangue e começa a agir.

Fluxo sanguíneo para o coração.
O medicamento relaxa a atividade do coração diminuindo a carga de fluxo sanguíneo, o que melhora a eficiência dos batimentos.

Para que ele é utilizado?

Como mencionamos, o comprimido sublingual de nitroglicerina é usado como tratamento para certas doenças cardiovasculares. Conforme explicado no Guia de Prática Clínica da Sociedade Espanhola de Cardiologia, ele é administrado sistematicamente a uma pessoa com dor torácica suspeita de isquemia miocárdica.

A prescrição mais comum de comprimidos de nitroglicerina sublingual é para o tratamento da angina de peito. Esse é um tipo de dor no peito muito semelhante à que ocorre quando há um infarto do miocárdio.

A angina ocorre quando o fluxo sanguíneo para o coração é reduzido. Na maioria dos casos isso se deve, como explicam os especialistas da Mayo Clinic, ao fato de as artérias coronárias estarem estreitadas devido à aterosclerose.

Quando isso acontece, uma sensação de aperto é sentida no peito. A angina se torna evidente em situações nas que a necessidade de oxigênio é aumentada. Por exemplo, durante um exercício ou estresse agudo. De fato, em muitas pessoas o comprimido sublingual de nitroglicerina é usado como prevenção da própria angina.

Como os gatilhos desse tipo de episódio são frequentemente identificados, o comprimido pode ser usado antes de determinadas situações. No caso de alguém ter experimentado angina durante o exercício, pode tomar este medicamento para evitar seu aparecimento na próxima vez.

Outras indicações do comprimido de nitroglicerina sublingual

Conforme explicado na ficha técnica Centro de Informação de Medicamentos, a nitroglicerina sublingual pode fazer parte do tratamento da insuficiência cardíaca congestiva. Essa é uma doença que ocorre quando o coração não consegue bombear o sangue de forma eficaz.

O que acontece é que o sangue se acumula em outras partes do corpo, como os pulmões. É por isso que o músculo cardíaco precisa trabalhar mais para bombear o sangue. A nitroglicerina melhora significativamente este problema.

Um artigo publicado na Revista Cubana de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular comenta que o comprimido sublingual de nitroglicerina também é útil para a realização de um teste ergométrico, chamado de teste de estresse, que consiste na realização de exercícios físicos em uma esteira ou bicicleta ergométrica. Com ele, certos problemas cardíacos ou cardiovasculares são revelados. A droga ajuda a prever se existem vasos sanguíneos afetados.

Como o comprimido de nitroglicerina sublingual é administrado

O comprimido sublingual de nitroglicerina é colocado sob a língua. Essa área é altamente vascularizada, por isso a droga é rapidamente absorvida e passa para o sangue, exercendo sua ação.

É importante ressaltar que esses comprimidos não devem ser mastigados ou engolidos. Deixe-os dissolver na saliva. Às vezes ocorre uma sensação de formigamento ou queimação na boca, mas isso é normal.

A administração varia dependendo de qual é o objetivo. Nos casos em que ele é usado para prevenir a angina, recomenda-se tomá-lo 5 ou 10 minutos antes da atividade desencadeante. O problema é que muitas pessoas desenvolvem uma espécie de tolerância à nitroglicerina.

Por isso, tanto as doses quanto os intervalos devem sempre ser prescritos por um médico. Além disso, é essencial que se o efeito do comprimido de nitroglicerina sublingual estiver diminuindo, o especialista seja consultado.

Se acontecer um ataque de angina, é essencial tomar uma dose neste exato momento, mas se isso já tiver sido indicado com antecedência pelo médico. Se após 5 minutos a dor ou desconforto não desaparecer, uma segunda dose deve ser tomada. Caso não melhore mesmo com essa segunda dose, deve-se ir a um pronto-socorro.

Considerações sobre o comprimido de nitroglicerina sublingual

O comprimido sublingual de nitroglicerina é um medicamento que pode ter diferentes efeitos colaterais. Além disso, em certas pessoas ele não deve ser usado.

Esse medicamento produz vasodilatação significativa. Não atua em um vaso sanguíneo específico, pois seu efeito se estende a quase todo o corpo. É por isso que podem aparecer reações como sensação de tontura ou fraqueza. Em alguns casos, ocorre dor de cabeça e até náuseas e vômitos. Devido à vasodilatação, a pele fica mais quente e avermelhada.

Às vezes a pessoa experimenta visão turva, desmaios e taquicardia. Da mesma forma, a respiração pode ficar mais rápida que o normal e superficial, de modo que não é obtido oxigênio suficiente, reduzindo o efeito pretendido.

Quem não deve tomar nitroglicerina?

O comprimido sublingual de nitroglicerina não pode ser usado em todas as pessoas. Por exemplo, em crianças ele é contraindicado. Não é recomendado o uso em menores de 18 anos.

Da mesma forma, mulheres que estão amamentando seus bebês também não devem usá-lo. De acordo com a Agência Espanhola de Medicamentos, não se sabe se esta substância pode passar para o leite e ser absorvida pela criança.

Pessoas que têm pressão arterial muito baixa ou anemia grave também não devem usar esse medicamento. Se a qualquer momento aparecer uma reação alérgica ou intolerância, é essencial evitá-la.

Interação com medicamentos e drogas

O comprimido sublingual de nitroglicerina provavelmente interage com certos medicamentos e drogas, como o álcool. O álcool reduz a pressão arterial, assim como a nitroglicerina. É por isso que eles não devem ser combinados.

Certos medicamentos antidepressivos, como a amitriptilina, podem alterar a absorção da nitroglicerina. Entre seus efeitos está a sensação de boca seca. Como não há saliva suficiente, o comprimido não se dissolve e não é absorvido corretamente.

Outra interação muito importante é a que ocorre com o sildenafila. Este medicamento é conhecido como Viagra®, e é usado para tratar a disfunção erétil. Tal como acontece com o álcool, ele pode fazer com que a pressão arterial caia muito.

Dor no peito por angina.
As pessoas que sofrem de angina de peito podem ser aconselhadas a usar nitroglicerina para prevenir novos ataques.

Também pode te interessar: O impacto do Viagra nos homens

O tratamento com nitroglicerina sublingual é delicado

O comprimido sublingual de nitroglicerina deve ser tomado exatamente da forma recomendada pelo médico. Quando uma dose maior é ingerida, aparecem dores de cabeça, problemas de visão e falta de ar.

Sendo esse um medicamento que é absorvido por via sublingual, ele não deve ser tomado com nenhum outro alimento ou bebida. Deixe o comprimido dissolver na saliva. Além de debaixo da língua, ele pode ser colocado na bochecha ou nas gengivas.

É essencial tê-lo sempre disponível se esse tratamento já foi estabelecido. No entanto, é importante mantê-lo longe da luz e da umidade.

This might interest you...
5 remédios caseiros para prevenir doenças cardíacas
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 remédios caseiros para prevenir doenças cardíacas

É importante saber como prevenir doenças cardíacas, pois esta é uma das principais causas de mortalidade nos países desenvolvidos.



  • FICHA TECNICA NITROGLICERINA MYLAN 15 MG/24 H PARCHES TRANSDERMICOS EFG. (n.d.). Retrieved December 1, 2020, from https://cima.aemps.es/cima/dochtml/ft/77813/FT_77813.html
  • Portal, J., Rivas Estany, E., Sin Chesa, C., Hernández Acosta, K., & García Barreto, D. (1989). La respuesta a la nitroglicerina en la prueba de esfuerzo diagnóstica de insuficiencia coronaria. Rev. Cuba. Cardiol. Cir. Cardiovasc, 41–50.
  • Angina de pecho – Síntomas y causas – Mayo Clinic. (n.d.). Retrieved December 1, 2020, from https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/angina/symptoms-causes/syc-20369373
  • Ficha técnica Nitroglicerina. (n.d.). Retrieved December 1, 2020, from https://cima.aemps.es/cima/pdfs/es/ft/54272/FichaTecnica_54272.html.pdf
  • Guías de práctica clínica de la Sociedad Española de Cardiología en la angina inestable/infarto sin elevación ST – ScienceDirect. (n.d.). Retrieved December 1, 2020, from https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0300893200751645
  • Cerezo, Paloma Garcimartín. “Nitroglicerina sublingual:¿ qué saben los pacientes con un evento cardiológico isquémico?.” Enfermería en cardiología: revista científica e informativa de la Asociación Española de Enfermería en Cardiología 58 (2013): 35-39.
  • Gómez Padrón, María Virginia, et al. “Trombolisis en el infarto agudo del miocardio: análisis de los tiempos de demora.” Revista Cubana de Medicina 40.2 (2001): 91-95.
  • García Barreto, David, et al. “Diagnóstico preclínico de la aterosclerosis: función endotelial.” Revista cubana de medicina 42.1 (2003): 58-63.