Como tratar a fibromialgia com ervas

· 5 de dezembro de 2014
As pessoas que sofrem dessa condição costumam ter muita sensibilidade a dor. Por isso, te mostramos como tratar a fibromialgia com ervas.

A fibromialgia é uma doença que provoca dores musculares e fadiga. As pessoas que sofrem dessa condição costumam ter algumas regiões do corpo com muita sensibilidade a dor. Por isso, te mostramos como tratar a fibromialgia com ervas.

Normalmente, essas dores acontecem no pescoço, nas costas, nos ombros, nos braços, nas pernas e no quadril. A fibromialgia é muito dolorosa e incômoda, o que faz com que a busca de um tratamento seja muito importante.

Uma grande porcentagem de pessoas que têm fibromialgia (entre 80% a 90% delas) são mulheres.

Entretanto, apesar das causas exatas ainda serem desconhecidas, esta doença frequentemente é associada a eventos traumáticos ou a estresse elevado, lesões recorrentes, mal-estar, assim como doenças.

Apesar de causar muito desconforto e não possui cura, é possível tratar a fibromialgia com ervas.

Como tratar a fibromialgia com ervas

Pimenta Caiena

Descobriu-se que a pimenta caiena tem propriedades que ajudam a tratar o mal-estar causado pela fibromialgia. Entre elas se encontra a capsaicina, que é um analgésico eficaz de origem natural.

De fato, muitos cremes para tratar dores musculares possuem pimenta caiena, devido a sua utilidade para aliviar esses problemas.

Como tratar a fibromialgia com ervas

Para tratar a fibromialgia com essa erva, pode-se tomar um chá de pimenta de caiena misturando a quarta parte de uma colher de chá em uma xícara de água quente.

O melhor é preparar de manhã e beber durante o dia. É muito importante não beber mais de uma xícara por dia. Caso contrário, corre-se o risco de irritar a mucosa severamente.

Saiba mais: Você sabia que existe uma conexão entre o glúten e a fibromialgia?

Hipérico

Outra erva que serve para combater a fibromialgia é o hipérico. Também é conhecida como erva de São João e se trata de uma planta de médio porte que produz uma flor amarela de pétalas longas.

Esta erva é utilizada principalmente para a depressão, já que tem mostrado excelentes resultados a respeito. Devemos lembrar que a depressão é um dos principais sintomas associados a fibromialgia, assim, combatê-la é de grande ajuda.

 Como tratar a fibromialgia com ervas, hipérico

Como se isso não bastasse, além de combater a depressão o hipérico serve para outras coisas, como acalmar a dor e combater a insônia.

A melhor forma de consumir este remédio é através de cápsulas ou suplementos que costumam ser vendidas em lojas de produtos naturais ou farmácias. Algumas pessoas também preparam um chá com as suas flores, de modo que esta última também é uma opção a mais.

O hipérico apesar de ser uma erva, têm interações com medicamentos que podemos tomar, como antidepressivos, anticonceptivos e outros. Por isso, consulte o seu médico ou um farmacêutico para saber se você pode consumi-lo.

Existem falsas crenças que as plantas medicinais são totalmente inofensivas, isso é um erro, pois as plantas são a origem de muitos medicamentos que usamos hoje em dia na forma química.

Leia também: Você conhece os sintomas da fibromialgia?

Harpagófito

Harpagófito, como tratar a fibromialgia com ervas?

O harpagófito é uma planta popularmente conhecida como “garra do diabo”. Isso porque seus frutos são um tipo de cápsula lenhosa com espinhos pontiagudos com a ponta no formato de gancho.

Os componentes desta erva a fazem muito eficaz para combater certas doenças como a artrite. É por isso que começou a ser uma das ervas utilizadas para o tratamento da fibromialgia, tendo excelentes resultados.

A “garra do diabo” tem um efeito analgésico e anti-inflamatório muito potente. Assim, é outra ótima opção para tratar a fibromialgia com ervas, diminuindo as dores causadas.

Além de estimular o apetite, diminui o colesterol, é depurativo e acalma os espasmos intestinais. Para consumi-lo, o comum é aplicar o extrato da planta sobre as regiões de dor, preparar infusões ou comprar cápsulas.

  • Sifuentes-Giraldo, W. A., & Morell-Hita, J. L. (2017). Fibromialgia. Medicine (Spain). http://doi.org/10.1016/j.med.2017.02.004
  • Villanueva, V. L., Valía, J. C., Cerdá, G., Monsalve, V., Bayona, M. J., & De Andrés, J. (2004). Fibromialgia: Diagnóstico y tratamiento. El estado de la cuestión. Revista de La Sociedad Espanola Del Dolor. http://doi.org/10.1111/j.1365-313X.2007.03193.x