Como sobreviver a um infarto se estiver sozinho

22 de dezembro de 2018
A aspirina é anticoagulante, e por isso ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo

O infarto agudo do miocárdio, comumente conhecido como ataque cardíaco, é uma das condições que mais causa mortes em todo o mundo. Se sofrermos um infarto na companhia de outras pessoas, nosso primeiro instinto será pedir ajuda. Mas e se estivermos sozinhos?

Nossas chances de sobreviver a um infarto estão totalmente associadas ao nosso grau de preparo para lidar com ele, principalmente quando não temos ninguém por perto para nos ajudar.

O ataque cardíaco ocorre quando o fluxo de sangue rico em oxigênio para uma determinada parte do coração é obstruído e, com isso, o oxigênio necessário para que esse músculo funcione normalmente não chega.

Se o fluxo sanguíneo não for restaurado rapidamente, esta parte do músculo cardíaco começa a morrer, e a condição pode evoluir para uma parada cardíaca e causar a morte.

Dessa forma, devemos estar preparados para lidar com esta situação da melhor forma possível, e aumentar as nossas chances de sobrevivência.

Como prevenir o infarto?

Como diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar. Os ataques cardíacos podem ser causados pelo hábito de fumar, pressão arterial alta, sedentarismo, colesterol alto e dieta rica em gorduras saturadas e trans.

A melhor maneira de prevenir um infarto é evitando as condutas que podem causá-lo e, fundamentalmente, mantendo hábitos alimentares saudáveis, ingerindo muitas frutas, vegetais, legumes, grãos integrais e proteínas magras.

A prática de atividade física também é importantíssima para a prevenção, e não pode ser esquecida. Caso leve uma vida sedentária, comece a fazer algum tipo de exercício diariamente, mesmo que seja somente uma caminhada, e aumente a intensidade com o tempo. Seu coração agradecerá.

coração

Quais são os sintomas do infarto?

A principal forma de estar preparado para um ataque cardíaco é conhecer bem os sintomas e agir de forma rápida se sentir qualquer um deles.

  • Sensação de aperto no coração
  • Náusea, que costuma ser sentida especialmente por mulheres
  • Falta de ar
  • Dor extrema no peito
  • Palpitações no coração
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Dor na parte superior do abdômen
  • Dor ou desconforto nos braços, mandíbula, pescoço ou dentes
  • Tontura
  • Fraqueza, que pode inclusive evoluir para um desmaio
  • Suor excessivo
  • Sensação muito forte e repentina de mal-estar

Se você ou alguém que conhece estiver sentindo algum deles no dia a dia, vale a pena consultar um cardiologista para investigar o problema e garantir que esteja tudo bem com a saúde do coração.

Descubra: Como prevenir doenças cardíacas na mulher?

Se estes sintomas surgirem de forma repentina e forem muito intensos, são grandes as chances de que se trate de um infarto.

O que fazer diante de um infarto?

O que fazer quando se tem um infarto

Há algumas orientações fundamentais a serem seguidas por quem estiver passando por um ataque cardíaco, principalmente se estiver sozinho.

Recomendamos a leitura: 6 dicas para evitar um derrame

  • Primeiramente, ligue para a emergência imediatamente, mesmo que não tenha certeza de que se trate de um infarto.
    Explique a situação e siga as orientações que forem fornecidas.
  • Se sentir os sintomas enquanto estiver dirigindo, pare o carro imediatamente. É possível ocorrer desmaios rápidos, portanto, mesmo estando muito próximo de um hospital, a recomendação é encostar o carro para não colocar a sua vida e a dos outros em risco.
  • Se possível, tome uma aspirina ao sentir o primeiro sinal de infarto. Essa é capaz de reduzir a coagulação sanguínea e melhorar a circulação.
    Lembre-se de mastigar a aspirina ao invés de engoli-la inteira, para que o efeito seja mais rápido.
  • Enquanto espera pela chegada da ambulância, tente relaxar e se mover o mínimo possível, já que ações bruscas podem piorar ainda mais a situação.
  • Naturalmente, reagimos ao infarto respirando de maneira intensa e rápida, mas deveríamos fazer exatamente o oposto. Tente relaxar e respirar calmamente, para reduzir a velocidade dos batimentos cardíacos.
  • Tente aumentar o fluxo de oxigênio para o coração, mas não faça isso respirando profundamente. Deite no sofá ou no chão e coloque as pernas para cima, já que isso levanta o diafragma e deixa a respiração mais fácil.
    Além disso, fique próximo a um ventilador, ar-condicionado ou brisa fresca, e respire o ar calmamente
  • Não ingira nenhum líquido ou alimento, já que podem causar complicações e dificultar o trabalho dos paramédicos

Conclusão

Caso já tenha sido diagnosticado com alguma doença cardíaca, mantenha sempre seus remédios perto; dependendo da severidade do caso, considere manter um cilindro de oxigênio em casa.

Durante um infarto ou suspeita de um, siga estas recomendações à risca para aumentar suas chances de sobrevivência.

Além disso,  compartilhe-as com sua família e amigos para que todos estejam preparados se caso ocorra enquanto estiverem sozinhos.

  • Damasceno, C. A., & Mussi, F. C. (2010). Fatores de retardo pré-hospitalar no infarto do miocárdio: uma revisão de literatura.
  • Draganov, P. B. (2007). Cartilha de Primeiros-socorros para a Comunidade. São Paulo.