Como saber se tenho anemia?

Saber se você tem anemia não é uma tarefa complicada. A suspeita inicial surge pelos sintomas, e depois os exames laboratoriais virão para confirmar ou descartar esta hipótese.
Como saber se tenho anemia?

Última atualização: 19 Janeiro, 2021

“Como saber se tenho anemia?" Esta é uma pergunta que muitas pessoas fazem a si mesmas. Descobrir a resposta é fundamental em algumas situações particulares da vida, como a gravidez. No entanto, também é fundamental para pessoas que sofrem de sintomas de fadiga e exaustão sem uma explicação aparente.

A suspeita começa com os sinais e continua com os métodos complementares. Para determinar essa condição, o problema não está no aspecto médico em si, mas na maneira como o organismo de cada um reage à falta de hemoglobina.

Portanto, as manifestações clínicas da anemia são diversas em cada paciente, muitas vezes inespecíficas, com sintomas que podem até ser causados ​​por outras patologias. O profissional de saúde será o responsável por reunir as pontas soltas para proceder ao pedido do exame laboratorial competente.

O que é a anemia?

A anemia é a deficiência de glóbulos vermelhos e hemoglobina no sangue. Ambos os componentes têm valores normais que devem ser mantidos ao longo do tempo para que o corpo funcione adequadamente.

Os glóbulos vermelhos são as células sanguíneas que carregam dentro de si a proteína da hemoglobina. São chamados de hemácias e têm uma meia-vida que ronda os 3 meses. Por esta razão, são substituídos a cada 90 dias.

Sua função principal é transportar o oxigênio para os tecidos. Para atender a esse propósito, os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina, uma substância rica em ferro. A forma microscópica dessa proteína permite que ela se ligue ao oxigênio e o transporte, para que seja distribuído e as células possam utilizá-lo em seu metabolismo.

Como podemos ver, tanto os glóbulos vermelhos quanto a hemoglobina estão envolvidos. Além disso, indiretamente, o ferro também tem um papel. Assim, as três vias de ocorrência da anemia são as seguintes:

  • Sangramentos que diminuam a quantidade de sangue circulante.
  • Falta de ferro na dieta, ou dificuldade em absorvê-lo no intestino.
  • Patologias crônicas que alteram a formação de glóbulos vermelhos ou o seu desempenho.
Glóbulos vermelhos no sangue
Os glóbulos vermelhos transportam o oxigênio através da hemoglobina.

Quais sintomas devo observar para saber se eu tenho anemia?

Os sinais e sintomas da anemia são variados e inespecíficos. Saber se você tem anemia a partir deles é difícil, mas eles podem orientá-lo na suspeita para fazer uma consulta ou exame.

Cansaço, fadiga e falta de força são algumas características. À medida que menos oxigênio circula pelo corpo, as células reduzem sua atividade metabólica e se esgotam mais rapidamente. É difícil fazer exercícios, correr e até andar. Atividades do dia a dia, como subir uma escada, podem se tornar complicadas.

O aparelho respiratório, em quadros anêmicos, tenta compensar a falta de transporte de oxigênio ao inseri-lo do exterior. Por isso, há falta de ar e aumento da frequência respiratória.

Saber se alguém tem anemia pela cor da pele é improvável, mas como falamos, é um indicativo. A falta de glóbulos vermelhos leva a uma palidez geral devido à perda de vermelhidão.

Outros sinais de estado anêmico incluem o seguinte:

  • Dor de cabeça
  • Palpitações e taquicardia
  • Tonturas, vertigens e desmaios
  • Sensação de pés frios

Exame de sangue

Assim que houver suspeita de anemia, o médico solicitará uma série de parâmetros bioquímicos, entre os quais o mais determinante será a hemoglobina. Por meio de exames laboratoriais, é possível saber quanta concentração desta proteína há no sangue.

Para um adulto saudável, a hemoglobina no sangue deve variar entre 13 a 18 gramas por decilitro para um homem, e de 12 a 15 para uma mulher. Em crianças, a margem é maior.

Se uma mulher tiver um resultado de hemoglobina menor que 12 gramas por decilitro, ou um homem menor que 13, então estamos diante de um estado anêmico. Em seguida, será necessário determinar qual é a sua origem e qual é o formato dos glóbulos vermelhos para caracterizar a doença. Para isso, é feita uma coleta de sangue.

Exame de sangue para detectar a anemia
A medição da hemoglobina é a chave diagnóstica para determinar os estados anêmicos.

Como saber se eu tenho anemia?

A resposta é que você pode saber se tem anemia, mas não consegue fazer isso magicamente, nem adivinhando. Para o diagnóstico, é preciso medir a hemoglobina sanguínea, e isso se faz em um laboratório.

Se você suspeita de que tem anemia porque está sempre cansado, sua pele parece pálida ou tem dor de cabeça e frio nas extremidades, consulte um profissional. Depois de explicar os sintomas, o médico solicitará os exames pertinentes.

A anemia pode ser tratada em quase todas as suas formas com suplementos de ferro ou eliminando as causas do sangramento. Isso é mais um motivo para não deixar a suspeita passar e tomar uma providência a respeito.

Pode interessar a você...
Anemia ferropriva em crianças: tudo que você precisa saber
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Anemia ferropriva em crianças: tudo que você precisa saber

Uma baixa ingestão de ferro em dietas regulares ou a substituição do leite materno por leite de vaca pode desencadear a anemia ferropriva em crianças.



  • Clark, Susan F. “Iron deficiency anemia: diagnosis and management.” Current opinion in gastroenterology 25.2 (2009): 122-128.
  • Buttarello, M. “Laboratory diagnosis of anemia: are the old and new red cell parameters useful in classification and treatment, how?.” International journal of laboratory hematology 38 (2016): 123-132.
  • Lanzkowsky, Philip. “Classification and diagnosis of anemia in children.” Lanzkowsky’s Manual of Pediatric Hematology and Oncology. Academic Press, 2016. 32-41.
  • Abbaspour N, Hurrell R, Kelishadi R. Review on iron and its importance for human health. J Res Med Sci. 2014;19(2):164‐174.
  • Camaschella C. Iron-deficiency anemia. N Engl J Med. 2015;372(19):1832‐1843. doi:10.1056/NEJMra1401038
  • Lopez A, Cacoub P, Macdougall IC, Peyrin-Biroulet L. Iron deficiency anaemia. Lancet. 2016;387(10021):907‐916. doi:10.1016/S0140-6736(15)60865-0
  • Sheth TN, Choudhry NK, Bowes M, Detsky AS. The relation of conjunctival pallor to the presence of anemia. J Gen Intern Med. 1997;12(2):102‐106. doi:10.1046/j.1525-1497.1997.00014.x