Diástase abdominal: como resolver?

Depois de uma gravidez e do parto, os músculos abdominais sofrem alterações e você pode passar por uma separação na área do abdômen. Isso é conhecido como diástase abdominal. Nós explicaremos por que ela ocorre e algumas soluções para melhorar essa condição.
Diástase abdominal: como resolver?

Última atualização: 08 Janeiro, 2021

A diástase abdominal é a separação dos músculos localizados no abdômen. Ela tem origem no enfraquecimento dos músculos abdominais. Portanto, quando a força e a tensão produzidas pelos músculos diminuem, isso pode causar danos aos tecidos aos quais estão unidos.

Entre os músculos que cobrem o tronco, estão os abdominais ou retos. Eles são divididos em dois, e sua localização é vertical e paralela entre si. Os músculos abdominais estão ligados à linha média ou alba, uma estrutura fibrosa de tecido conjuntivo que contém colágeno.

Portanto, é chamada de diástase abdominal ou diástase dos retos abdominais porque ocorre a separação na linha média dos retos abdominais.

Pode ser detectada em pessoas com obesidade, pessoas que realizam grande esforço físico ou carregam muito peso e, principalmente, está correlacionada com mulheres que tiveram várias gestações e partos normais.

Tipos de diástase abdominal

Quando a mulher está em processo de gravidez, é normal que o abdômen cresça de 7 a 35 centímetros aproximadamente durante os 9 meses. Portanto, provoca um estiramento dos músculos, ocasionando em alguns casos a diástase abdominal. Existem dois tipos de diástase.

Diástase anatômica

A diástase anatômica é um tipo de diástase abdominal que se manifesta quando os músculos do abdômen se rompem. Portanto, isso tem como consequência a protrusão das vísceras. Geralmente, isso acontece ao realizar um esforço físico.

Diástase abdominal

Diástase funcional

A diástase funcional é de tipo simples porque os músculos abdominais não se rasgam. Pelo contrário, nesse caso, a área se torna delicada e deve ser observada por um especialista.

Consequências de apresentar diástase abdominal

Algumas consequências ao desenvolver a diástase abdominal durante a gravidez são:

  • Em primeiro lugar, a diminuição da firmeza do assoalho pélvico, gerando prolapso, incontinência urinária e dor pélvica constante.
  • Abaulamento na área central do abdômen, apresentando-se no momento em que se realiza um esforço físico.
  • Lombalgia.
  • Pouca aderência ao segurar os órgãos internos.
  • Flacidez e desprendimento da área abdominal.
  • Sensação de queimação, má digestão e peso.
  • Por fim, podem surgir hérnias umbilicais, inguinais e abdominais, como mostra esse caso publicado em MediSur.

A deterioração dos músculos abdominais ou a separação deles ocorre principalmente durante a gravidez. Assim, se você suspeitar que tem essa condição, a primeira coisa a fazer é consultar um especialista.

Além disso, você pode seguir algumas das dicas que apresentamos a seguir. No entanto, esses remédios não são uma substituição ao tratamento médico, e sim um complemento, se o profissional autorizar.

Soluções para a diástase abdominal

É importante saber que a pessoa que sofre de diástase abdominal pode não se recuperar completamente. De fato, os músculos perderam grande parte de sua firmeza e não voltarão a ter a mesma força. Algumas maneiras de ajudar a melhorar os músculos abdominais são:

1. Realizar pouco esforço físico

Evite pegar objetos do chão, como moedas, notas ou pequenas coisas que fazem você pressionar a área abdominal. Também é recomendável adquirir o hábito de se levantar da cama de lado para evitar esse tipo de movimento.

2. Praticar exercícios

Mulher fazendo exercícios

Fazer abdominais hipopressivos vai ajudar a recuperar a área e o tônus dos músculos retos. Contudo, como aponta esse estudo publicado na Medicina Naturista, os resultados não são muito significativos, então mais pesquisas ainda são necessárias a esse respeito.

É importante saber que esses exercícios não são os abdominais tradicionais, então será preciso consultar um instrutor especializado nesse tipo de atividade.

3. Uso de cinta

Use uma cinta abdominal. Existem cintas projetadas especificamente para tratar a diástase abdominal. No entanto, você deve ter em mente que não é apropriado usá-la por um período muito longo.

4. Alimentação saudável

Tenha uma alimentação saudável. Com isso você evitará a prisão de ventre. Além disso, ajudará os músculos abdominais e o assoalho pélvico, de modo a não forçá-los excessivamente no momento da evacuação.

Salada de vegetais

5. Fortalecer o assoalho pélvico

É importante tonificar os músculos abdominais e do assoalho pélvico, como aponta esse trabalho publicado na Revista Clínica da Faculdade de Medicina da Universidade da Costa Rica. Existem rotinas especiais para esse tipo de exercício, então você pode ajudar a prevenir o agravamento da diástase abdominal.

No caso em que a diástase abdominal desenvolvida em seu corpo persista, outras soluções que podem ser aplicadas são:

  • Fisioterapia.
  • Eletroestimulação.
  • Cirurgia abdominal.

Talvez você goste: O assoalho pélvico masculino

Algumas dicas que ajudarão com a diástase abdominal

Embora não seja possível prevenir a diástase abdominal, algumas dicas que você pode colocar em prática para evitar que a lesão muscular piore são:

  • Evite carregar peso durante a gravidez.
  • Aplique o mínimo de força possível nas atividades diárias que você faz.
  • Inclua uma grande quantidade de proteína e vitamina C em sua dieta diária.
  • Consuma um litro e meio de água diariamente.

Para concluir, podemos mencionar que algumas mulheres desenvolverão a diástase abdominal durante a gravidez ou após o parto. Essa situação pode ser melhorada ao aplicar as soluções propostas no artigo. No entanto, recomendamos que você nunca ignore sua dieta, exercícios e vá ao médico caso sua situação piore.

Pode interessar a você...
4 exercícios para manter o abdômen em forma
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
4 exercícios para manter o abdômen em forma

A gordura abdominal não é fácil de eliminar e está associada a certas condições de saúde. Faça exercícios para manter o abdômen em forma.