Como evitar que uma ferida infeccione?

O tratamento correto da ferida será essencial para evitar que ela infeccione e leve a complicações maiores. Em alguns casos, pode ser preciso consultar um médico.
Como evitar que uma ferida infeccione?

Última atualização: 21 agosto, 2021

Pequenos cortes ou arranhões superficiais podem ser tratados em casa. Nesses casos em que não é necessário ir ao posto de saúde, é preciso tomar algumas providências para evitar que a ferida infeccione.

Porém, antes de pensar em como curar uma ferida em casa, é preciso analisar as suas características.

Como evitar que uma ferida infeccione?

É importante avaliar se a ferida é muito extensa ou profunda a ponto de exigir atendimento médico. Quando este não é o caso, você pode seguir estas dicas para evitar que a ferida infeccione em casa e, assim, ajudá-la a cicatrizar.

Parar o sangramento

Ferida sangrando

Para começar, ao tratar uma ferida, é preciso lavar bem as mãos com água e sabão. Isso evitará a propagação de germes e bactérias para a pessoa ferida.

Um pano, toalha ou tecido limpo deve ser usado para pressionar levemente a área afetada. A pressão exercida auxilia o processo de coagulação do sangue. O tempo ideal é de 20 a 30 minutos.

Por outro lado, para evitar o sangramento nas extremidades, recomenda-se elevar a parte do corpo lesionada acima do coração:

  • Os braços ou mãos podem ser mantidos para o alto ou podem ser colocados em uma superfície mais alta do que o peito.
  • As pernas ou pés podem ser elevados sobre uma pilha de travesseiros, por exemplo.

Limpeza para evitar que a ferida infeccione

Usar água fria é o ideal. Ele vai arrastar partículas de areia, terra ou qualquer vestígio de sujeira que possa causar uma infecção. A pele ao redor da ferida deve ser lavada com água e sabão e seca com uma toalha.

  • Se alguma partícula permanecer na ferida, ela pode ser removida com cuidado. Faremos isso com uma pinça de sobrancelha previamente esterilizada com álcool.
  • Partículas grandes ou objetos incrustados devem ser removidos por um especialista em saúde. Fazer isso de forma caseira pode piorar a situação.
  • O uso de álcool deve ser evitado, pois pode causar irritação e retardar o processo de cicatrização. Também não é aconselhável limpar as feridas com algodão, pois esse material deixa resíduos.

Aplicar antibióticos tópicos e cobrir a ferida

No mercado existem cremes e pomadas com diferentes princípios ativos para limpar feridas. A função desses cremes é prevenir infecções, não acelerar o processo de recuperação.

Usá-los é a maneira mais eficaz de evitar que a ferida infeccione. Se a ferida for pequena, uma bandagem adesiva pode ser usada.

Ferida no joelho

O curativo

  • Os alérgicos à cola das bandagens adesivas podem optar por usar gaze e esparadrapo. Também existem opções hipoalergênicas no mercado.
  • Ao enfaixar, não é necessário apertar muito. Aplicar muita pressão pode obstruir a circulação.
  • O curativo deve ser trocado diariamente até que a ferida cicatrize. Se ficar sujo ou molhado, também é aconselhável substituí-lo.
  • Evite a tentação de remover o curativo constantemente para ver se a ferida está cicatrizando.

Mantenha a ferida sob observação

Mesmo que todas as etapas necessárias sejam seguidas para evitar que uma ferida infeccione, é melhor permanecer alerta e observar a sua evolução. Se certos sintomas surgirem, é provável que você tenha sido infectado. É melhor procurar ajuda quando a ferida:

  • Não cicatriza.
  • Dói mais.
  • Fica vermelha.
  • Inflama.
  • Apresenta secreções semelhantes a pus.
  • Parece “quente”.
  • Provoca febre.

Que tipos de feridas precisam de atendimento médico?

Certas feridas não devem ser tratadas em casa, pois a vida da pessoa afetada pode ser colocada em risco nessas situações.

Como evitar que uma ferida infeccione?
  • Mordidas de animais: elas têm uma alta probabilidade de infeccionar.
  • Feridas em que a sensibilidade do membro afetado é perdida. Não sentir uma parte do corpo pode ser um indicador de uma lesão grave em um tendão ou osso.
  • Feridas profundas com mais de 5 centímetros. Elas podem exigir pontos.
  • Feridas com objetos que contenham vidro, madeira ou pedras. Tentar remover esses objetos pode causar sangramento.

Recomendamos que você leia: Técnicas básicas para fechamento das feridas

Tratamentos para evitar que uma ferida infeccione

Os tratamentos médicos mais comuns para as feridas infectadas são:

Sutura

  • O médico usa um fio esterilizado para fechar a ferida.
  • Depois, remove os pontos após alguns dias. O tempo vai depender da extensão da ferida.
  • Os pontos nunca devem ser removidos em casa, pois podem ocorrer lesões e infecções.

Bandagens adesivas

Elas mantêm a ferida fechada de forma semelhante à sutura. Não devem ser removidas pelo paciente; somente o médico pode fazer isso.

Adesivos tissulares

Os adesivos tissulares são substâncias que mantêm feridas ou lacerações fechadas. Eles são recomendados para pequenas feridas. Seu uso é ideal em crianças, pois sua aplicação é indolor.

É melhor prevenir do que remediar para evitar que uma ferida infeccione

E você? Já passou por alguma situação em que uma ferida infeccionou? Certamente é algo desagradável e perigoso. Por isso, esperamos que essas dicas sirvam como uma base de informações.

Em qualquer caso, é importante consultar um médico para que ele o oriente da melhor forma possível no tratamento da ferida. É melhor prevenir do que remediar, e evitar que qualquer tipo de lesão infeccione é um dos passos essenciais para curá-las de forma saudável.

This might interest you...
Como as feridas são classificadas
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como as feridas são classificadas

Nem todas as feridas são iguais e, portanto, não têm o mesmo tratamento. Portanto, a classificação das feridas nos ajudará a identificá-las.



  • Diegelmann, R. F. (2004). Wound healing: an overview of acute, fibrotic and delayed healing. Frontiers in Bioscience. https://doi.org/10.2741/1184
  • Ruiz, E. F. (2013). Antisépticos y desinfectantes. Enfermedades Infecciosas y Microbiologia. https://doi.org/10.1093/eurheartj/ehr323
  • Salem, C., Pérez, J. A., Henning, E., Uherek, F., Schultz, C., Butte, J. M., & González, P. (2000). Heridas: Conceptos generales. Cuadernos de Cirugía. https://doi.org/10.4206/cuad.cir.2000.v14n1-15
  • Velázquez RVR, Flores ÁMG, Gómez PBA. Tratamiento de heridas por mordeduras de perro en región craneofacial. Rev Odont Mex. 2013;17(4):247-255.