Como evitar que uma ferida infeccione?

O tratamento correto da ferida será essencial para evitar que ela infeccione e leve a complicações maiores. Em alguns casos, pode ser preciso consultar um médico.
Como evitar que uma ferida infeccione?

Última atualização: 21 Agosto, 2021

Pequenos cortes ou arranhões superficiais podem ser tratados em casa. Nesses casos em que não é necessário ir ao posto de saúde, é preciso tomar algumas providências para evitar que a ferida infeccione.

Porém, antes de pensar em como curar uma ferida em casa, é preciso analisar as suas características.

Como evitar que uma ferida infeccione?

É importante avaliar se a ferida é muito extensa ou profunda a ponto de exigir atendimento médico. Quando este não é o caso, você pode seguir estas dicas para evitar que a ferida infeccione em casa e, assim, ajudá-la a cicatrizar.

Parar o sangramento

Ferida sangrando

Para começar, ao tratar uma ferida, é preciso lavar bem as mãos com água e sabão. Isso evitará a propagação de germes e bactérias para a pessoa ferida.

Um pano, toalha ou tecido limpo deve ser usado para pressionar levemente a área afetada. A pressão exercida auxilia o processo de coagulação do sangue. O tempo ideal é de 20 a 30 minutos.

Por outro lado, para evitar o sangramento nas extremidades, recomenda-se elevar a parte do corpo lesionada acima do coração:

  • Os braços ou mãos podem ser mantidos para o alto ou podem ser colocados em uma superfície mais alta do que o peito.
  • As pernas ou pés podem ser elevados sobre uma pilha de travesseiros, por exemplo.

Limpeza para evitar que a ferida infeccione

Usar água fria é o ideal. Ele vai arrastar partículas de areia, terra ou qualquer vestígio de sujeira que possa causar uma infecção. A pele ao redor da ferida deve ser lavada com água e sabão e seca com uma toalha.

  • Se alguma partícula permanecer na ferida, ela pode ser removida com cuidado. Faremos isso com uma pinça de sobrancelha previamente esterilizada com álcool.
  • Partículas grandes ou objetos incrustados devem ser removidos por um especialista em saúde. Fazer isso de forma caseira pode piorar a situação.
  • O uso de álcool deve ser evitado, pois pode causar irritação e retardar o processo de cicatrização. Também não é aconselhável limpar as feridas com algodão, pois esse material deixa resíduos.

Aplicar antibióticos tópicos e cobrir a ferida

No mercado existem cremes e pomadas com diferentes princípios ativos para limpar feridas. A função desses cremes é prevenir infecções, não acelerar o processo de recuperação.

Usá-los é a maneira mais eficaz de evitar que a ferida infeccione. Se a ferida for pequena, uma bandagem adesiva pode ser usada.

Ferida no joelho

O curativo

  • Os alérgicos à cola das bandagens adesivas podem optar por usar gaze e esparadrapo. Também existem opções hipoalergênicas no mercado.
  • Ao enfaixar, não é necessário apertar muito. Aplicar muita pressão pode obstruir a circulação.
  • O curativo deve ser trocado diariamente até que a ferida cicatrize. Se ficar sujo ou molhado, também é aconselhável substituí-lo.
  • Evite a tentação de remover o curativo constantemente para ver se a ferida está cicatrizando.

Mantenha a ferida sob observação

Mesmo que todas as etapas necessárias sejam seguidas para evitar que uma ferida infeccione, é melhor permanecer alerta e observar a sua evolução. Se certos sintomas surgirem, é provável que você tenha sido infectado. É melhor procurar ajuda quando a ferida:

  • Não cicatriza.
  • Dói mais.
  • Fica vermelha.
  • Inflama.
  • Apresenta secreções semelhantes a pus.
  • Parece “quente”.
  • Provoca febre.

Que tipos de feridas precisam de atendimento médico?

Certas feridas não devem ser tratadas em casa, pois a vida da pessoa afetada pode ser colocada em risco nessas situações.

Como evitar que uma ferida infeccione?

  • Mordidas de animais: elas têm uma alta probabilidade de infeccionar.
  • Feridas em que a sensibilidade do membro afetado é perdida. Não sentir uma parte do corpo pode ser um indicador de uma lesão grave em um tendão ou osso.
  • Feridas profundas com mais de 5 centímetros. Elas podem exigir pontos.
  • Feridas com objetos que contenham vidro, madeira ou pedras. Tentar remover esses objetos pode causar sangramento.

Recomendamos que você leia: Técnicas básicas para fechamento das feridas

Tratamentos para evitar que uma ferida infeccione

Os tratamentos médicos mais comuns para as feridas infectadas são:

Sutura

  • O médico usa um fio esterilizado para fechar a ferida.
  • Depois, remove os pontos após alguns dias. O tempo vai depender da extensão da ferida.
  • Os pontos nunca devem ser removidos em casa, pois podem ocorrer lesões e infecções.

Bandagens adesivas

Elas mantêm a ferida fechada de forma semelhante à sutura. Não devem ser removidas pelo paciente; somente o médico pode fazer isso.

Adesivos tissulares

Os adesivos tissulares são substâncias que mantêm feridas ou lacerações fechadas. Eles são recomendados para pequenas feridas. Seu uso é ideal em crianças, pois sua aplicação é indolor.

É melhor prevenir do que remediar para evitar que uma ferida infeccione

E você? Já passou por alguma situação em que uma ferida infeccionou? Certamente é algo desagradável e perigoso. Por isso, esperamos que essas dicas sirvam como uma base de informações.

Em qualquer caso, é importante consultar um médico para que ele o oriente da melhor forma possível no tratamento da ferida. É melhor prevenir do que remediar, e evitar que qualquer tipo de lesão infeccione é um dos passos essenciais para curá-las de forma saudável.

Pode interessar a você...
Como as feridas são classificadas
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como as feridas são classificadas

Nem todas as feridas são iguais e, portanto, não têm o mesmo tratamento. Portanto, a classificação das feridas nos ajudará a identificá-las.



  • Diegelmann, R. F. (2004). Wound healing: an overview of acute, fibrotic and delayed healing. Frontiers in Bioscience. https://doi.org/10.2741/1184
  • Ruiz, E. F. (2013). Antisépticos y desinfectantes. Enfermedades Infecciosas y Microbiologia. https://doi.org/10.1093/eurheartj/ehr323
  • Salem, C., Pérez, J. A., Henning, E., Uherek, F., Schultz, C., Butte, J. M., & González, P. (2000). Heridas: Conceptos generales. Cuadernos de Cirugía. https://doi.org/10.4206/cuad.cir.2000.v14n1-15
  • Velázquez RVR, Flores ÁMG, Gómez PBA. Tratamiento de heridas por mordeduras de perro en región craneofacial. Rev Odont Mex. 2013;17(4):247-255.