Como detectar os transtornos do espectro autista?

22 de maio de 2018
Os transtornos do espectro autista são condições neurológicas importantes que devem ser diagnosticadas e tratadas por um especialista o mais cedo possível. Da mesma forma, o apoio familiar é fundamental para que a criança atinja seu desenvolvimento.

Os transtornos do espectro autista (TEA) são condições neurológicas que podem causar problemas sociais, comunicacionais e comportamentais significativos nos primeiros anos de vida de um indivíduo.

“Esta é uma criança diferente, de poucas palavras, introvertida. Ela tem dificuldade em fazer amigos e entender as tarefas da escola. No entanto, ela é a melhor no futebol. Ela tem um talento sobrenatural com a bola”.

Talvez o que foi dito acima faça você lembrar de alguém que conhece. Crianças com distúrbios relacionados ao autismo tendem a se comportar de maneira diferente. Mas eles também costumam ter habilidades extraordinárias, habilidades que, se desenvolvidas, poderiam garantir um futuro maravilhoso para o pequeno.

Pessoas com TEA podem repetir certos comportamentos e não aceitar bem mudanças em suas atividades diárias. Além disso, elas têm diferentes maneiras de aprender, prestando atenção ou reagindo às circunstâncias.

Sabe-se que os transtornos do espectro autista (TEAs) incluem muitas condições que costumavam ser diagnosticadas separadamente, como transtorno autista, transtorno invasivo do desenvolvimento sem outra especificação (PDD-NOS) e a síndrome de Asperger.

No entanto, a fim de saber como detectar o transtorno do espectro autista, a genética deve ser deixada de lado. O TEA não é diagnosticado através da presença de marcadores biológicos. Esses distúrbios são determinados através de um processo de observação e análise abrangente do comportamento e desenvolvimento do indivíduo.

No diagnóstico desses transtornos, os profissionais de saúde (neurologistas, psiquiatras, psicólogos) e de educação (psicopedagogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais) devem ser envolvidos para avaliar todos os dados que a família pode fornecer.

Como identificar o transtorno do espectro autista?

Crianças com transtornos do espectro autista fazendo atividades manuais

A maneira pela qual o TEA se manifesta varia muito de um indivíduo para outro, tanto no tipo de alterações quanto na sua gravidade. Mas não se desespere. O importante é estar ciente da condição e ajudar a criança o mais rápido possível. Algumas das características que as crianças com este distúrbio neurológico podem apresentar são:

  • Elas fazem pouco contato visual ou o fazem erraticamente. É comum olhar para o vazio e ficar pensativa.
  • Elas tendem a olhar ou ouvir menos as pessoas ao seu redor.
  • Raramente elas tentam compartilhar objetos ou atividades de que gostam. A criança com TEA tem seu próprio mundo, que a faz feliz e que lhe permite ser como é.
  • Dificuldade em acompanhar conversas.
  • Elas repetem palavras ou frases que ouvem, comportamento chamado de ecolalia.
  • Expressões faciais, movimentos e gestos que não correspondem ao que elas estão dizendo.
  • Um tom incomum de voz que pode soar como se ela estivesse cantando ou um tom monótono semelhante ao de um robô.
  • Problemas em entender o ponto de vista de outra pessoa, o que o impede de prever ou compreender certas ações.

Como os transtornos do espectro do autismo são tratados?

Criança com transtorno do espectro autista

Um tratamento precoce é o mais aconselhável para reduzir os problemas de uma criança com TEA. Deve-se mencionar que existem poucas classes de medicamentos que os especialistas podem usar para tratar essa condição.

Medicamentos para tratar o TEA podem causar problemas de irritabilidade, agressividade, hiperatividade, comportamentos repetitivos, problemas de atenção, ansiedade e depressão.

Portanto, é essencial ter um bom especialista para determinar o programa de tratamento adequado. Da mesma forma, é essencial que a criança não se sinta pressionada ou forçada a agir como os outros.

Reflexão

Menino com transtorno do espectro autista

Aqui no Melhor com Saúde, convidamos você a entender que as diferenças são o que nos torna únicos como seres humanos. Portanto, se você tiver um filho com essa condição, não se sinta envergonhado. Será uma experiência gratificante para o resto de sua vida.

Você mudará como pessoa e se sentirá identificado com a causa. Atualmente, em muitas áreas, luta-se pelos direitos das pessoas que apresentam condições ligadas à capacidade cognitiva.

Nós demos aqui algumas pistas sobre como detectar o transtorno do espectro autista (TEA). Agora, certifique-se de que um especialista confirme a presença de qualquer uma dessas condições. 

Compartilhe essa informação com aqueles que tiverem um filho com as características indicadas. A ajuda dos pais é fundamental nesses casos.

Recomendados para você