Remédios naturais contra a coceira e a ardência vaginal

É importante que a região vaginal seja saudável, sem desconfortos como a coceira ou a ardência. Se você apresentar esses sintomas, consulte um ginecologista para determinar a causa e indicar um tratamento adequado.
Remédios naturais contra a coceira e a ardência vaginal

Última atualização: 11 Novembro, 2020

Tanto a coceira como a ardência vaginal são causadas ​​por diversas condições diferentes. Ocasionalmente, seu gatilho são problemas como secura vaginal ou uso de substâncias químicas irritantes, como sabonetes. Também podem ser causadas ​​por infecções fúngicas, vaginose bacteriana, doenças sexualmente transmissíveis, entre outros.

No entanto, na maioria dos casos não são motivo de preocupação e costumam desaparecer com alguns cuidados básicos. Apesar disso, é sempre bom consultar um ginecologista, principalmente se houver outros sinais de infecção. O profissional que indicará um tratamento com base em sua causa.

Além disso, para aliviar os sintomas, você também pode fazer uso de alguns remédios naturais que podem ser efetivos. No entanto, eles devem ser utilizados ​com cautela e seu uso deve ser interrompido em caso de qualquer reação desfavorável. Descubra-os!

O que pode causar a coceira e a ardência vaginal?

De acordo com uma publicação em Dermatologic Clinics, a coceira e a ardência vaginal são uma das queixas mais comuns entre meninas e mulheres jovens que procuram atendimento com médicos de atenção primária, ginecologistas e dermatologistas. Segundo esse relatório, são sintomas que podem ser causados ​​por fatores que coexistem de maneira simultânea. Entre os mais frequentes estão:

  • Estresse
  • Menopausa
  • Produtos de higiene
  • Micoses ou infecções por fungos
  • Infecções sexualmente transmissíveis (IST)

Remédios naturais para aliviar a coceira e a ardência vaginal

Como a coceira e a ardência vaginal podem estar relacionadas à problemas como infecções e doenças, é necessário consultar um médico ou ginecologista para obter um tratamento eficaz. É importante destacar que em muitos casos os sintomas desaparecem por si só com medidas básicas de higiene.

Compressas geladas

Remédios naturais para aliviar a coceira e a ardência vaginal

As compressas frias, utilizadas de maneira correta, às vezes podem aliviar de forma rápida e temporária a coceira e a ardência vaginal.

Ingrediente

  • 3 cubos de gelo (30 g)

Modo de uso

  • Coloque os cubos de gelo em um pano totalmente limpo e prenda-os com uma fita.
  • Coloque a compressa fria na vagina e deixe por 5 minutos.
  • Descanse 30 segundo e volte a repetir o procedimento.
  • Repita o procedimento até 5 vezes ao dia, durante 5 dias, seguindo o tratamento de base ao mesmo tempo.

Remédios NÃO recomendados para a coceira e a ardência vaginal

Embora tenham sido usados ​​em alguns estudos, não há evidências científicas suficientes para apoiar esses remédios como opções de tratamento para coceira e ardência vaginal. Portanto, o mais recomendável é recorrer ao médico e seguir suas indicações. Caso você queira experimentar algum remédio, como complemento, lembre-se sempre de comentar com o profissional para que ele indique se é adequado para você ou não.

Alho

Um estudo publicado em 2006 na revista Fitoterapia determinou que o alho pode ajudar a combater 18 cepas da Cândida. No entanto, sua eficácia contra infecções ainda é tópico de discussão. Quanto ao seu uso na área genital, as opiniões estão divididas.

Vinagre de maçã

As evidências sobre as propriedades do vinagre de maçã contra as infecções vaginais são limitadas. No entanto, um estudo recente publicado em Scientific Reports, sugere que pode ser eficaz contra fungos como Candida albicans, que causa a candidíase vaginal.

Portanto, pode ser um coadjuvante em caso de coceira e ardência vaginal associadas a esse tipo de infecção. É preciso apenas ter em mente que deve ser diluído em água, pois em seu estado natural pode ser irritante.

Iogurte natural e mel

Os remédios naturais não substituem o tratamento médico e também não são uma cura milagrosa

O uso de iogurte é um assunto polêmico no campo da ginecologia. Enquanto há profissionais que indicam diretamente evitá-lo, outros decidiram se aprofundar em suas possíveis contribuições para determinados casos.

Por exemplo, um estudo publicado na revista Archives of Gynecology and Obstetrics contou com a participação de 129 mulheres grávidas que tiveram infecções fúngicas vaginais. 82 delas foram tratadas com uma solução de iogurte e mel, enquanto 47 receberam tratamento com creme antifúngico de venda livre.

No final, os pesquisadores determinaram que a mistura de iogurte e mel era mais eficaz que o creme. Da mesma forma, um estudo publicado em 2015 mostrou resultados semelhantes.

Se você sentir coceira e ardência, evite aplicar iogurte sem antes consultar seu médico. Lembre-se de que os resultados do referido estudo não são uma norma e, portanto, não abrangem todas as variáveis, em todos os casos.

O que é a melhor coisa a se fazer?

Quando se trata de aliviar um desconforto em uma área tão delicada como a vagina, é melhor consultar o ginecologista. Os remédios caseiros podem parecer uma solução fácil, mas eles não estão isentos de causar reações adversas e é necessário ter muito cuidado ao usá-los. Além disso, deve ficar claro que – em nenhum caso – os remédios podem substituir o tratamento médico.

Se você tiver dúvidas sobre como manter sua saúde vaginal, fale com o seu ginecologista de confiança e tire todas as suas dúvidas. Além disso, lembre-se de sempre manter hábitos de vida saudáveis.

Pode interessar a você...
5 causas da coceira vaginal que você não deve ignorar
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 causas da coceira vaginal que você não deve ignorar

Muitas mulheres não sabem ao certo quais são as principais causas da coceira vaginal, uma condição muito comum. Descubra neste artigo!



  • Foster, D. C. (1993). Vulvitis and vaginitis. Current Opinion in Obstetrics & Gynecology, 5(6), 726–732.
  • READ, J. D. (1962). Vaginitis and vulvitis. Clinical diagnosis and treatment. Journal of the American Medical Women’s Association, 17, 487–490.
  • Yagnik D, Serafin V, J Shah A. Antimicrobial activity of apple cider vinegar against Escherichia coli, Staphylococcus aureus and Candida albicans; downregulating cytokine and microbial protein expression. Sci Rep. 2018;8(1):1732. Published 2018 Jan 29. doi:10.1038/s41598-017-18618-x
  • Bahadoran P, Rokni FK, Fahami F. Investigating the therapeutic effect of vaginal cream containing garlic and thyme compared to clotrimazole cream for the treatment of mycotic vaginitis. Iran J Nurs Midwifery Res. 2010;15(Suppl 1):343–349.
  • Shams-Ghahfarokhi, M., Shokoohamiri, M. R., Amirrajab, N., Moghadasi, B., Ghajari, A., Zeini, F., … Razzaghi-Abyaneh, M. (2006). In vitro antifungal activities of Allium cepa, Allium sativum and ketoconazole against some pathogenic yeasts and dermatophytes. Fitoterapia77(4), 321–323. https://doi.org/10.1016/j.fitote.2006.03.014
  • Williams A. Yogurt: still a favorite for vaginal candidiasis?. J Natl Med Assoc. 2002;94(4):A10.
  • Abdelmonem, A. M., Rasheed, S. M., & Mohamed, A. S. (2012). Bee-honey and yogurt: A novel mixture for treating patients with vulvovaginal candidiasis during pregnancy. Archives of Gynecology and Obstetrics286(1), 109–114. https://doi.org/10.1007/s00404-012-2242-5