Ciprofloxacina: mecanismo de ação e indicações

18 de junho de 2020
A ciprofloxacina é um antibiótico de amplo espectro usado, principalmente, para tratar infecções do trato urinário. Ele deve seu efeito à sua capacidade de inibir a síntese de DNA das bactérias.

A ciprofloxacina é um fármaco com propriedades antibióticas que pertence à família da fluoroquinolona. É um medicamento antibacteriano de amplo espectro, ou seja, é eficaz contra doenças causadas tanto por bactérias gram-positivas quanto gram-negativas.

Esse recurso o diferencia de outros medicamentos da família das quinolonas, uma vez que a maioria é eficaz apenas contra bactérias gram-negativas.

Quanto às suas indicações, geralmente é prescrito para o tratamento de infecções urinárias moderadas, bem como para o tratamento de cistite aguda e infecções do trato respiratório inferior, infecções de pele e infecções ósseas e articulares.

Ciprofloxacina: um antibiótico de amplo espectro?

Cepas resistentes a antibióticos

Os antibióticos podem ser de amplo espectro ou de espectro reduzido. Os primeiros são aqueles que apresentam ação contra bactérias gram-positivas e gram-negativas, enquanto aqueles com espectro reduzido são eficazes apenas contra um tipo de bactéria.

As bactérias gram-positivas e gram-negativas são diferenciadas pelas características de suas membranas celulares. As primeiras possuem uma membrana celular composta por peptidoglicano e uma membrana citoplasmática interna formada por uma dupla camada lipídica.

Por outro lado, as bactérias gram-negativas, além da membrana citoplasmática interna, possuem outra bicamada lipídica na membrana mais externa. Entre as duas membranas existe um espaço chamado espaço periplásmico.

Esse espaço das bactérias gram-negativas é formado pelo peptidoglicano, e é muito maior e mais amplo do que nas bactérias gram-positivas. Como podemos ver, a membrana celular da gram-negativa é mais complexa do que a de sua oposta.

Para saber se uma bactéria é de um tipo ou de outro, diversos testes devem ser realizados em um laboratório. A técnica mais conhecida é a coloração de Gram. A seguir, veremos mais detalhadamente os seguintes aspectos da ciprofloxacina:

  • Farmacocinética.
  • Mecanismo de ação.
  • Reações adversas.

Talvez você possa se interessar: Antibióticos de amplo espectro: para que servem

Farmacocinética: o que acontece com o fármaco no organismo?

Farmacocinética é um termo que engloba os processos de absorção, distribuição, metabolismo e eliminação dos fármacos. Nesse sentido, a ciprofloxacina é um medicamento administrado por via oral, com uma absorção de 70%.

No entanto, é importante saber que substâncias iônicas podem formar quelatos com o fármaco, reduzindo a sua absorção. Além da administração oral, este medicamento também pode ser administrado por via intravenosa.

Em termos de distribuição, as fluoroquinolonas apresentam ampla difusão, com ligação mínima às proteínas plasmáticas.

O metabolismo desse medicamento ocorre no fígado. Foi relatado que pequenas concentrações de quatro metabólitos são eliminadas por via renal, através da urina:

  • Desetilenciprofloxacina.
  • Sulfociprofloxacina.
  • Oxociprofloxacina.
  • Formilciprofloxacina.

Mecanismo de ação: como ela exerce seu efeito no organismo?

A ação dos antibióticos no organismo

A ciprofloxacina deve sua ação antibacteriana ao fato de inibir a síntese de DNA. Para fazer isso, ela se liga às porinas, proteínas que fazem parte da membrana e permitem que o medicamento passe para a célula.

Uma vez dentro da célula, ela se liga à DNA-girase, diminuindo a sua atividade. A DNA-girase é uma enzima que reduz a tensão molecular e permite a replicação do DNA.

Desse modo, inibindo a replicação do DNA da bactéria, impede a sua proliferação, revertendo a infecção. Além disso, as células humanas e de mamíferos contêm uma topoisomerase II, que em altas doses pode ser inibida por essa droga, desencadeando um certo efeito antineoplásico.

Por outro lado, se for administrada com outros fármacos que inibem a síntese proteica, reduz sua ação, pois todas as estruturas em que atua são proteínas.

Leia também: Antibióticos para as infecções urinárias

Reações adversas da ciprofloxacina

As reações medicamentosas adversas mais frequentemente relatadas são náusea e diarreia. No entanto, mencionaremos uma série de reações derivadas de ensaios clínicos e vigilância pós-comercialização envolvendo a ciprofloxacina administrada por via oral e intravenosa:

  • Superinfecções fúngicas.
  • Eosinofilia.
  • Anorexia.
  • Hiperatividade.
  • Dores de cabeça.
  • Tonturas.
  • Distúrbios do sono e do paladar.

Embora pareçam muitas e muito variadas, essas reações são muito raras. Portanto, pode-se dizer que este é um medicamento seguro, com poucas reações adversas quando administrado na dose apropriada.

  • Suárez Olivares, A. T. ; (2011). Uso y abuso del ciprofloxacino. MEDISAN.
  • Araraquara, C., Meyagusku, V. M., Danhier, F., Ansorena, E., Silva, J. M., Coco, R., … Geckeler, K. E. (2014). Desenvolvimento E Caracterização De Ciprofloxacino Ciprofloxacino. Progress in Polymer Science (Oxford). https://doi.org/10.1016/j.progpolymsci.2011.01.001
  • Ramos, A., Ayudarte, F., De Miguel, I., Cuyás, J. M., & Cenjor, C. (2013). Utilización del ciprofloxacino tópico en la otitis media crónica supurada. Acta Otorrinolaringológica Española. https://doi.org/10.1016/s0001-6519(03)78439-8
  • Abel Tobías Suárez Olivares, M., Vivian Vera Vidal, M., & Bruno Zayas Alfonso, J. (2011). FARMACOLOGÍA CLÍNICA Uso y abuso del ciprofloxacino Ciprofloxacin use and overuse. MEDISAN.