7 chaves para tolerar e gerenciar a incerteza

Para tolerar a incerteza, devemos aceitar que ela existe. Desta forma, somos orientados a pensar em termos de recursos e não de deficiências.
7 chaves para tolerar e gerenciar a incerteza

Última atualização: 20 julho, 2022

Isso vai acontecer ou não? E se acontecer? É assim que se apresenta a situação concreta em que não podemos tolerar a incerteza. Perguntas sobre o futuro, sobre cenários remotos que nos desorientam.

No entanto, essa preocupação excessiva lhes dá mais importância. Gera medos e preocupações.

Além disso, funciona na direção oposta: em vez de nos permitir pensar em soluções, nos bloqueia em um beco sem saída. Para aprender a tolerar a incerteza, o principal é aceitar que ela existe.

Trata-se de investigar uma situação para diferenciar aqueles aspectos que estão sob nosso controle, daqueles que nos ultrapassam. É preciso partir desse ponto de humildade; o que também nos ajudará a tolerar melhor a frustração.

Descubra: Mulheres são mais propensas ao estresse

Algumas das chaves ao gerenciar a incerteza são as seguintes.

1. Atuar, não se preocupar

Uma recomendação para tolerar a incerteza é concentrar nossos esforços nos aspectos que podemos prever e antecipar. Dessa forma, tiramos a atenção dessas situações prováveis, que só geram ansiedade e preocupação.

Atuar nos torna proativos. A preocupação nos deixa presos e angustiados.

incerteza ansiedade
A ansiedade da incerteza nos paralisa e alimenta um círculo vicioso.

2. Imaginar a cena temida e associar ela aos nossos recursos

Certamente a situação que lhe causa ansiedade já desfilou repetidamente em sua mente, causando angústia e sensação de perda de controle. Agora, você deve dar um passo adiante e se perguntar quais recursos e pontos fortes você tem para lidar com isso.

Imaginar uma resolução positiva é uma maneira de diminuir o desconforto. Por sua vez, abre-se a porta para propor soluções para o problema.

3. Aprender a identificar emoções e aceitá-las

É necessário saber como nos sentimos em relação a certas questões, que coisas causam certas emoções em nós. Não é essencial que nos mostremos fortes diante dos outros, quando o que precisamos é de contenção.

Aprender a expressar e dominar as emoções, em vez de evitá-las ou fugir delas, nos permite chegar mais bem preparados.

4. Evitar atos compulsivos

Um exemplo muito claro foi o que aconteceu durante a pandemia. De repente, o mundo se viu em uma situação adversa e sem precedentes sobre a qual pouco se sabia.

Era lógico que as primeiras reações fossem de incerteza e angústia. Mas ter a televisão ligada o dia todo para verificar o número de internados era contraproducente: gerava mais ansiedade e mais angústia.

Por esse motivo, é importante evitar comportamentos de resseguro que causem efeito rebote. Por sua vez, é preciso escolher muito bem as fontes que nos informam.

5. Encontre alguns pontos de ancoragem para tolerar a incerteza

Muitas vezes podemos ficar cegos em um caminho ou quando tomamos uma decisão. Mas é possível buscar bases que sirvam de suporte:

  • Família.
  • Amigos.
  • Paixão pelo que fazemos.
  • Vocação.

Todos devem saber o que é importante e onde encontrar refúgio quando a incerteza aparece.

6. Praticar o relaxamento

Por exemplo, através de exercícios respiratórios que nos ajudam a manter a calma. A prática do mindfulness, com sua base de “aqui e agora”, também contribui.

7. Discutir com seus pensamentos

Devemos saber que nossos pensamentos não são a realidade, mas uma construção. Por isso, também temos que ousar discuti-los, entender a suposta verdade sob a qual essas afirmações se escondem e relativizar o que se apresenta como ameaçador.

Muitas vezes, ampliamos alguns aspectos e superestimamos sua utilidade e probabilidade. Outro caminho possível é nos perguntarmos o que estamos perdendo ou o que estamos deixando de lado por pensar tanto em determinado assunto.

Examine os pensamentos para tolerar a incerteza.
Aprender a meditar e observar os pensamentos é uma boa prática contínua que reduz a ansiedade.

As consequências da intolerância à incerteza

Viver em busca de certezas não só nos priva do gozo do presente, mas também transforma o futuro em algo temível. Submete-nos a estados de stress crónico e pode levar-nos a situações complexas:

Existem certas questões que não têm respostas conclusivas, nas quais nem sempre conseguiremos ter o final que desejamos. Quanto mais buscamos e obcecamos por algo, mais inseguros nos sentiremos, pois nos deixaremos levar por vieses cognitivos.

Por fim, como aponta Rebecca Solnit em seu livro A arte de se perder, o fato de não conhecer e se mover em terrenos desconhecidos pode ser a ponta do fio para encontrar uma saída diferente, aprender a olhar as coisas com outros olhos, para nos encontrarmos. Dessa forma, a incerteza pode ser o pontapé inicial para desenvolver nossa criatividade.

Pode interessar a você...
Principais efeitos do desemprego na saúde mental
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Principais efeitos do desemprego na saúde mental

O desemprego pode desencadear alguns efeitos importantes na saúde mental, como estresse, insatisfação, frustração ou perda de confiança.



  • Moscoso, M. S. (2010). El estrés crónico y la Terapia Cognitiva Centrada en Mindfulness: Una nueva dimensión en psiconeuroinmunología. Persona: Revista de la Facultad de Psicología, (13), 11-29.
  • García-Diex, Gustavo, & García-De-Silva, Rafael, & Moñivas, Agustín (2012). MINDFULNESS (ATENCIÓN PLENA): CONCEPTO Y TEORÍA. Portularia, XII( ),83-89.[fecha de Consulta 3 de Julio de 2022]. ISSN: 1578-0236. Disponible en: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=161024437009