13 causas de parto prematuro que vale a pena conhecer

16 Junho, 2020
Quer saber quais são as principais causas que podem desencadear um parto prematuro? Então não perca este artigo!
 

Todas as mães querem que seus filhos nasçam no prazo certo. Inclusive, dar à luz antes da data é um dos principais medos dos futuros pais. Neste artigo, mostraremos quais são as principais causas de parto prematuro, e explicaremos como você pode saber se o seu filho virá ao mundo mais cedo do que o esperado.

Principais causas de parto prematuro

Principais causas de parto prematuro
Alguns fatores de risco, como a hipertensão, estão associados ao trabalho de parto prematuro.

O parto prematuro é o que ocorre antecipadamente, especificamente após a semana 21 e antes da semana 37 de gestação. Os bebês que chegam ao mundo entre as semanas 37 e 40 são considerados “a termo”.

Segundo dados publicados na ABC em 2018, cerca de 29.000 bebês prematuros nascem todos os anos na Espanha. Aqueles que nascem antes da semana 28 têm 65% de chance de sobrevivência, enquanto aqueles que excedem essa instância atingem uma taxa de sobrevivência de 95%. Agora, o que desencadeia um parto prematuro?

As possíveis causas de um trabalho de parto prematuro são muitas e é difícil discuti-las sem avaliar cada caso específico. Em geral, os principais fatores que podem causar trabalho de parto prematuro são:

1. Diabetes gestacional

Diabetes gestacional
Gerencie a diabetes gestacional para evitar complicações na gravidez.
 

A diabetes gestacional é considerada um fator de risco que pode levar ao parto prematuro. No entanto, não há informações conclusivas que garantam que essa condição aumente o risco de o bebê nascer antes do tempo.

2. Doença renal e cardíaca

As condições graves de saúde da mãe podem afetar o curso normal da gravidez. Se a mãe sofre de doença renal ou cardíaca, um parto prematuro pode ser desencadeado.

3. Problemas de tireoide

O hormônio da tireoide é muito importante no desenvolvimento e crescimento do bebê, principalmente no início da gravidez, além de ser vital para o desenvolvimento da placenta. Um estudo realizado pela American Thyroid Association concluiu que as alterações na função da tireoide durante a gravidez podem estar associadas ao parto prematuro.

4. Eclâmpsia e pré-eclâmpsia

A pré-eclâmpsia implica a falta de oxigênio na placenta. Essa condição pode afetar seriamente o curso da gravidez, provocando um parto prematuro e até graves danos à saúde do bebê. Por causa dessa complicação, a mãe pode ter eclâmpsia, uma série de convulsões que podem levar ao coma.

Você pode se interessar: Pré-eclâmpsia e suas complicações na gravidez

5. Descolamento da placenta e placenta prévia

O descolamento da placenta é uma situação rara que ocorre na gravidez quando a placenta se separa da parede do útero. Já a placenta prévia se refere a um posicionamento ruim da mesma. Neste último caso, a placenta geralmente está localizada no colo do útero. Ambas as condições são fatores que podem causar trabalho de parto prematuro.

 

6. Infecções urinárias

As infecções do trato urinário, bem como as infecções vaginais, estão associadas a uma maior possibilidade de parto prematuro. Diferentes estudos observaram que processos inflamatórios podem causar trabalho de parto ou ruptura prematura das membranas.

7. Vícios da mãe (cigarro, álcool ou drogas)

Parar de fumar
Evite os vícios para minimizar os riscos de parto prematuro.

A exposição da mãe a substâncias viciantes pode colocar a gravidez em risco, por estar associada a comportamentos como dieta inadequada, controle pré-natal inadequado e possibilidade de transmissão de doenças virais ou sexualmente transmissíveis.

Além disso, uma pesquisa mostrou que o consumo de certas substâncias tem uma associação direta com o baixo peso do bebê ao nascer, malformações cardíacas, descolamento prematuro da placenta, placenta prévia e parto prematuro.

8. Estresse

Especialistas de Quebec descobriram que as mulheres participantes do estudo que deram à luz antes do tempo apresentaram evidências de um nível de estresse maior entre 10 e 20 semanas do que as mulheres grávidas que tiveram uma gestação a termo.

No entanto, os diferentes estudos que analisaram a relação entre parto prematuro e estresse não alcançaram dados conclusivos. Os pesquisadores argumentam que parece haver uma relação direta, mas ainda são necessárias mais pesquisas.

 

9. Depressão

Alguns médicos afirmam que os casos de trabalho de parto prematuro cuja explicação não foi encontrada podem estar relacionados a quadros de depressão durante a gravidez. Quando isso acontece, o hormônio do estresse (cortisol) é superestimulado, bem como a corticotropina, e essa combinação pode ser o gatilho para o trabalho de parto.

10. Gravidez múltipla

Quando a gravidez envolve dois ou mais bebês, o crescimento do útero pode causar a ruptura do saco amniótico ou causar contrações prematuramente.

11. Hipertensão

Pressão alta na gravidez
A hipertensão é uma das possíveis indicações da pré-eclâmpsia.

A pressão alta durante a gravidez pode complicar a gestação, aumentando o risco de desenvolvimento de pré-eclâmpsia e parto prematuro. Por esse motivo, os especialistas costumam acompanhar de perto as mulheres grávidas com problemas de hipertensão.

12. Idade

As adolescentes grávidas correm um risco maior de dar à luz prematuramente, porque muitas vezes seu próprio desenvolvimento físico ainda não atingiu a totalidade. No caso de gestantes com mais de 35 anos, o risco também aumenta porque outras condições, como diabetes e hipertensão, são mais comuns.

13. Intervalo curto entre as gestações

 

Duas gestações consecutivas podem aumentar o risco de parto prematuro. No entanto, ter duas gestações em pouco tempo não é uma causa conclusiva para o nascimento prematuro do seu filho.

Leia também: Atividade física após o parto: como começar

Sintomas de trabalho de parto prematuro

Causas de parto prematuro
Fique atenta aos sintomas de trabalho de parto prematuro e, em caso de dúvida, consulte o seu médico.

Ao iniciar o trabalho de parto prematuro, você deve ir ao hospital o mais rápido possível. Esta é uma emergência médica que requer atendimento imediato. Os sintomas que podem alertá-la para o início do trabalho de parto são:

  • Contrações fortes e regulares que são mantidas ao longo do tempo: a dor geralmente se irradia para o intestino, pelve e até para as costas.
  • Dor lombar.
  • Cólica semelhante à menstrual, mas mais forte.
  • Pressão no púbis que alerta que o bebê está pressionando para sair.
  • Aumento do corrimento vaginal e expulsão do tampão mucoso.
  • Sangramento vaginal.
  • Rompimento da bolsa.

Você já conhecia essas causas de parto prematuro? Se você tiver dúvidas, não hesite em consultar o seu médico. Ele, melhor do que ninguém, será capaz de responder às suas perguntas e de tranquilizá-la com base na sua condição física.

 
  • NCBI. (2007). Spontaneous preterm delivery and gestational diabetes: the impact of glycemic control. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17429669
  • Ekwo, E. E., Gosselink, C. A., & Moawad, A. (1992). Unfavorable outcome in penultimate pregnancy and premature rupture of membranes in successive pregnancy. Obstetrics and Gynecology, 80, 166–172.
  • The American College of Obstetricians and Gynecologists. (2015). Multiple Pregnancy. Retrieved May 16, 2018, from https://www.acog.org/Patients/FAQs/Multiple-Pregnancy#most External Web Site Policy
  • March of Dimes. (2008, 2010). Preterm labor and birth: A serious pregnancy complication. Retrieved April 23, 2012, from http://www.marchofdimes.com/pregnancy/preterm_indepth.html External Web Site Policy
  • Centers for Disease Control and Prevention. (2018). Births: Final Data for 2016. Retrieved May 16, 2018, from https://www.cdc.gov/nchs/data/nvsr/nvsr67/nvsr67_01.pdf
  • Flores-Ramos, Mónica. Uso de sustancias adictivas durante el embarazo. http://www.scielo.org.mx/pdf/prh/v26n3/v26n3a1.pdf
  • Alirio Ortiz Martíneza,Roberth. Castillo, Alejandro. Relación entre estrés durante el embarazoy nacimiento pretérmino espontáneo. http://www.scielo.org.co/pdf/rcp/v45n2/v45n2a04.pdf