Quais são as causas das aftas na boca?

As aftas na boca são lesões benignas que podem surgir em qualquer parte da mucosa da cavidade oral. Saiba quais são suas causas e conheça algumas medidas preventivas.
Quais são as causas das aftas na boca?

Última atualização: 15 Março, 2021

Você já se perguntou quais são as causas das aftas na boca? Embora nem sempre saibamos qual é a sua origem, certamente você já sentiu os incômodos e a sensibilidade que elas provocam.

Também conhecidas como úlceras orais, as aftas são lesões escavadas, geralmente esbranquiçadas e com uma borda avermelhada, que se apresentam em qualquer parte da mucosa da cavidade oral, como na parte interna das bochechas, na língua ou nas gengivas.

As aftas não são contagiosas, mas são muito incômodas. Seu tamanho é de cerca de cinco milímetros. Uma publicação do Western Journal of Medicine (WJM) indica que aproximadamente 20% da população mundial sofre com as úlceras bucais de forma habitual, sendo esta a lesão bucal mais comum depois das cáries.

Quais são as possíveis causas das aftas na boca?

Dor causada pelas aftas
Estas lesões incômodas podem provocar dor ao comer ou falar. São o resultado de traumatismos, infecções locais e outros fatores.

As causas por trás do surgimento das aftas na boca podem ser muito variadas. Entre as mais comuns citadas pelo WJM, estão as seguintes:

  • Situação de estresse mantida no tempo.
  • Ter sofrido uma infecção, como herpes, varicela ou infecções por fungos, entre outras.
  • Dieta com uma quantidade insuficiente de vitaminas e minerais, o que provoca um enfraquecimento do sistema imunológico.
  • Fricção com próteses ou aparelhos ortodônticos.
  • O hábito de mordiscar a boca.
  • Alterações hormonais, conforme explica uma publicação do Institute for Quality and Efficiency in Health Care.
  • Alergias.
  • Efeitos colaterais de medicamentos.
  • Estomatite.
  • Tabaco.

Além destas causas, também podemos citar algumas patologias sistêmicas. A doença de Crohn, por exemplo, é caracterizada pela presença de úlceras na boca.

O enfraquecimento do sistema imunológico pode ocorrer por diferentes razões, como gripes, tratamentos imunossupressores, doenças autoimunes, etc.

As fontes citadas indicam que a deficiência de vitaminas do complexo B afeta diretamente a saúde bucal, por isso esta carência pode acabar provocando aftas. Os alimentos com um alto teor de vitaminas e minerais são fundamentais para a saúde oral.

Você também pode se interessar: Aftas em crianças: como podemos tratá-las?

Duração das aftas

Após uma ou duas semanas, as aftas costumam desaparecer de forma espontânea sem deixar cicatrizes. Se após 15 dias elas continuarem na boca ou mudarem de tamanho, é muito importante consultar um dentista, já que este pode ser um sinal de outra patologia mais importante.

Como tratá-las?

Existem medicamentos usados para aliviar o incômodo e a dor causados pelas aftas. O dentista irá recomendar o que for mais apropriado dependendo de cada caso. Um estudo de 2014 confirma que o uso de medicamentos como antissépticos e anti-inflamatórios pode ajudar a aliviar o mal-estar.

Enquanto isso, o tratamento com enxaguantes bucais pode proporcionar um alívio temporário. Além disso, é possível conseguir géis com ácido hialurônico que aceleram o processo de cicatrização e que são de grande ajuda para este tipo de lesão. Peça orientações ao seu dentista quanto ao seu uso.

Existem tratamentos caseiros que, segundo as crenças populares, também podem ser úteis para acalmar a dor e diminuir o tempo da lesão na boca. É o caso da infusão de hortelã e dos enxágues com água e sal.

No entanto, embora existam indícios dos efeitos analgésicos e anti-inflamatórios de acordo com um estudo publicado pelo Journal of the International Society of Sports Nutrition, estas opções carecem de evidências científicas quanto à sua segurança e eficácia no tratamento das aftas bucais.

Como prevenir as aftas na boca?

Higiene bucal para prevenir as aftas
A limpeza constante da cavidade bucal costuma ser suficiente para prevenir o surgimento das aftas.

Embora nem sempre seja possível prevenir as úlceras bucais com 100% de eficácia, existem certos hábitos que contribuem para diminuir o risco de que elas apareçam. Os estudos citados mencionam os seguintes:

  • Evitar alimentos apimentados ou excessivamente duros.
  • Manter uma boa higiene bucal.
  • Manter uma dieta equilibrada.
  • Ingerir a quantidade mínima recomendada de água diariamente.
  • Não morder os lábios de maneira intencional, como muitas pessoas costumam fazer em situações de nervosismo ou ansiedade.

Além destas ações cotidianas, também há quem recomende colocar cera nos aparelhos ortodônticos nos primeiros dias de uso, para evitar a fricção que pode acabar provocando as aftas. No entanto, é recomendável seguir as recomendações do odontologista quanto a este tema em particular.

As aftas na boca não costumam ser preocupantes

Na maior parte dos casos, as aftas na boca são benignas e desaparecem em pouco tempo. No entanto, também podem ser um sintoma secundário de certas doenças, o que aumenta a sua recorrência. Por isso, se elas ocorrerem de forma constante ou se forem muito grandes e dolorosas, consulte um médico ou odontologista.

Em última instância, é importante destacar o conselho de seguir um tratamento conservador e evitar os remédios caseiros, na medida do possível. Se o incômodo não desaparecer, consulte o seu dentista para que ele ofereça indicações mais específicas a respeito das causas das aftas na boca e de como curá-las.

Pode interessar a você...
5 remédios para eliminar o herpes labial
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 remédios para eliminar o herpes labial

Saiba como eliminar o herpes labial, que causa pequenas úlceras nos lábios, na boca ou na gengiva. Embora não seja grave, é altamente contagioso.



  • Scully C, Shotts R. Mouth ulcers and other causes of orofacial soreness and pain. West J Med. 2001;174(6):421–424.
  • InformedHealth.org [Internet]. Cologne, Germany: Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG); 2006-. Canker sores (mouth ulcers): Overview. 2019 Aug 15. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK546250/
  • Altenburg A, El-Haj N, Micheli C, Puttkammer M, Abdel-Naser MB, Zouboulis CC. The treatment of chronic recurrent oral aphthous ulcers. Dtsch Arztebl Int. 2014;111(40):665–673. doi:10.3238/arztebl.2014.0665
  • Meamarbashi, A., & Rajabi, A. (2013). The effects of peppermint on exercise performance. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 10(1), 15. https://doi.org/10.1186/1550-2783-10-15