Por que os casos de salmonelose aumentam no verão?

05 Outubro, 2020
A salmonelose é uma patologia bastante conhecida, mas você sabe por que o número de casos aumenta no verão?

O verão está chegando e, com ele, as altas temperaturas e as viagens. Provar alimentos de outras culturas na beira da praia pode ser uma experiência inesquecível, mas não podemos ignorar que existe um certo risco inerente de comer alimentos que não são controlados pelos protocolos de saúde. Um turista mais ousado pode acabar sendo vítima de salmonelose.

As bactérias causadoras de salmonelose, do gênero Salmonela, estão presentes em todas as épocas do ano. No entanto, o número de casos dessa intoxicação alimentar aumenta no verão. Por quê? A seguir, veremos a resposta.

Conhecendo a bactéria salmonela

A salmonela é um gênero bacteriano constituído por bacilos gram negativos anaeróbicos facultativos, ou seja, eles podem obter energia na ausência de oxigênio. Essas bactérias geralmente são chamadas de salmonela. Infelizmente, o habitat natural desses microrganismos é o intestino de qualquer tipo de animal de sangue quente, incluindo os humanos.

Existem várias cepas de salmonela, já que foram descobertos mais de 2.500 sorotipos. A maioria pertence à espécie Salmonella entérica, que representa mais de 99% dos casos de salmonelose em humanos.

A salmonelose não ocorre de maneira simples, pois essas bactérias geralmente não suportam o pH ácido do estômago e podem morrer antes de atingir o intestino. Aquelas que resistem precisam enfrentar a flora bacteriana e o rápido trânsito intestinal.

Apenas uma pequena porcentagem desses microrganismos patogênicos consegue aderir e se reproduzir na mucosa intestinal. É então que o quadro patológico característico começa:

  • Diarreia frequente.
  • Febre.
  • Dor abdominal.
Mulher com diarreia

Leia também: Objetos domésticos que acumulam bactérias

Por que os casos de salmonelose aumentam no verão?

A resposta é simples: altas temperaturas aumentam a taxa de crescimento bacteriano da salmonela. Temos que ver o crescimento bacteriano em uma superfície como uma montanha-russa:

  • Há uma fase de adaptação em que as bactérias colonizam o meio em que os alimentos crus e não refrigerados foram depositados.
  • Então, há um crescimento exponencial, no qual cada bactéria dá origem a duas células filhas por uma técnica chamada de fissão binária. Um ambiente favorável, neste caso, uma temperatura mais alta, acelera o crescimento exponencial de salmonela.
  • Depois disso, há uma fase estacionária, ‘o platô da montanha’, na qual as bactérias crescem e morrem na mesma proporção devido ao esgotamento de nutrientes. Aqui, o limite da população é atingido.
  • Por fim, começa o declínio, pois a falta de nutrientes e o acúmulo de produtos tóxicos acabam prejudicando a colônia bacteriana.

Assim, quanto maior a carga bacteriana durante as fases exponencial e estacionária, maior o risco de contrair salmonelose se um ser humano for exposto a alimentos contaminados. Ainda assim, não está totalmente claro qual é a quantidade de bactérias que deve ser ingerida para que essa intoxicação se desenvolva; estima-se que de 1 a 10 milhões.

Salmonelose

Não deixe de ler: Bons hábitos de higiene alimentar

Fatores antrópicos e ambientais

Portanto, como já mencionamos, quanto mais alta a temperatura, mais rapidamente as bactérias se reproduzem e mais provável será que uma pessoa ingira uma carga bacteriana grande o suficiente para se contagiar de salmonelose.

Ainda assim, nem todo o risco recai sobre a própria temperatura. Como comentamos anteriormente, existem hábitos que podem aumentar a probabilidade de contágio, como os seguintes:

  • Comer alimentos crus sem controle sanitário.
  • Levar a piqueniques e passeios ao ar livre alimentos crus e sem refrigeração.
  • Comer em locais com baixo nível de higiene, onde os materiais não são limpos e podem conter vestígios de salmonela.

Além disso, existem outros fatores que podem aumentar a incidência de salmonelose a longo prazo. Um estudo publicado na revista Foodborne Pathogens and Disease nos adverte que a mudança climática parece estar correlacionada com o aumento dessas infecções nos Estados Unidos. Isso faz sentido depois do que foi explicado até agora.

Evitar a salmonelose no verão

Em resumo, é inevitável que a salmonela se replique ainda mais durante o verão. No entanto, devemos tomar as medidas de higiene necessárias e usar o bom senso ao escolher estabelecimentos nos quais comer, por exemplo.

O verão é um momento de risco especial considerando os casos de intoxicação alimentar. É importante ter cuidado com o manuseio de alimentos, com a limpeza das mãos e dos utensílios. É sempre melhor prevenir do que remediar.

  • Salmonella, wikipedia. Recogido a 27 de mayo en https://es.wikipedia.org/wiki/Salmonella#Virulencia.
  • Salmonella and food, CDC. Recogido a 25 de mayo en https://www.cdc.gov/features/salmonella-food/index.html.
  • Uribe, C., & Suárez, M. C. (2006). Salmonelosis no tifoidea y su transmisión a través de alimentos de origen aviar. Colombia médica37(2), 151-158.