Como combater o câncer de endométrio?

16 Setembro, 2020
O câncer de endométrio é uma doença que afeta principalmente mulheres na pós-menopausa. As terapias de reposição hormonal aplicadas em algumas dessas mulheres podem promover o surgimento da doença.

O câncer de endométrio se desenvolve quando há células cancerosas no útero, capazes de se dividir e invadir os tecidos adjacentes.

O câncer de endométrio

O câncer é uma doença caracterizada pelo aparecimento de células anormais que apresentam um crescimento descontrolado. A alta proliferação dessas células cancerosas leva ao aparecimento de tumores.

Uma das características do câncer é que as células tumorais são capazes de se dividir e colonizar outros tecidos, resultando no que é conhecido como metástase.

No entanto, os nomes dos diferentes tipos de câncer são dados de acordo com o órgão de origem. Assim, no caso do câncer de endométrio, o órgão afetado é o útero.

O câncer de endométrio é o tipo mais comum de câncer uterino, que afeta o revestimento do útero. Geralmente ocorre após a menopausa e afeta mais as mulheres com obesidade.

Além disso, as terapias de reposição hormonal, que utilizam altas doses de estrogênio sintético, podem promover o desenvolvimento dessa doença.

O sucesso do tratamento do câncer de endométrio depende muito do estágio em que a doença foi encontrada. Quanto mais cedo for detectado, mais eficaz será o seu tratamento.

Fatores de risco

Existem certos fatores de risco que estão relacionados ao desenvolvimento do câncer de endométrio:

  • Ter mais de 50 anos. O câncer de endométrio raramente ocorre em mulheres com menos de 40 anos de idade, pois geralmente aparece após a menopausa.
  • Obesidade. O excesso de peso é um importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer de endométrio.
  • Diabetes.
  • Ser estéril ou não ter filhos.
  • Ter a primeira menstruação muito jovem.
  • Tratamentos hormonais com altas doses de estrogênio ou progesterona.
  • Tratamento com tamoxifeno. O tamoxifeno é um medicamento quimioterápico amplamente utilizado no tratamento do câncer de mama e tem se mostrado um fator de risco para o desenvolvimento do câncer uterino.

No entanto, é preciso levar em consideração que embora estas características ocorram com maior frequência nos casos das mulheres com câncer de endométrio, também há casos em que esse câncer se desenvolve sem a presença de nenhum dos fatores anteriores.

Sintomas do câncer de endométrio

O sintoma mais comum desse câncer é o sangramento vaginal anormal. Esse sangramento pode ocorrer entre os períodos menstruais (sangramento de escape) ou como um sangramento vaginal após a menopausa.

Principalmente no caso de mulheres idosas na pós-menopausa que apresentam sangramento vaginal, é preciso fazer uma consulta ginecológica, pois esse evento pode ser uma manifestação precoce da doença.

É de vital importância estar atenta a esses tipos de sintomas, pois eles podem auxiliar na prevenção precoce da doença, aspecto crucial que determina o sucesso do tratamento.

Possíveis tratamentos

Existem diferentes opções de tratamento para mulheres com câncer de endométrio. Dependendo do estágio da doença, algumas opções ou outras serão avaliadas. Além disso, novas opções de tratamento estão sendo estudadas e implementadas.

Entre os tratamentos mais comuns estão:

Cirurgia

Dentre as cirurgias possíveis, pode-se cogitar a opção de fazer uma histerectomia total, em que todo o útero e até mesmo outros órgãos da região são retirados. Essa opção geralmente é a escolhida em casos avançados, nos quais o câncer está muito espalhado.

Como combater o câncer no útero?

Outras opções menos agressivas envolveriam remover apenas o tecido ou a área onde o câncer foi encontrado. É possível remover os ovários, o colo do útero ou o útero, por exemplo.

Radioterapia

Nesse tipo de tratamento, a radiação de alta energia é usada para destruir as células cancerosas. A radioterapia externa, na qual a radiação é emitida por uma máquina externa ao corpo, ou a radioterapia interna, que utiliza instrumentos colocados na área afetada que emitem radiação diretamente sobre o câncer, podem ser aplicadas.

Quimioterapia para combater o câncer de endométrio

Uma grande variedade de medicamentos é usada na quimioterapia para destruir e prevenir o crescimento de células cancerígenas. A quimioterapia sistêmica pode ser administrada por via oral ou injetável, atingindo todo o corpo. Também há a quimioterapia regional, administrada diretamente na cavidade corporal.

  • World Health Organization. (2013). Comprehensive cervical cancer prevention and control : a healthier future for girls and women. World Health Organisation. https://doi.org/ISBN 978 92 4 150514 7
  • Akin, O., Mironov, S., Pandit-Taskar, N., & Hann, L. E. (2007). Imaging of Uterine Cancer. Radiologic Clinics of North America. https://doi.org/10.1016/j.rcl.2006.10.009
  • Echt, G., Jepson, J., Steel, J., Langholz, B., Luxton, G., Hernandez, W., … Petrovich, Z. (1990). Treatment of uterine sarcomas. Cancer. https://doi.org/10.1002/1097-0142(19900701)66:1<35::AID-CNCR2820660108>3.0.CO;2-V