Qual é o significado dos braços cruzados?

Manter os braços cruzados pode sinalizar muitas coisas diferentes. Hoje, exploraremos 8 razões que explicam este gesto.
Qual é o significado dos braços cruzados?

Última atualização: 12 Novembro, 2021

A linguagem corporal representa cerca de 55% da experiência comunicativa. O que você faz com seu rosto, sua postura e seus braços é tão ou mais importante do que o que você expressa em palavras. Manter os braços cruzados é um dos sinais mais conhecidos e tem várias interpretações.

Às vezes, não há um motivo propriamente dito para manter os braços cruzados. Por exemplo, você pode manter essa postura porque está com frio ou porque ela é mais confortável para você (seus ombros estão cansados, entre outras coisas). No entanto, às vezes há uma razão objetiva; uma que você nem sempre desejará expressar conscientemente. Vejamos 8 explicações possíveis.

8 significados por trás dos braços cruzados

Interpretar a linguagem corporal é algo que sempre deve ser feito com base no contexto. Certamente, não podemos atribuir uma interpretação isolando o cruzamento dos braços da postura corporal, dos gestos faciais, do tom de voz e, é claro, do contexto comunicativo. Pensando nisso, apresentamos 8 motivos pelos quais uma pessoa cruza os braços.

1. Insegurança

Braços cruzados em pessoas inseguras
Alguém que se sente inseguro em uma situação tende a cerrar os braços, punhos e pernas como método de defesa contra situações adversas.

A insegurança é, talvez, a interpretação mais conhecida dos braços cruzados. Na verdade, cruzar os braços na frente do tronco é interpretado como um sinal de insegurança. Isso pode se manifestar em diferentes contextos, entre os quais destacamos:

  • Insegurança na fala (as ideias ou opiniões que estão sendo expressadas).
  • Insegurança em relação ao lugar (por exemplo, ao estar em um lugar desconhecido).
  • Insegurança em relação à pessoa com quem você está falando.

Esses três fatores podem determinar que uma pessoa opte por manter os braços cruzados. Isso pode ou não estar relacionado à baixa autoestima e até mesmo à fobia social. Nem sempre é o caso, portanto, esta declaração deve ser interpretada com cuidado.

2. Estresse e tensão

A segunda explicação mais razoável para estar com os braços cruzados é ter altos níveis de tensão ou estresse.Os sintomas de estresse são frequentemente discutidos em um nível psicológico ou físico, mas raramente em relação à linguagem corporal. No entanto, como as evidências indicam, é possível determinar os níveis de estresse por meio deste comportamento.

Em geral, as pessoas estressadas ficam ansiosas ou excitadas. Embora cada indivíduo desenvolva um padrão diferente, não é incomum que escolham cruzar os braços durante episódios de estresse concentrado. Eles também podem fazer isso diante da tensão ou do nervosismo.

3. Concentração

Você já percebeu que às vezes, quando quer se concentrar, cruza os braços na linha do tronco? Se ainda não o fez, preste atenção às situações que exigem uma grande participação cognitiva e verá que esta é uma posição bastante comum.

De acordo com um estudo publicado no European Journal of Social Psychology em 2008, cruzar os braços pode ter um efeito positivo no rendimento e na persistência. Isso poderia explicar por que tantas pessoas exibem essa postura quando querem se concentrar. Como já apontamos, e como faremos mais algumas vezes, tudo depende do contexto.

4. Medo

Os braços cruzados também podem ser um sintoma de medo. Em geral, é em relação a onde você está, à comunidade ou à confiança que você tem para controlar a situação. Frequentemente, é acompanhado por uma atitude retraída, isolada ou explicitamente temerosa.

O medo é uma emoção natural que evoluiu como um método de preservação da integridade. Ou seja, você tem medo de coisas que o cérebro interpreta como prejudiciais. Isso poderia explicar parcialmente por que alguns optam por manter os braços cruzados em determinados momentos: o tronco contém os órgãos mais importantes para se proteger contra uma ameaça.

5. Liderança ou imposição

Os líderes costumam estar de braços cruzados
Um fato característico de um líder é que ele sabe como, quando e por que usar a linguagem corporal a seu favor. Isso é útil ao tentar persuadir ou intimidar.

Ao contrário das explicações que demos e de acordo com o contexto, manter os braços cruzados pode significar um sinal de liderança. Feche os olhos por um momento e pense em um líder. Imagine que você está vestido formalmente, está sorrindo, está impecavelmente arrumado e transmite uma sensação de segurança, confiança e conhecimento.

Como estavam seus braços nessa imagem mental? Sim, é muito provável que você o tenha imaginado de braços cruzados. Quando combinados com outras dicas da linguagem corporal, eles não se traduzem em tensão ou medo, pelo contrário. A linguagem corporal pode ser tão poderosa que atingirá os caminhos da imposição e dominação.

6. Defesa ou ameaça

Uma pesquisa publicada na Motivation Science em 2015 analisou as posturas de braços cruzados de um grupo de pessoas. Ela concluiu que essa atitude está relacionada a uma orientação social defensiva. Os participantes, um total de 242 pessoas, foram mais propensos a se defender do que a atacar quando cruzaram os braços.

Por tudo isso, alguns podem escolher esta posição diante de uma situação ameaçadora. Não precisa ser uma grande ameaça que ponha a vida em perigo, mas algo que desestabilize o conforto em maior ou menor grau.

7. Submissão e docilidade

Já explicamos que manter os braços cruzados é um sinal de liderança, desde que seja acompanhado por uma atitude de confiança, determinação e segurança. Quando a atitude é a oposta, indica uma personalidade submissa ou muito dócil.

O contato visual interrompido, um tom de voz muito baixo e uma postura rígida na companhia desse gesto podem apontar nessa direção. Ou seja, alguém que é fácil de manipular, não tem opinião própria ou simplesmente prefere acompanhar o grupo antes de apostar na sua individualidade.

8. Isolamento

Por último, os braços cruzados também podem ser um sinal de isolamento. Aqueles que são muito reservados, têm uma vida solitária, têm um círculo de amigos muito restrito e não se sentem à vontade em um grupo geralmente adotam esse gesto como parte da sua personalidade.

Outra explicação paralela à que já demos é que manter os braços cruzados pode ser uma resposta à dor. Um estudo publicado na Pain em 2011 descobriu que cruzar os braços pode causar analgesia. Aqueles que estão doentes, sentem dor ou outros casos semelhantes podem manifestar esse comportamento inconscientemente.

Como você pode ver, não há apenas uma explicação para o motivo pelo qual as pessoas mantêm os braços cruzados. Alguns deles são até contrários uns aos outros, já que tudo é determinado pelo contexto. É isso, juntamente com a personalidade do indivíduo, que permite que a interpretação seja feita.

Pode interessar a você...
10 habilidades de comunicação e a sua importância
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
10 habilidades de comunicação e a sua importância

As habilidades de comunicação são aquelas que permitem nos comunicarmos de forma eficiente com outras pessoas. Saiba mais sobre elas aqui!



  • Carneiro, D., Castillo, J. C., Novais, P., Fernández-Caballero, A., & Neves, J. Multimodal behavioral analysis for non-invasive stress detection. Expert Systems with Applications. 2012; 39(18): 13376-13389.
  • Fetterman, A. K., Bair, J. L., & Robinson, M. D. Submissive, inhibited, avoidant, and escape motivated: The correlates and consequences of arm-crossing. Motivation Science. 2015; 1(1): 37.
  • Friedman, R., & Elliot, A. J. The effect of arm crossing on persistence and performance. European Journal of Social Psychology. 2008; 38(3): 449-461.
  • Gallace, A. L. B. E. R. T. O., Torta, D. M. E., Moseley, G. L., & Iannetti, G. D. The analgesic effect of crossing the arms. Pain. 2011; 152(6): 1418-1423.