Arteriosclerose: causas e tratamento

7 de setembro de 2015
Quer saber mais sobre a arteriosclerose? Fique ligado no texto a seguir.

Hoje falaremos do tipo de arteriosclerose que se produz nos vasos sanguíneos das pernas e dos pés.

Trata-se de uma doença muito comum que recebe o nome de arteriosclerose obliterante e que se deve, principalmente, a um endurecimento das artérias causado pela presença de placas de gordura.

Tudo isso resulta em complicações, como os problemas circulatórios, as varizes, o inchaço nas pernas e pés, o formigamento, as cãibras noturnas e a fadiga muscular.

É possível prevenir essa doença? Sim, a partir de agora. Com hábitos de vida mais saudáveis, evita-se a arteriosclerose obliterante.

Mas, se esta for uma doença com a qual você já convive no seu dia a dia, tome nota destes simples conselhos que, certamente, serão de grande ajuda.

Arteriosclerose das extremidades: quais são os sintomas?

veias varizes

Em primeiro lugar, vale a pena saber que a arteriosclerose das extremidades é uma das doenças mais comuns entre as mulheres.

Por outro lado, está relacionada com outras doenças coronárias, carotídeas e com arteriopatias das extremidades inferiores.

Ou seja, não é um problema isolado que aparece de repente, mas sim, são doenças associadas à hipertensão, ao colesterol elevado, à obesidade e também pela herança genética.

Confira quais são os sintomas da doença:

  • O acúmulo de gordura nas paredes interiores das artérias ocasiona, como já é sabido, o endurecimento das mesmas; mas, além disso, saiba que ao circular menos sangue pelas pernas e pelos pés, recebe-se também menos oxigênio.
    Isso se traduz em cansaço e, de imediato, câimbras e um ardor muito intenso nas pernas.
  • Ao não receber a quantidade suficiente de oxigênio, os tecidos dos músculos se inflamam e o organismo reage acumulando líquidos.
    O que faz com que os sapatos comecem a ficar apertados e nossas pernas inchem.
  • A arteriosclerose nas extremidades costuma aparecer, sobretudo entre os 50 e os 55 anos; além disso, é possível começar a percebê-la ao notar “queimação” nas pernas quando se está em repouso, especialmente à noite, na cama, o que impede que descansemos adequadamente.
    É algo que incomoda, é dolorido, e que diminui a qualidade de vida.
  • As dores se concentram com maior frequência na panturrilha, assim como nos pés, no quadril e nas nádegas.
  • A arteriosclerose das extremidades aparece sempre em forma de varizes, flebite e inclusive artrite.

Leia também: 10 alimentos para limpar as artérias e prevenir a arteriosclerose

Tratamento paliativo para a arteriosclerose das extremidades

O tratamento da arteriosclerose das extremidades baseia-se, principalmente, em mudar os hábitos de vida.

Será o médico quem vai oferecer o tratamento mais adequado, segundo seu caso e suas particularidades.

No entanto, ao tratamento com fármacos, podemos acrescentar esses simples conselhos.

Vamos conhecer?

1. Atividade física moderada

caminhar

Em suma, a atividade física moderada é essencial para favorecer a circulação sanguínea e a oxigenação dos tecidos. 

O exercício mais recomendado, praticado sempre com moderação, é o aeróbico, ou seja, o que coloca em marcha nosso coração.

Quer alguns exemplos?

  • Caminhe meia hora por dia.
  • Pratique natação durante 20 minutos.
  • Ande de bicicleta por 15 minutos (sempre e quando não estiver com problemas nos joelhos ou artrite).

Saiba mais: Benefícios da atividade física durante a dieta

2. Chá de alho e limão para começar o dia

alho

Este remédio é muito adequado para reduzir o colesterol ruim de nossas artérias, diminuir a inflamação, bem como favorecer a circulação sanguínea.

A seguir, indicamos como prepará-lo:

Ingredientes

  • Um dente de alho
  • Um copo de água (200 ml)
  • Um pouco de gengibre ralado (3 g)
  • 1 colher de suco de limão (15 ml)
  • 1 colher de mel (25 g)

Preparo

É muito simples. Primeiramente, pique o dente de alho e depois ponha para ferver o copo de água.

Quando chegar à ebulição, acrescente o gengibre, o mel e o alho. Em seguida, deixe cozinhar por 20 minutos e, logo depois, repousar outros dez.

É quando deverá acrescentar o suco de limão. Beba durante 10 dias e descanse 5.

3. Os benefícios do suco de romã

suco de romã

Se existe uma fruta adequada para favorecer a saúde e a flexibilidade de nossas artérias, essa é a romã.

Além disso, rica em antioxidantes, fibras e vitaminas, a romã consegue eliminar as placas de gordura que originam a arteriosclerose.

4. Infusão de chá branco e menta

chá branco para prevenir a arteriosclerose

Esta infusão à base de menta e de chá branco é deliciosa, medicinal e muito eficiente para favorecer a circulação sanguínea, diminuir a dor muscular e reduzir o colesterol ruim que endurece nossas artérias.

É interessante saber que o chá branco é o remédio natural mais rico em antioxidantes, sendo assim, é quase imprescindível para este tipo de doença.

Saiba como preparar e desfrutar deste chá durante as tardes.

Ingredientes

  • 20 gramas de chá branco
  • 20 gramas de menta
  • Uma colher de mel (25 g)
  • 1 copo de água (200 ml)

Preparo

Primeiramente, coloque para ferver o copo de água. Assim que ferver, acrescente o chá branco e a menta.

O cheiro é muito agradável. Agora só será preciso deixar que se faça a infusão por 20 minutos e depois adoçar com o mel. Ficará uma delícia!

5. Alimentos que não devem faltar na dieta

aveia e maçã para prevenir a arteriosclerose

Uma alimentação saudável, na qual prescindimos das gorduras animais, das farinhas refinadas e dos doces, é fundamental para prevenir a arteriosclerose das extremidades.

Leve em consideração estes alimentos que, a partir de hoje, não devem faltar em sua dieta:

  • Aveia
  • Maçã verde
  • Peixe azul
  • Frutas ricas em antioxidantes como limões, laranjas, abacaxis, kiwis
  • Abacate
  • Alho
  • Cúrcuma
  • Azeite de oliva
  • Espinafre
  • Tomate
  • Boni, A., Pugliese, C., Cláudio, C. C., Patin, R. V., & Oliveira, F. L. C. (2010). Vitaminas antioxidantes e prevenção da arteriosclerose na infância. Revista Paulista de Pediatria28(4), 373-380.
  • Gonsalves, P. E. (2001). Frutas que curam. MG Editores.
  • Conceição, K. N., Sampaio, F. A. S. A., da Silva, V. F., & da Silva, A. O. (2017). PODER ANTIOXIDANTE DE CAROTENOIDES, FLAVONOIDES E VITAMINA E NA PREVENÇÃO DA ARTERIOSCLEROSE. Revista Ciência & Saberes-Facema2(4), 320-324.