Aprenda a detectar um possível câncer de pele

29 de novembro de 2014
Além de ficar de olho na aparência das pintas e consultar um especialista ao notar qualquer alteração de cor e forma, é muito importante proteger a pele do sol.

O câncer da pele é a doença que mais foi detectada em todo o mundo. A pele é o maior órgão do corpo humano,  encarregado de várias funções como, por exemplo, a proteção de lesões; protegendo o corpo como uma barreira protetora contra os potentes microrganismos que podem ser mortais.

Da mesma forma, funciona como um depósito de água no armazenamento do tecido adiposo, regulando a temperatura corporal.

Há fatores que influenciam e muito na aparição dessa doença, como os raios UV que o sol libera com sua intensa radiação.

Os raios ultravioletas causam mutações no DNA das células da pele, o que altera a carga genética e se converte em uma célula maligna. Em todo o mundo essa doença se faz presente com maior estatística nas pessoas com pele clara.

Tipos de câncer de pele

câncer de pele

Carcinoma basocelular

Este tipo de câncer surge em regiões do corpo como o rosto e na região frontal do nariz.

Normalmente, as pessoas podem desenvolver maior risco por herança genética.

Além disso, os raios UV, a exposição a elementos químicos como o arsênio influenciam o surgimento das células cancerígenas cutâneas.

Saiba mais: Câncer de pulmão

Carcinoma das células escamosas

Esse tipo de câncer pode apresentar-se em partes do corpo onde a luz do sol atinge diretamente devido a ação dos raios ultravioletas no tecido cutâneo.

No entanto, não é garantia que somente surja nessas regiões de exposição. O carcinoma de células escamosas em um estado inicial mostra-se com uma coloração vermelha; podendo aparentar-se também como uma verruga.

Essa classe de câncer afeta  normalmente a região onde aparece, porque se aloja com mais profundidade nos tecidos.

No entanto, também existe a possibilidade de estender-se, penetrando nas partes de alto risco, podendo causar morte.

Melanoma

É um tumor melânico, que se apresenta com uma cor escura devido ao aumento da melanina, um pigmento secretado pelas células; que torna a pele de cor escura como as de cor negras e marrons.

O melanoma é a principal causadora das mortes de câncer de pele, e surge com mais frequência em pessoas de cor branca.

Cerca de 165.000 casos de melanoma são detectados no mundo a cada ano, dos quais 48.000 são vitimas fatais.

Estas células são geralmente muito invasivas porque possuem uma grande capacidade de metástase e estende-se pelo corpo.

Outros órgãos que podem ser comprometidos são os intestinos e olhos. O melanoma é responsável pela morte de 75% das pessoas com câncer de pele.

Geralmente, um dos fatores mais influentes na aparição dessa doença, é a exposição aos raios solares.

No entanto, existem maquinários que usamos diariamente, e cremes e loções como os bronzeadores, que são fatores importantes para prevenir a doença. Existem métodos para o cuidado e prevenção do câncer de pele.

Leia mais: Sinais do câncer de pele que você não deve ignorar

Recomendações para prevenir o câncer de pele

protetor solar

Existem fatores de risco para as pessoas que no dia a dia têm contato direto com a luz solar, e deveriam tomar medidas de prevenção; porque estão suscetíveis a ter um câncer de pele.

Dessa maneira, o indicado para as pessoas que necessitam por qualquer motivo estar expostas por muitas horas ao raios solares é o uso de:

Dê maior atenção às pessoas brancas e com olhos claros, com aproximadamente 50 anos; visto que são as mais vulneráveis a esta doença.

Primordialmente, os fatores que causam o surgimento do câncer são:

  • Exposição em excesso à luz natural ou artificial. Para evitá-las e prevenir a ação prejudicial dessas luzes, utilize sempre o filtro solar.
  • Pessoas com olhos claros.
  • Sistema imunológico debilitado.
  • Mudanças genéticas relacionadas com esse tipo de câncer.
  • Exposição ao arsênio.
  • Exposição a altas doses de radiação.
  • Por fim, não esqueça! Use sempre protetor solar! Cuide-se.
  • Okida, F., Madalosso, G., Souza, T. D. L., Pouza, C. E. T., Scaff, A., & Romiti, N. (2001). Estudo da prevalência de casos de câncer da pele e análise da eficácia da proteção solar na prevenção de lesões causadas por radiação ultravioleta em uma amostra da população. An. bras. dermatol76(4), 403-412.
  • Martinez, M. A. R., Francisco, G., Cabral, L. S., Ruiz, I. R. G., & Festa Neto, C. (2006). Molecular genetics of non-melanoma skin cancer. Anais Brasileiros de Dermatologia81(5), 405-419.
  • Leite Martins, I., Silva Alves, C., de Carvalho Costa, P. M., & Maia Mendonça, V. L. (2007). Perfil do câncer de pele em pacientes do Instituto do Câncer do Ceará no período de 2000 a 2003. Revista Brasileira em Promoção da Saúde20(1).