Antibióticos de amplo espectro: funções e resistência

· 13 de maio de 2019
Antibióticos de amplo espectro são uma ótima ferramenta para o tratamento de várias doenças bacterianas. No entanto, eles apresentam uma grande desvantagem: a geração de resistências.

Os antibióticos de amplo espectro são aqueles que atingem um grande número de bactérias. Em seguida, descubra o que são, como funcionam e quais são as consequências de seu abuso.

Antibióticos de amplo espectro

Os antibióticos de amplo espectro são aqueles capazes de atingir uma alta carga bacteriana, destruindo um grande número de microrganismos de diferentes tipos. Por outro lado, os antibióticos de espectro reduzido são específicos de um tipo bacteriano específico.

Eles são geralmente bacteriostáticos. Ou seja, eles não destroem completamente as bactérias. Em vez disso, impedem seu crescimento e reprodução. Como consequência, a população bacteriana acaba desaparecendo. O mecanismo de ação consiste em inibir a síntese de proteínas na bactéria que impede seu crescimento.

Devido à sua eficácia, um dos grandes problemas é que eles podem eliminar, além de bactérias patogênicas, outras que são benéficas para a nossa flora endógena.

Existe uma grande quantidade de antibióticos. Isso se deve ao desenvolvimento de novos antibióticos para substituir os anteriores, já ineficazes, como consequência do problema de resistência a essas drogas.

Continue lendo: Você sabe quais são os melhores antibióticos naturais?

Amoxicilina e ácido clavulânico (AMC)

Antibióticos de amplo espectro podem alterar a flora intestinal

Este tipo de antibiótico tem um mecanismo de ação diferente. É uma associação entre dois compostos. Por um lado, a amoxicilina impede a síntese da parede bacteriana, enquanto o ácido clavulânico preserva a função da amoxicilina, potencializando-a.

É o antibiótico de amplo espectro mais utilizado na Espanha. É comumente usado para tratar infecções respiratórias. Devido a este uso difundido e não muito rigoroso, o AMC está gerando uma grande quantidade de resistência e causando um problema de saúde global.

Os antibióticos tetraciclinas

As tetraciclinas englobam uma série de compostos com uma estrutura química comum e mecanismo de ação. Todas elas estão focadas em inibir a síntese de proteínas em bactérias.

Seu uso na medicina é bastante limitado. Isto é devido aos seus possíveis efeitos tóxicos no corpo. Eles geralmente são administrados para combater a clamídia, brucelose ou Mycoplasma.

Cloranfenicol

O cloranfenicol também atua inibindo a síntese de proteínas bacterianas. É utilizado para tratar infecções por Salmonela e algumas meningites e pneumonias. Este antibiótico interfere no funcionamento enzimático do fígado, por isso a sua administração é cuidadosamente avaliada.

Os antibióticos macrólidos

Este tipo de antibiótico também é considerado de amplo espectro, embora seja mais reduzido. O protótipo dos antibióticos macrólidos é a eritromicina. Como os anteriores, seu mecanismo de ação é inibir a síntese de proteínas.

A eritromicina é considerada um dos antibióticos menos tóxicos. É utilizada para o tratamento de certas pneumonias, causadas por Mycoplasma pneumoniae ou Legionella pneumophila.

Não se esqueça de ler também: Antibióticos naturais para combater infecções leves

As resistências

Antibióticos para cistite

Antibióticos de amplo espectro podem ser uma ótima opção para o tratamento de certas infecções, mas seu uso excessivo gera um grande problema de saúde devido à resistência.

Qualquer antibiótico pode acabar gerando resistências. As cepas bacterianas que são atacadas podem sofrer mutações e evoluir rapidamente e, assim, algumas acabarão se tornando resistentes ao dito composto.

O problema se estende quando essas cepas resistentes continuam a infectar a população e não há antibiótico eficaz contra elas. Por isso, novos antibióticos (segunda e terceira geração) foram projetados. No entanto, o problema continua e novas resistências continuam aparecendo.

O uso indevido de antibióticos de amplo espectro torna-se especialmente problemático. Ao afetar um grande número de microrganismos, pode gerar multirresistência em todos eles.

Da mesma forma, existe o problema da resistência cruzada. Isso acontece quando, devido a um antibiótico de amplo espectro, um tipo bacteriano se torna resistente, além de outros de espectro reduzido.

Por isso, é essencial conscientizar a população sobre o perigo do uso indevido destes medicamentos. Por fim, a resistência já está afetando a saúde global e leva ao surgimento de infecções que até agora eram consideradas controladas.

  • Neu HC. The crisis in antibiotic resistance.  Science.1992;257:1064-1073.
  • Kaur, S. P., Rao, R., & Nanda, S. (2011). Amoxicillin: A broad spectrum antibiotic. International Journal of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences.
  • Levy SB. Confronting multidrug resistance: a role of each of us.  JAMA.1993;269:1840-1842.
  • Schrag S, Perrot V. Reducing antibiotic resistance.  Nature.1996;381:120-121.
  • Kenyon, S. L., Taylor, D. J., & Tarnow-Mordi, W. (2001). Broad-spectrum antibiotics for preterm, prelabour rupture of fetal membranes: The ORACLE I randomised trial. Lancet. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(00)04233-1