6 alimentos benéficos para a saúde do cérebro

Está clinicamente comprovado que pessoas que permanecem física e intelectualmente ativas têm uma qualidade de vida mais alta, são mais independentes, têm mais iniciativa e se relacionam melhor.
6 alimentos benéficos para a saúde do cérebro

Última atualização: 17 Julho, 2020

O cérebro é, sem dúvida, o nosso órgão mais valioso e importante, pois atua como diretor do nosso corpo. Nós raciocinamos, pensamos, conversamos, nos movemos e, em suma, vivemos graças a ele. Portanto, para que este órgão se mantenha saudável, forte e lúcido, recomendamos uma lista dos alimentos mais benéficos para a saúde do cérebro.

O cérebro é o órgão que nos permite sentir e ter consciência de que estamos vivos. Então, a forma como cuidamos dele determinará a nossa qualidade de vida. Este órgão vital precisa de uma dieta e de hábitos de vida saudáveis; portanto, nem todos os alimentos são igualmente benéficos para a saúde do cérebro.

Por que é importante manter uma boa saúde cerebral?

Está clinicamente comprovado que as pessoas que permanecem física e intelectualmente ativas têm uma qualidade de vida mais alta, são mais independentes, têm mais iniciativa e se relacionam melhor. Como se trata de um músculo, o cérebro também se atrofia.

Assim como você precisa exercitar seu corpo para manter seus músculos em forma, também precisa exercitar o seu cérebro. Além do exercício, a dieta também desempenha um papel muito importante no cuidado com o cérebro.

Alimentos benéficos para a saúde do cérebro

1. Mirtilos

Os mirtilos contêm antioxidantes que ajudam a retardar o surgimento de doenças neurodegenerativas.

As frutas vermelhas e roxas são fontes importantes de polifenóis, substâncias que ajudam a combater o estresse oxidativo. Os mirtilos, portanto, ajudam a prevenir ou retardar doenças cerebrais degenerativas, como a doença de Alzheimer.

A vitamina C presente nessas frutas também tem a capacidade de diminuir os níveis lipídicos e otimizar a função dos neurônios.

2. Brócolis

O brócolis é a estrela da vitamina K, juntamente com a couve-de-bruxelas e os vegetais de folhas verdes. Em alguns estudos, obteve resultados muito positivos não apenas em sua função já conhecida e indispensável na coagulação sanguínea, mas também nos tratamentos contra a doença de Alzheimer.

Uma pesquisa da Universidade de Montreal, no Canadá, mostrou que os idosos que tinham mais presença de vitamina K1 faziam melhores discursos, progrediam em sua expressão verbal e tinham uma maior retenção de informações.

3. Peixes oleosos

Os peixes oleosos são ricos em ácidos graxos essenciais e neuroprotetores, contribuindo para a proteção do sistema nervoso.

Salmão, atum, cavala e sardinha são alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3, básicos para as funções neuronais. Esses nutrientes também são eficazes para retardar a progressão do comprometimento cognitivo leve e podem ajudar a prevenir doenças como Alzheimer e Parkinson.

4. Gema do ovo

A gema do ovo contém colina, um nutriente que pertence ao grupo das vitaminas do complexo B e que fortalece a conexão nervosa dos neurônios. Os alimentos que contêm mais colina são ovos, carne vermelha, amendoim, frango, bacalhau, leite, couve-de-bruxelas, alho, entre outros.

Segundo alguns estudos, um aumento na ingestão alimentar de colina pode proporcionar melhorias no desempenho cognitivo e também poderia proteger contra a perda de memória.

5. Aveia

A melhora do perfil lipídico e glicêmico vai favorecer a saúde do cérebro.

Outro dos alimentos que não devem faltar na nossa lista de compras. Consumida no café da manhã, a aveia ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue e o colesterol, dois parâmetros fundamentais para a saúde do cérebro.

Além disso, estamos diante de um bom aliado para o equilíbrio do sistema nervoso porque, além de conter vitamina B1, possui propriedades que promovem a concentração e o desempenho intelectual. Como se isso não bastasse, também possui propriedades ansiolíticas e é perfeita para combater o estresse.

6. Chocolate amargo

O cacau é rico em flavonoides, um composto natural com efeitos antioxidantes e neuroprotetores que melhora o desempenho cognitivo e reduz o risco de demência. Além disso, o cacau contém substâncias estimulantes, como cafeína e teobromina, que promovem a concentração.

Por outro lado, estudos científicos demonstraram que o chocolate amargo protege o cérebro da inflamação e dos efeitos neurodegenerativos da poluição tóxica do ar, que também afeta a função intestinal, o coração e os pulmões.

O chocolate, como qualquer outro alimento, deve ser consumido de maneira equilibrada, pois em excesso será prejudicial. Sempre que possível, verifique se você está consumindo um chocolate amargo que seja o mais puro possível para impedir que as suas propriedades sejam alteradas.

Esperamos que você tenha se sentido incentivado a incluir esses alimentos benéficos para a saúde do cérebro na sua dieta. Também recomendamos que você faça exercícios mentais que melhorem a capacidade do cérebro para que ele permaneça lúcido e ativo, apesar da passagem do tempo.

Pode interessar a você...
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
7 hábitos que você deve evitar porque afetam sua saúde cerebral

Muitos de nós não nos damos conta, mas nossa saúde cerebral depende de hábitos como um bom descanso, uma hidratação correta e uma oxigenação adequada.



  • Presse N, Belleville S, Gaudreau P, Greenwood CE, Kergoat MJ, Morais JA, Payette H, Shatenstein B, Ferland G. Vitamin K status and cognitive function in healthy older adults. Neurobiol Aging. 2013 Dec;34(12):2777-83. doi: 10.1016/j.neurobiolaging.2013.05.031. Epub 2013 Jul 11. PubMed PMID: 23850343.
  • Blusztajn, J. K., Slack, B. E., & Mellott, T. J. (2017). Neuroprotective actions of dietary choline. Nutrients, 9(8), 815.
  • American Academy of Neurology (AAN). (2013, August 7). Chocolate may help keep brain healthy. ScienceDaily. Retrieved April 23, 2019 from sciencedaily.com/releases/2013/08/130807204447.htm
  • McCleary, L. (2010). La salud de tu cerebro: Programa Brain Trust para una mejor salud cerebral. Ediciones Robinbook.
  • Mintzer, J., Donovan, K. A., Kindy, A. Z., Lock, S. L., Chura, L. R., & Barracca, N. (2019). Lifestyle Choices and Brain Health. Frontiers in medicine, 6.
  • Chiu, C. C., Su, K. P., Cheng, T. C., Liu, H. C., Chang, C. J., Dewey, M. E., … & Huang, S. Y. (2008). The effects of omega-3 fatty acids monotherapy in Alzheimer’s disease and mild cognitive impairment: a preliminary randomized double-blind placebo-controlled study. Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry, 32(6), 1538-1544.
  • Choline – an overview | ScienceDirect Topics. (2003). Retrieved 14 July 2020, from https://www.sciencedirect.com/topics/nursing-and-health-professions/choline
  • Darvesh, A. S., Carroll, R. T., Bishayee, A., Geldenhuys, W. J., & Van der Schyf, C. J. (2010). Oxidative stress and Alzheimer’s disease: dietary polyphenols as potential therapeutic agents. Expert review of neurotherapeutics, 10(5), 729-745.
  • Singh, R., De, S., & Belkheir, A. (2013). Avena sativa (Oat), a potential neutraceutical and therapeutic agent: an overview. Critical reviews in food science and nutrition, 53(2), 126-144.
  • Chocolate may help keep brain healthy. (2013). Retrieved 14 July 2020, from https://www.sciencedaily.com/releases/2013/08/130807204447.htm