Alergia ao pólen: causas e remédios naturais

16 de dezembro de 2018
Se estivermos seguindo um tratamento médico para alergia ao pólen, devemos consultar nosso especialista, para evitar algum efeito adverso com esses remédios naturais.

A alergia ao pólen não costuma ser grave, mas é muito incômodo para aqueles que a sofrem de maneira recorrente.

Descubra neste artigo quais são suas causas e confira alguns remédios naturais, simples e eficazes, para acabar com esse problema.

Alergia ao pólen

A alergia ao pólen também é chamada de rinite alérgica, ou febre do feno. Aqueles que sofrem com este distúrbio têm uma resposta exagerada do sistema imunológico ao pólen das flores, quando este entra em contato com seu corpo.

Essa reação afeta a pele, as membranas mucosas, e o sistema respiratório. O corpo libera histamina e outros produtos químicos no sangue, que resulta nos sintomas mais frequentes.

Leia também: Como controlar os sintomas das alergias com estes 6 óleos essenciais

Qual é a sua causa?

A causa oficial desta alergia é o pólen. O mais frequente é o da família das gramíneas, embora também ocorra com a oliveira, a bétula, a palmeira, a bananeira, ou a parietária.

No entanto, se a única causa fosse o mesmo pólen, todas as pessoas expostas a ele sofreriam a mesma alergia, e esse não é o caso. A medicina natural aponta as toxinas que se acumulam no corpo como uma causa oculta deste distúrbio tão frequente. Nesse sentido, a solução passaria por uma purificação dessas substâncias.

Moça espirrando pela alergia ao pólen

Remédios naturais

1. Depuração com argila

Como já dissemos, o organismo de alguém que sofre de alergia ao pólen está sobrecarregado de toxinas. Portanto, seu fígado está saturado e não pode funcionar bem. Nesse sentido, a argila pode ser muito útil para nós.

  • Tome todas as manhãs uma colher de chá de argila branca para uso oral (5 g), misturada com água. Não devemos usar nenhum utensílio ou recipiente de metal ou plástico, pois a argila perderia as suas propriedades.

2. Infusão medicinal

Plantas medicinais podem nos ajudar a aliviar os sintomas da alergia e, de passagem, purificar o corpo. Podemos alternar ou combinar os seguintes remédios em infusão ou em tintura:

  • Sálvia
  • Urtiga
  • Alecrim

Nós enfatizamos principalmente a raiz de alcaçuz como um remédio natural para tratar alergias, graças às suas propriedades anti-inflamatórias. Sua ação é semelhante à dos glicocorticoides, mas sem seus efeitos colaterais para a saúde. Podemos tomá-la em infusão, pílulas, doces, ou mastigar o caule, ao natural.

Infusão medicinal para tratar alergia ao pólen

3. Probióticos

A alergia ao pólen tem como causa e consequência um dano à mucosa intestinal, que está intimamente relacionada ao sistema imunológico. Se nosso intestino estiver ruim, nossas defesas também estarão. Por esta razão, devemos ajudar a melhorar a flora bacteriana com o apoio de probióticos.

O consumo diário de alimentos fermentados, como iogurte natural, kefir, vinagre cru, ou chucrute, é uma boa opção para cuidar das bactérias intestinais. Também podemos tomar um suplemento probiótico, mas sempre em jejum (pelo menos uma hora antes do café da manhã).

Veja também: Como preparar um xarope caseiro de tomilho e alcaçuz para aliviar a tosse

4. Reduzir a histamina

Outra maneira de combater a alergia é reduzir a histamina. Embora muitos desses alimentos sejam saudáveis, também podem aumentar os sintomas da alergia. Por isso devemos limitá-los ou evitá-los em nossa dieta, especialmente quando temos crises:

  • Leite e derivados
  • Suco de laranja
  • Frutas como o morango, a banana, a uva, ou o figo
  • Feijão e ervilha
  • Soja
  • Pimentão
  • Carne de porco
  • Fígado de frango
  • Frutos do mar
  • Margarina
  • Café
  • Álcool
  • Chocolate
  • Açúcar e doces
  • Frituras
  • Seidman, M. D., Gurgel, R. K., Lin, S. Y., Schwartz, S. R., Baroody, F. M., Bonner, J. R., … Nnacheta, L. C. (2015). Clinical Practice Guideline: Allergic Rhinitis. Otolaryngology-Head and Neck Surgery. https://doi.org/10.1177/0194599814561600
  • Tran, N. P., Vickery, J., & Blaiss, M. S. (2011). Management of rhinitis: Allergic and non-allergic. Allergy, Asthma and Immunology Research. https://doi.org/10.4168/aair.2011.3.3.148
  • Kaliner, M. A. (2017). Allergic rhinitis. In Neuropeptides in Respiratory Medicine. https://doi.org/10.1201/9780203745915
  • Sharma, G., Im, S.H. (2018). Probiotics as a Potential Immunomodulating Pharmabiotics in Allergic Diseases: Current Status and Future Prospects. Allergy Asthma Immunol Res.  doi: 10.4168/aair.2018.10.6.575.
  • Maintz, L., & Novak, N. (2007). Histamine and histamine intolerance. American Journal of Clinical Nutrition. https://doi.org/85/5/1185 [pii]