Afinal, comer ovo faz mal à saúde?

· 22 de agosto de 2013
O ovo foi visto muito tempo como um vilão. Mas será que continua sendo verdade? Saiba mais!

Durante muito tempo o ovo foi visto como um vilão das dietas de emagrecimento e colesterol graças a seus níveis de gordura. Comer ovos poderia ser visto, inclusive, como um sinal de descuido com a saúde e muita gente baniu o alimento de seu prato.

Estudos mais recentes, no entanto, distinguem as gorduras entre diferentes tipos e há aquelas que não apenas são boas para o organismo, mas são indispensáveis a seu bom funcionamento.

Ainda trazem benefícios à saúde, assim como não prejudicam o colesterol. Esse é o caso da gordura do ovo.

Ainda assim, o ovo continuou a carregar sua fama de “bad boy” e muitos continuam se limitando a comer apenas sua clara, “condenando” a gema, a qual estão localizadas as gorduras (mas também muitos nutrientes).

Mas, a verdade é que ovos são nutritivos, pouco calóricos e rico em proteínas, o que pode inclusive ajudar em dietas de emagrecimento.

Descubra agora o que a gema e a clara do ovo podem fazer por sua saúde.

O valor da clara

Não é por acaso que consumir a clara do ovo se tornou uma verdadeira “febre” entre as pessoas mais inteiradas nas novidades sobre dieta e saúde.

Esta parte do ovo possui pouquíssimas calorias e gordura; por outro lado, é muito rica em proteínas, sendo um excelente alimento no cardápio de dietas de emagrecimento.

Além disso, a clara é rica em substâncias como cálcio, zinco, ferro e vitamina B12. Bem como ajuda a fortalecer o sistema imunológico e pode ser consumida nos mais variados pratos; já que seu sabor não é marcante.

Por ser também rica em sódio, seu consumo deve ser moderado para aqueles que possuem restrições quanto à ingestão desta substância.

Leia também: Usos da clara do ovo para a saúde e beleza 

Gema de ovo, uma falsa “vilã”

Se você é do tipo que joga a gema do ovo fora, está na hora de mudar de hábitos. É exatamente nela que se localizam a maior parte dos nutrientes e benefícios do ovo, que não são poucos.

Além disso, a gema é rica em vitaminas do complexo B, protege as vistas, ajuda o funcionamento do fígado; e, ao contrário do que muitos ainda possam acreditar, seu consumo moderado não faz mal nenhum ao coração e nem aumenta o colesterol.

Ainda é rica em substâncias necessárias à produção de colágeno e queratina, que ajudam a manter a saúde dos cabelos, unhas e pele.

A gema, ademais, ajuda a fortalecer o sistema imunológico, prevenindo principalmente doenças respiratórias; graças a presença da vitamina A e vitamina D.

Assim como dito anteriormente, seu consumo moderado não causa riscos à saúde e traz vários benefícios ao organismo.

Saiba mais: Como saber se um ovo não está fresco?

Quanto e como consumir

A quantidade de ovos que pode ser consumida semanalmente ainda não é um consenso na comunidade médica. Alguns médicos defendem o consumo diário, enquanto outros acreditam que quatro ovos por semana seja o ideal para consumo máximo.

A melhor forma de consumir o ovo preservando seus nutrientes é prepará-lo com a gema intacta. Quando a gema é rompida e exposta a altas temperaturas, suas proteínas e gorduras perdem valor nutricional.

Ou seja, consumi-lo cozido ainda é a melhor forma de aproveitar seus benefícios.

  • Aguiar, M. D. S., Zaffari, S., & Hübscher, G. H. (2009). O ovo e sua contribuição na saúde humana. Revista Saúde e Ambiente10(1), 47-55. http://www.ovosbrasil.com.br/download/o%20ovo%20e%20sua%20contribuicao%20na%20saude%20humana.pdf