Como administrar a homossexualidade dos filhos?

A homossexualidade é uma condição que emerge no indivíduo desde cedo. Requer amor e aceitação por si mesmo, mas também pela família. Aprenda o que fazer diante da homossexualidade de seu filho. 

A homossexualidade é definida como a atração sexual entre pessoas do mesmo gênero. Desde os anos 70, a homossexualidade deixou de ser considerada um transtorno mental. No entanto, administrar a homossexualidade dos filhos em um lar tradicional e conservador pode ser destruidor para muitos pais.

A primeira reação nestes casos pode ser difícil de controlar. A pior parte geralmente é a inicial, por não sabermos como harmonizar a notícia com os valores familiares. Admitir que seu filho é homossexual pode ser complicado para alguns.

Por isso, é imprescindível nos esforçarmos para compreender tudo que se refere a esta situação. Isso com o objetivo de que seja o menos traumático possível, principalmente para que seu filho não sofra pela intolerância familiar.

A intolerância segue vigente em nossos dias, mesmo que a sociedade tenha dado grandes passos para a defesa dos direitos dos homossexuais. Baseados nos conselhos de especialistas e psicólogos, listamos a seguir algumas recomendações para lidar com a homossexualidade dos filhos.

O que devemos fazer para administrar a homossexualidade dos filhos

1. Evite a irritação

Mãe brigando com sua filha

Saiba que seu filho não tomou “uma decisão”, que simplesmente é sua natureza, que ele simplesmente é diferente. Compreenda que, como ser humano, ele não vai mudar e que sua relação de pais e filho seguirá sendo a mesma, muito além de sua condição sexual. Muitos pais, apesar de terem amigos homossexuais, são cheios de preconceitos.

2. Busque instrução

Converse com pais que tenham passado por uma situação igual. Certamente eles falarão sobre como passaram pela situação e o que fizeram para manter uma relação harmoniosa com seus filhos. O desconhecimento sobre a homossexualidade pode gerar ideias errôneas e distorcidas. 

Se você sente que não pode lidar com a situação sozinho, pode buscar ajuda profissional. Através de um especialista, receberá as ferramentas para reduzir os níveis de estresse que a notícia tenha causado.

3. Ofereça apoio emocional

Mãe abraçando sua filha

Oferecer um apoio incondicional é fundamental, já que o impacto gerado por se assumir homossexual é muito grande. O mais provável é que seu filho tenha sofrido por muito tempo, guardando em silêncio sua condição. Não permita que continue agoniado pelo medo da rejeição familiar.

Apoiá-lo significa aceitá-lo. Não tente fazer com que mude de opinião ou que modifique sua conduta sexual. Em primeiro lugar, será inútil pois ele não mudará, isso não é possível. Seu filho é como é, nasceu assim. Além disso, seria desrespeitar sua condição.

4. Não busque culpados

Pensar que existe algum culpado dentro ou fora da família é tão desrespeitoso quanto absurdo. Repetimos, a homossexualidade não é uma doença. Não é algo que se contagia ou propaga, nem existem causas ou fatores que a desencadeiem como resultado de algo ou alguém.

Aceite, reconheça, respeite e ame seu filho homossexual. Sabemos que esta pode ser uma situação difícil, mas tome seu espaço e seu tempo. O amor pelo seu filho fará com que, com o tempo, você supere seus preconceitos.

5. Não se preocupe com o que “os outros vão dizer”

Mãe apoiando seu filho

Você não deve se preocupar com que os outros vão dizer, mesmo que sejam parte da sua própria família. A inclinação sexual do seu filho não pode ser sinal de vergonha, nem de pressão social. Vivemos em um mundo diverso onde a cada dia se reduzem as ideias que relacionam as orientações sexuais com aspectos negativos.

Se outros familiares ou amigos não conseguem lidar, dê-lhes tempo. Cada um tem o direito de viver o processo de maneira individual e no seu ritmo.

Considerações finais

Opte por amar incondicionalmente esse ser a quem você deu a vida, esta será sua melhor escolha. Não se pergunte se fez algo de errado ou o que aconteceu. Uma pessoa com uma condição sexual diferente tem as mesmas capacidades, qualidades e defeitos que outra condição sexual tradicional.

As pessoas de condição homossexual têm os mesmos direitos que o resto dos cidadãos. Principalmente, têm o direito de ter uma vida digna. Quando os jovens recebem apoio paterno, podem levar vidas mais harmoniosas reduzindo o risco de depressão ou vícios.

A homossexualidade é uma variante sexual normal. As reações bruscas diante da inclinação sexual de seu filho costumam gerar conflitos familiares e de casal. A comunicação aberta sempre ajudará a curar as feridas que possam surgir ao não saber como enfrentar a situação.

Viver cada fase progressivamente, sem se fixar em nenhuma, é uma alternativa eficaz para desenvolver uma relação harmônica com seu filho. Dizer-lhe que aceita sua condição sexual se converterá em benefício familiar.

Manter-se em silêncio ou fingir que nada acontece enquanto digere a notícia causará muito sofrimento ao seu filho. Faça-o saber que sempre será amado de forma incondicional, porque assim é o verdadeiro amor e, principalmente, o amor de mãe e de pai.

Recomendados para você