Ansiedade noturna: causas e chaves para superá-la

À noite, é mais provável que sejamos invadidos por pensamentos negativos, o que costuma causar manifestações de ansiedade. Se durarem muito tempo, podem afetar o bem-estar de maneira negativa.
Ansiedade noturna: causas e chaves para superá-la

Última atualização: 06 Janeiro, 2021

A ansiedade noturna consiste na sensação de tensão e inquietação durante a noite, especificamente antes de dormir. Ocorre pela antecipação de uma ameaça ou perigo, o que geralmente acontece graças à invasão de pensamentos negativos a esta hora do dia.

Essa resposta compreende uma série de sintomas fisiológicos e cognitivos desagradáveis, que têm um propósito adaptativo. No entanto, se forem intensificados ou prolongados com o tempo, podem causar sérios problemas para a saúde física e mental da pessoa.

O que é a ansiedade noturna?

A ansiedade noturna é um estado emocional desagradável de tensão, agitação e inquietação. Ocorre ao se antecipar a um possível perigo ou ameaça e se manifesta por meio de uma série de reações fisiológicas, cognitivas e comportamentais. Neste caso particular, isso acontece à noite.

Dessa forma, a ansiedade tem uma função adaptativa e de sobrevivência. Trata-se, então, de um mecanismo de defesa para lidar com as ameaças da vida. Entretanto, há momentos em que isso não facilita uma melhor adaptação, muito pelo contrário.

Nestes casos, a reação surge em resposta a alarmes falsos, ou seja, a possíveis ameaças que não o são, ou quando o perigo tende a ser superestimado. Assim, quando nos deparamos com uma ansiedade que surge à noite de forma desproporcional à situação ou se prolonga no tempo, falamos de uma resposta patológica.

A ansiedade patológica bloqueia as respostas adequadas ao enfrentamento do cotidiano, gera desconforto somático, piora o rendimento da pessoa e, em geral, requer auxílio profissional para solucionar o problema. O cotidiano também acaba sendo afetado pelas dificuldades para adormecer.

Mulher com insônia
A ansiedade noturna interrompe o sono e provoca insônia, levando a distúrbios na vida diária.

Leia também: Dor física e ansiedade, qual é a relação?

Sintomas de ansiedade noturna

A ansiedade noturna se caracteriza pela manifestação de uma série de sintomas somáticos e cognitivos à noite, logo antes de dormir. Nem todos vivenciam a mesma coisa com a mesma intensidade, pois isso depende muito da constituição de cada um.

Entre os sinais mais comuns, estão os seguintes:

  • Elevação da frequência cardíaca: há palpitações do coração que são acompanhadas por uma sensação de sufocamento e aperto na região torácica.
  • Sudorese: abundante, fria, sem relação com a temperatura ambiente.
  • Desconforto abdominal: às vezes com náuseas e vômitos.
  • Desrealização: é uma sensação de irrealidade ou despersonalização com a sensação de estar separado de si mesmo.
  • Medos extremos: de perder o controle ou morrer.

Causas da ansiedade noturna

A ansiedade durante a noite pode ocorrer por várias causas, que diferem entre as pessoas que a sofrem. Um passo importante para aliviá-la é identificar o problema que está por trás dessas manifestações e tentar resolvê-lo. Os motivos mais comuns são os seguintes:

  • Estressores do dia a dia: problemas interpessoais, de trabalho ou financeiros são fatores que desencadeiam crises de ansiedade. Além disso, é comum que essas situações invadam a mente da pessoa na forma de pensamentos negativos logo antes de dormir, impossibilitando o descanso.
  • Eventos traumáticos: a vivência de experiências catastróficas, como desastres naturais, estupros, torturas ou sequestros, entre outros, causam graves danos à estrutura mental, que se associam a graves sintomas de ansiedade. À noite, ao ir para a cama, é comum a pessoa reviver esses eventos traumáticos.
  • Fatores biológicos: a genética desempenha um papel importante no aparecimento de manifestações de ansiedade. Inclusive, existem pessoas que são mais predispostas do que outras, principalmente por herança.
  • Pensamentos distorcidos: a ansiedade é apresentada como uma supervalorização das ameaças e uma subvalorização dos potenciais pessoais. A pessoa pode se deixar levar por esses pensamentos na hora do sono, o que provoca a ativação de respostas ansiosas.

Chaves para superar a ansiedade noturna

Se as manifestações de ansiedade durante a noite são intensas e ocorrem na maioria das vezes, é melhor que a pessoa busque assistência profissional. Pode se tratar de um transtorno de ansiedade grave, cujo tratamento mais eficaz é a psicoterapia e, em alguns casos, a medicação. Por outro lado, a pessoa com ansiedade noturna pode realizar uma série de atividades que ajudem a acalmá-la.

Atividades de combate ao estresse

Fazer atividade física ajuda o corpo a liberar tensões e, portanto, a se sentir mais relaxado. Se os exercícios forem realizados duas horas antes de dormir, a pessoa ficará cansada, tornando mais fácil adormecer sem problemas.

Além disso, meditação e ioga são opções que ensinam a focar o momento atual. Os alongamentos corporais também ajudam a liberar a tensão.

Técnicas de relaxamento muscular e exercícios de respiração profunda são outras alternativas. Isso evita tensões no corpo e hiperventilação, manifestações das crises de ansiedade.

Rotinas

Estabelecer um horário de dormir, ou seja, ir para a cama na mesma hora, vai condicionar o corpo para se preparar para esse momento. Entretanto, devemos evitar usar o quarto para trabalhar ou estudar. Isso relacionará, de forma negativa, o lugar de descanso e sono com atividades estressantes.

Da mesma forma, deve-se evitar o consumo de substâncias estimulantes, como álcool e cafeína, antes de dormir. Esses produtos promovem estados de ansiedade devido à sua ação no sistema nervoso.

Uso do celular antes de dormir
O uso do quarto para atividades de trabalho ou estudo é contraproducente para o descanso.

Antes de dormir, evite os pensamentos negativos

À noite, pouco antes de dormir, ficamos mais suscetíveis a ser invadidos por pensamentos negativos. Este é um dos momentos do dia em que encontramos a mente mais vaga. Dessa forma, é comum se sentir ansioso.

No entanto, se as manifestações de ansiedade aumentarem em quantidade e intensidade, os efeitos podem ser prejudiciais para a saúde. Desta forma, é importante reconhecer a existência de um problema e buscar as ferramentas necessárias e adequadas para resolver a situação.

Pode interessar a você...
5 exercícios de mindfulness para dormir melhor
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 exercícios de mindfulness para dormir melhor

Um dos exercícios básicos de mindfulness consiste em prestar atenção na respiração e escutar os sons que nos rodeiam. Saiba mais neste artigo!



  • Bourne E, Garano L. HAGA FRENTE A LA ANSIEDAD: 10 formas sencillas de aliviar la ansiedad, los miedos y las preocupaciones. [Internet]. Barcelona: Amat Editorial. 2006.
  • Matud, Ma Pilar, and Juan Manuel Bethencourt. “Ansiedad, depresión y síntomas psicosomáticos en una muestra de amas de casa.” Revista Latinoamericana de Psicología 32.1 (2000): 91-106.
  • Fernández LOI, Jiménez HB, Alfonso ARB, et al. Manual para diagnóstico y tratamiento de trastornos ansiosos. Medisur. 2012;10(5):466-479.
  • Navas OW, Vargas BMJ . Trastornos de ansiedad: Revisión dirigida para atención primaria. Rev Med Cos Cen. 2012;69(604):497-507.
  • Sierra, Juan Carlos, Ortega, Virgilio, Zubeidat, Ihab, Ansiedad, angustia y estrés: tres conceptos a diferenciar. Revista Mal-estar E Subjetividade [Internet]. 2003;3(1):10 – 59. Recuperado de: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=27130102
  • Gorwood, P. “Comorbilidad del trastorno de ansiedad generalizada y el trastorno depresivo mayor:¿ Un ejemplo de peliotropía genética?.” European Psychiatry Spanish edition 11.3 (2004): 170-177.
  • Echeburúa, Enrique. Avances en el tratamiento psicológico de los trastornos de ansiedad. Pirámide, 2002.
  • Irurtia, Mª Jesús, Vicente E. Caballo, and Anastasio Ovejero. “Trastorno de ansiedad provocado por sustancias psicoactivas.” Behavioral Psychology/Psicología Conductual 17.1 (2009): 155-168.