9 alimentos que fazem com que o nosso corpo cheire mal

28 de janeiro de 2019
Às vezes, uma boa higiene não é o suficiente para eliminar o mau cheiro corporal. Você sabia que alguns alimentos estão diretamente relacionados com esse problema?

O mau cheiro no nosso corpo ocorre devido à ação combinada das glândulas sudoríparas com os compostos voláteis que geramos e a atividade bacteriana.

Esse processo costuma ser determinado por questões hormonais e metabólicas. Mas também pode se originar por alguns tipos de doenças e pelo consumo de certos medicamentos.

Apesar de muitos pensarem que o suor é a causa do mau cheiro, a verdade é que vários tipos de germes, sujeira e compostos de certos alimentos que adicionamos à nossa alimentação têm participação nesse resultado.

Estes últimos causam um excesso de acidez no organismo e, visto que causam um desequilíbrio do pH, dificultam a eliminação das toxinas, causando o mau cheiro.

Além disso, alguns estão cheios de substâncias fortes que são eliminadas com o suor ou percebidas com o hálito.

Você os conhece? Venha conferir alguns.

1. Alho

nosso corpo

Seu odor forte tende a deixar um mau hálito durante várias horas. Além disso, os compostos sulfurosos voláteis do alho influenciam no mau cheiro do suor. 

Essas substâncias são absorvidas no sangue e nos pulmões após terminar o processo digestivo, o que faz com que a respiração e a pele cheirem mau.

Veja também: 5 coisas que seu suor diz sobre sua saúde

2. Açúcar refinado

As balas e os açúcares refinados causam modificações na acidez do corpo, alteram sua temperatura e geram odores desagradáveis.

As bactérias se alimentam do doce e, por seu crescimento excessivo, a fermentação acelera e o odor é cada vez mais forte.

3. Condimentos

nosso corpo

Condimentos como o curry e o cominho tendem a causar halitose e mau cheiro na pele. Ao serem consumidos, causam gases sulfurosos que são eliminados pelos poros.

Apesar de serem assimilados de forma correta, podem ficar na corrente sanguínea e serem posteriormente liberados.

4. Gordura hidrogenada

Os óleos hidrogenados são aqueles usados no preparo de fast-foods, frituras e doces, dentre outros.

Eles não são apenas uma causa principal de sobrepeso, mas também estão relacionados com a tendência de cheirar mau.

Suas gorduras dificultam a digestão e têm uma interação negativa com os demais alimentos que são processados no intestino.

5. Embutidos

nosso corpo

O patê, as salsichas, o toucinho e qualquer tipo de carne embutida aumentam o grau de acidez no estômago e os gases.

Sua decomposição no processo digestivo é lenta e, por seu teor de gordura e químicos, altera as funções metabólicas que ajudam a eliminar as toxinas.

6. Carnes vermelhas

As proteínas que as carnes vermelhas contêm são mais difíceis de digerir no intestino. Visto que costumam estagnar por vários dias, há um alto risco de putrefação e maus odores corporais.

As pessoas que consomem menos porções desse alimento por semana têm um suor menos intenso e abundante em comparação com aqueles que comem diariamente.

Reduzi-la da dieta evita as flatulências, a inflamação abdominal e a prisão de ventre.

7. Aspargos

nosso corpo

O aspargo pode causar um odor forte e ácido na urina por sua decomposição natural.

Esse efeito só ocorre em algumas pessoas, já que, segundo as variações genéticas, a capacidade para produzir e perceber os odores varia.

8. Bebidas alcoólicas

As pessoas que consomem bebidas alcoólicas em excesso apresentam odores mais desagradáveis em sua pele e no hálito. O organismo considera que o álcool é uma toxina e, portanto, o fígado é o que se encarrega de metabolizá-lo.

Leia mais: As bebidas mais agressivas para o estômago

90% se transforma em ácido acético, uma substância não tóxica que é eliminada junto com os líquidos e sais do corpo.

A parte restante, que fica na corrente sanguínea, é eliminada através dos pulmões durante a respiração ou pelos poros da pele por meio de suor.

9. Cebola

nosso corpo

As bactérias degradam os aminoácidos de enxofre da cebola, gerando substâncias voláteis de odores ruins, como o sulfeto de hidrogênio, o metilmercaptano e o dimetilsulfeto.

Esses compostos sulfurosos são incorporados à corrente sanguínea e chegam à boca, ao estômago, ao intestino e ao fígado. Também são transferidos aos alvéolos pulmonares e, caso se acumulem em grandes quantidades, geram um odor forte quando expulsos com o ar.

Assim, se apesar de ter uma boa higiene e saúde você tem cheiros ruins no corpo, é provável que alguns alimentos da dieta estejam contribuindo para isso. Logo, reduza o consumo de alguns deles!

  • Pandey, S. K., & Kim, K. H. (2011). Human body-odor components and their determination. TrAC – Trends in Analytical Chemistry. https://doi.org/10.1016/j.trac.2010.12.005