7 contos para refletir

Os contos são uma excelente forma de nos fazer refletir sobre alguns aspectos importantes da vida. A seguir apresentamos alguns contos que com certeza irão te agradar.
7 contos para refletir

Última atualização: 01 Dezembro, 2021

Ler contos e histórias é uma das melhores maneiras de exercitar seu intelecto. Você pode fazer reflexões a partir de qualquer história, através das várias ideias contidas nas linhas desse tipo de texto. Para demonstrar isso, reunimos uma seleção dos melhores contos para refletir.

Os contos escolhidos por nós não pertencem a um autor específico. Alguns são adaptações de histórias e parábolas conhecidas, outros são histórias tradicionais populares. Mas garantimos que todos eles te farão refletir.

Os melhores contos para refletir

Todas essas histórias contêm uma moral. Para motivar a sua capacidade de pensar nós suprimimos essa parte de propósito, de modo que é você quem tira as conclusões. Todos eles são de fácil entendimento, e podem ser usados para partilhar ensinamentos com as crianças.

1. Meio quilo de manteiga

Contos e histórias também são para crianças.
Os contos são muito úteis para ensinar as crianças sobre convivência, felicidade e bons modos.

Há muito tempo, havia um fazendeiro que vendia manteiga em um povoado muito pequeno. O padeiro era um dos seus clientes mais fiéis, mas um dia começou a suspeitar que o pedaço de manteiga recebido pesava menos que a quantidade pela qual ele estava pagando.

Assim, ele decidiu pesá-la na sua padaria e descobriu que seus temores não eram infundados. Ele reuniu vários moradores como testemunhas e foi ao tribunal para processar o fazendeiro. Uma vez lá, o juiz perguntou ao fazendeiro se ele usava uma balança para pesar a manteiga antes de vender.

Com uma voz confiante e muita coragem, o acusado respondeu que, por trabalhar com instrumentos rústicos, ele não possuía equipamento para pesar a mercadoria. No entanto, ele tinha um método que usava como escala. As testemunhas, o padeiro e o juiz se inclinaram para ouvir melhor a defesa do fazendeiro:

“Senhor juiz, muito antes de o padeiro começar a me comprar manteiga, eu compro com ele meio quilo de pão todos os dias. Ele os traz para mim de manhã cedo, e o que eu faço é colocar os pães em uma balança e dar a ele a mesma quantidade de manteiga pelo peso que ele me dá de pão

Todos se recostaram e olharam com desprezo para o padeiro. Ele decidiu retirar as acusações e nunca mais se queixou do peso da manteiga. Este é sem dúvida um dos melhores contos para refletir, cujos ensinamentos você pode aplicar no seu dia a dia.

2. O ancião da aldeia

Era uma vez um ancião que morava em uma aldeia. Todos os moradores o evitavam, pois ele tinha a fama de estar sempre de mau humor. As crianças tinham medo de passar na frente da casa dele, e até mesmo os adultos tinham receio de lhe desejar bom dia.

Os habitantes mais antigos da aldeia garantiam que ele sempre teve essa atitude. Sua amargura, ódio e ressentimento eram maiores que o seu caráter, já que a casa, gramado e até os vizinhos dele também pareciam assimilar um tom sombrio.

Até que, em um belo dia no qual o ancião celebrava noventa anos de vida, começou a se espalhar um boato de que ele estava feliz. De repente a casa dele já não parecia escura, os vizinhos haviam recuperado a jovialidade e o gramado do ancião era o mais verde de toda a aldeia.

Todos cercaram a casa dele para descobrir o que havia acontecido, e foram recebidos com um grande sorriso e muita e emoção pelo ancião. Um dos moradores se atreveu, gaguejando, a perguntar por que ele estava tão feliz. A resposta do ancião foi a seguinte: “Nenhum motivo em especial. Vivi noventa anos procurando a felicidade e foi inútil. Hoje decidi deixar de procurá-la, e acordei mais feliz do que estive em toda a minha vida.”

3. O sábio da montanha

Em uma montanha vivia um sábio que respondia a todas as perguntas, dúvidas e inseguranças que as pessoas tinham. Milhares de pessoas o procuravam diariamente para consultar sobre os próprios problemas. Um dia, percebendo a dependência que estava sendo criada em relação aos seus conselhos, ele decidiu reunir a todos ao redor da sua gruta.

Lá, com milhares de pessoas ao redor, ele contou uma anedota engraçada que fez todos os presentes gargalharem. Quando terminou, ele esperou um minuto em silêncio e começou a contar a anedota novamente. Desta vez, apenas poucas pessoas riram, e muitas outras assumiram uma expressão confusa.

O sábio fez o mesmo pela terceira vez, só que desta vez ninguém riu da história. Um de seus principais admiradores se aproximou e perguntou a ele qual era o sentido da dinâmica. E o sábio respondeu: “Vocês não podem rir da mesma piada mais de uma vez, mas podem reclamar e chorar indefinidamente pelos mesmos problemas. Não é um paradoxo?”.

Todos os que estavam ao redor baixaram a cabeça avergonhados, e lentamente se retiraram da montanha. Desde então, ele apenas recebia algumas consultas por dia, sempre relacionadas a questões estritamente importantes.

Descubra mais: Ler e escrever um diário para um envelhecimento cognitivo saudável

4. O peso do copo

Em uma aula sobre gerenciamento de estresse, o professor não conseguia encontrar uma maneira de fazer com que os alunos assimilassem os ensinamentos. Então ele decidiu, pouco antes de terminar a aula, pegar um copo d’água, erguê-lo na frente de todos e perguntar seriamente: “Quanto pesa esse copo?”.

Pouco a pouco todos começaram a dar palpites sobre o peso, até que todos os alunos presentes já haviam tentado acertar a resposta. Neste momento o professor respondeu: “Na minha opinião, o peso desse copo é irrelevante. Tudo depende de quanto tempo você o segura”. A sala ficou em silêncio e o professor continuou:

“Se eu o segurar por um minuto vai parecer um copo muito leve. Se eu o fizer por horas meu braço vai pensar que pesa vários quilos. Finalmente, se eu segurar o copo por um dia inteiro o meu braço ficará dormente e eu sentirei que ele pesa várias toneladas. ”

Diante do olhar confuso dos alunos, o professor explicou: “O peso do copo não muda, claro, mas quanto mais tempo eu decidir segurá-lo, maior será a sensação de peso. O mesmo acontece com as preocupações da vida: pense nelas por um minuto e elas parecerão simples. Faça isso por algumas horas e você começará a se preocupar. Carregue-as com você o dia todo e elas te deixarão paralisado. ”

Os alunos assentiram e o professor colocou o copo na mesa. Com essa dinâmica ele foi capaz de ensinar a eles mais do que tudo o que havia exposto durante a aula. Você há de concordar que este é um dos melhores contos para refletir.

5. O balde rachado

Um fazendeiro ancião de uma aldeia na China precisou fazer uma longa caminhada para levar água do riacho para a sua fazenda. Para isso, ele usava um tronco no pescoço com dois grandes baldes nas extremidades. No entanto, um deles tinha uma rachadura pela qual vazava um pouco de água.

Todos os dias o ancião fazia várias viagens de meia hora para buscar água. O balde com a rachadura, apesar de ser sempre totalmente enchido no rio, chegava apenas com metade da água. Obviamente o balde intacto chegava à fazenda sem perder uma única gota.

Se passaram dois anos com as coisas acontecendo desta forma na vida do fazendeiro, com ele indo e vindo várias vezes ao dia com seus baldes. Um dia, ao se inclinar para pegar água no riacho, ele percebeu que o balde quebrado estava triste. Com uma preocupação genuína, ele perguntou o motivo, ao que o balde respondeu:

“Tenho muita vergonha de você. Há dois anos a minha rachadura me impede de cumprir a minha função. Eu te faço trabalhar a mais, por isso já não sou útil. Você deveria me substituir por um balde que não vaze água”. O fazendeiro ficou em silêncio, recolheu a água e começou seu caminho de volta.

No meio da jornada, o ancião respondeu: “Você percebe todas essas árvores frutíferas e flores que crescem do seu lado? Bem, elas estão aí graças a você. Eu plantei sementes quando notei a sua rachadura, e por dois anos foi você foi o responsável por fazê-las crescer.” A partir desse dia o balde recuperou a confiança e desempenhou o seu trabalho com alegria.

6. O segredo do sucesso

A leitura de contos deve ser apreciada ao máximo.
Uma caneca de café ou chocolate quente é a melhor companhia para desfrutar qualquer tipo de história.

Certa vez um discípulo perguntou a seu mestre qual o segredo do sucesso. O mestre, após refletir em silêncio, pediu-que ele o esperasse de madrugada na margem do rio para lhe dar a resposta.

No dia seguinte, pouco antes do amanhecer, o discípulo encontrou seu mestre em frente à margem do rio. Sem dizer uma palavra e apenas com um pequeno gesto para que ele o seguisse, o mestre começou a entrar pouco a pouco no rio.

A água começou a subir dos tornozelos ao joelho, do joelho aos quadris e finalmente até o peito. Quando estava prestes a cobrir seu rosto, o mestre o segurou e o mergulhou com força na água. O discípulo começou a lutar ferozmente para voltar à superfície, mas a força do mestre era tanta que fazer isso era impossível.

Finalmente, após alguns segundos o mestre o deixou subir para respirar. Ele levou o discípulo até a margem e perguntou: “O que você mais desejava quando estava submerso?” “Respirar!” Respondeu o jovem. Ao que ele retorquiu: “Aí está o segredo do sucesso. Desejar tanto quanto você desejou respirar hoje. Quando você o fizer, obterá sucesso.”

7. O inverno mais frio

Concluímos nossa seleção de contos para refletir com esta reflexão extraída da Parábola do Ouriço de Schopenhauer. Ela acontece em um dos invernos mais frios que já assolou o planeta. Milhares de animais morreram e não havia mais cavernas disponíveis para se proteger da temperatura e da nevasca.

Vários ouriços, vendo que morreriam se não fizessem algo, decidiram ficar em grupo para se aquecer. Parecia uma ótima ideia, até que as pontas de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos. Incapazes de suportar a dor, vários ouriços se separaram e logo morreram de frio.

O grupo de ouriços então teve que tomar uma difícil decisão: ficar junto uns dos outros apesar dos ferimentos para se aquecer, ou se distanciar e morrer de frio. Os que aprenderam a conviver com a dor sobreviveram ao inverno, enquanto aqueles que não puderam resistir morreram sozinhos na neve.

O que você achou desses contos para refletir? Todos eles têm mais de uma interpretação, de forma que você pode aprender mais de uma lição se refletir cuidadosamente. Não deixe de compartilhá-los e memorizar os que mais te agradaram.

Pode interessar a você...
6 dicas para ensinar as crianças a ler em casa
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 dicas para ensinar as crianças a ler em casa

Entre as dicas para ensinar as crianças a ler em casa está a promoção de experiências com a linguagem que surjam de forma afetiva.