7 coisas que é melhor evitar quando sofre de ansiedade

· 24 de julho de 2018
Ninguém tem uma bola de cristal para saber o que pode, ou não pode, acontecer amanhã. Então, concentre sua atenção no presente e controle o negativismo para evitar a ansiedade.

Muitos de nós estão acostumados a ouvir recomendações de inúmeras coisas para lidar com a ansiedade.

Frases como “não leve as coisas para o lado negativo” ou “faça mudanças em sua vida”, são expressões que enchem nossas cabeças, mas, no entanto, não servem de muito.

A razão pela qual deixamos de ser receptivos a toda essa série de dicas é porque nossa mente funciona em outro nível, seu foco é limitado e sob o controle absoluto de preocupações excessivas, negatividade e falta de autocontrole.

Neste estado, é muito complicado que possamos diminuir a velocidade.

Além disso, às vezes, mesmo em férias, nos sentimos exaustos e tão desconectados que é mesmo comum vivenciar algum ataque de ansiedade.

Por outro lado, é necessário saber que muitas das estratégias que usamos para tratar a ansiedade são limitadas apenas ao tratamento dos sintomas, mas não à raiz do problema.

Praticar a meditação, dar um passeio, ou até mesmo tomar o nosso ansiolítico, nos ajudará a apaziguar a sintomatologia, mas o que desencadeia nossa ansiedade ainda está dentro de nós.

Portanto, também é necessário saber o que não é aconselhável fazer quando sofremos de ansiedade.

Desta forma, conheceremos muito melhor esse “demônio” interno para depois controlá-lo, enfraquecê-lo e assumir o controle de nossas vidas.

1. Não altere tanto as coisas, detenha o pensamento “ruminante”

Mulher preocupada porque não sabe como combater a ansiedade

Pare, quebre o ciclo desses pensamentos persistentes que acabam com seu equilíbrio e calma ao longo do dia.

  • Devemos estar cientes de quando um pensamento, uma imagem, uma frase ou uma memória começam a ser persistentes em nossa cabeça.
  • Quando percebemos isso, o ideal é desviar a atenção para outro foco mais relaxado ou positivo.

Praticar esportes, pintar quadros, ou conversar com alguém, pode nos ajudar.

Leia também: Pensamentos ruminantes geradores de ansiedade

2. Não evite, não fuja

Seu trabalho pode causar tanta ansiedade que você decidiu pedir uma licença. Talvez os problemas com o seu parceiro sejam tantos que você prefere passar mais tempo longe de casa, até tarde…

  • Todos esses comportamentos são formas diretas de fugir daquilo que nos perturba e nos preocupa.
  • Nunca deixe para amanhã o aborrecimento que você sente hoje. Se você fizer isso, você vai acumular mais e mais preocupações, ansiedades e frustrações em sua mente, e estará formando uma bola que não deixará espaço para qualquer outra coisa.

3. Não antecipe coisas que ainda não aconteceram

Ocupar o tempo ajuda quem sofre de ansiedade

Se eu fizer isso, acontecerá. Se eu disser isso, acontecerá. Se eu mudar isso, certamente o que não quero acontecerá…

Se esses tipos de pensamentos soarem em sua mente, saiba que é uma característica daquela ansiedade mais prejudicial e limitante que o ser humano pode sofrer. É quando o pensamento catastrófico nos impede de viver de forma plena e receptiva.

4. Não se “monitore” tanto, deixe-se ir …

O que aqueles que sofreram de um ataque de ansiedade mais temem, acima de tudo, é que isso aconteça de novo. Às vezes, eles desenvolvem tanta angústia que é esse medo que leva a novas aparições, novos ataques.

  • Devemos evitar controlar-nos demais, estar conscientes de nossas palpitações, da nossa frequência cardíaca, de pensar que, se eu entrar lá, ficarei nervoso, que se eu fizer isso, eu vou perder o controle …
  • Temos de ser capazes de dar uma volta e nos permitir ser mais abertos e confiantes, enfrentando o que nos assusta, porque é precisamente por trás das fronteiras que encontramos a calma e o equilíbrio.

5. Não queira viver sem ansiedade: esse não é o ponto

Pessoa que precisa de ajuda para combater sua ansiedade

Esse é um erro muito comum: pensar que a ansiedade, por si só, é um inimigo a evitar a todo custo.

  • O segredo está em conviver com a ansiedade, mas evitando que seja ela quem nos controla.
  • Devemos entender que a ansiedade é parte do ser humano, é ela que nos ajuda a evitar riscos, que nos ajuda a sobreviver, e até nos dá energia e motivação para alcançar o que queremos.
  • No entanto, no momento em que se transforma em uma emoção paralisante, que tira o ar, que tira o controle e a felicidade, é necessário fazer algo.

Devemos encontrar a raiz do problema. É necessário sentar-se com você mesmo para conversar e transformar a ansiedade negativa em positiva.

6. Há pessoas que é melhor evitar quando sofre ansiedade

Pode parecer curioso, mas às vezes o foco de nossa ansiedade pode começar por uma pessoa específica que tira a felicidade todos os dias.

  • Talvez seja esse relacionamento, esse amor complicado e prejudicial que nos transforma em alguém que não somos.
  • Também pode ser um contexto inteiro, como um ambiente de trabalho no qual não conseguimos nos adaptar.
  • Ainda mais, pode ser o núcleo familiar, do qual nos sentimos deslocados ou violados.

A melhor coisa nesses casos é identificar os focos da nossa ansiedade e estabelecer possíveis soluções ou mecanismos de ação para resolver esse problema.

7. Não deixe de viver, a ansiedade está roubando tempo de qualidade

Olhar o pôr do sol ajuda quem sofre de ansiedade

Mesmo que não nos demos conta isso, acontece. A ansiedade está nos privando da vida, do desejo, da ilusão, e até da identidade.

  • Está nos tornando alguém novo, alguém que não gostamos e que não se parece com quem éramos antes.
  • Não deixe que isso aconteça, não permita que essa ladra de identidades e felicidades o deixem sem nada. Assuma o controle, pegue as rédeas e navegue no seu mundo interior para encontrar o problema e os possíveis resultados.

Leia também 5 estratégias pessoais para canalizar e aliviar a ansiedade em 15 dias

Lembre-se também que, ao gerenciar a ansiedade, é necessário usar uma abordagem multidimensional.

As drogas são úteis, mas também devemos incluir algumas técnicas cognitivo-comportamentais, técnicas de relaxamento e um bom suporte dos que lhe são próximos.