6 sinais de que os músculos não estão bem

26 de maio de 2017
Muitas vezes, quando estamos a ponto de ficar doentes, notamos como determinados músculos doem. Isto se deve a uma diminuição na atividade de nosso sistema imunológico.

Em todos os movimentos voluntários e involuntários que temos todos os dias, os músculos sofrem contrações.

O complexo muscular é composto por mais de 650 músculos que, junto com o sistema ósseo, dão suporte ao corpo.

Sua atividade tem um estreito vínculo com as funções metabólicas e, de fato, ainda que não estejam fazendo esforço, queimam calorias.

Mais além disso, são imprescindíveis para cada uma das atividades que implicam no deslocamento e força do corpo. Por isso é conveniente mantê-los em bom estado.

Inclusive, quando algo não está funcionando bem, enviam alguns sinais de alerta que permitem evitar problemas mais complexos.

Apesar de muitos não darem importância, as doenças e sintomas que nos acometem costumam dizer algo sobre a saúde.

Descubra!

1. Você está com um desequilíbrio de eletrólitos

Pessoa com músculos fatigados

Os desequilíbrios nos níveis de eletrólitos costumam ser comuns entre os atletas e pessoas que fazem trabalhos de alta exigência física.

O excesso de transpiração que se gera durante estas atividades traz consigo a expulsão de sais minerais. Assim, mais tarde, pode gerar este tipo de desequilíbrio.

  • Sempre é necessário sobrepor os minerais através de alimentos saudáveis e bebidas enriquecidas.
  • Ignorar esta situação costuma aumentar o risco de lesões musculares. Na maior parte das vezes, é a causa da dor e das cãibras.

Veja também: Como aliviar cãibras musculares?

2. Você sofreu uma distensão

Se surge repentinamente uma sensação de dor ao executar alguns movimentos específicos, isso pode indicar que ocorreu uma distensão.

  • Diferente das dores típicas depois do treino, estas se manifestam quase que de imediato e só ao fazer algumas atividades.
  • Sua intensidade pode variar em função do nível de gravidade. Entretanto, em geral, aumenta quando se realiza algum esforço significativo.

3. Suas defesas diminuíram

Células dos músculos

As dores e o enfraquecimento muscular são os primeiros a alertar da diminuição da atividade dos mecanismos de defesa do corpo.

  • Os músculos costumam se sentir cansados quando o sistema imunológico não reage diante de alguns agentes que causam doenças.
  • Sentir o corpo dolorido sem uma razão aparente e sofrer de fatiga muscular pode indicar que está próximo a um infarte.

Isto se deve ao fato de que o organismo começa a usar os processos inflamatórios para atacar os vírus. Por isso, os músculos ficam afetados.

4. Está desidratado

Apesar de que em centenas de oportunidades nos ressaltaram a importância de consumir água, muitos ainda continuam bebendo-a em quantidades mínimas.

  • Este líquido vital participa nos processos mais vitais para o corpo e, entre isso, a saúde muscular é uma das mais comprometidas.
  • A água é necessária para uma ótima oxigenação das células do tecido muscular e, quando não se consome, aumenta a recorrência das cãibras musculares.

Ainda que este sintoma possa se derivar de muitos outros problemas, um grande número de casos se geram por desidratação.

5. Precisa fazer um descanso

Mulher descansando os músculos

Depois de cumprir com uma rotina de treinamento de alta intensidade, os músculos sofrem micro distensões que se manifestam através da dor.

O processo de recuperação desta situação é o que permite aumentar a massa muscular em conjunto com a alimentação.

Porém, para que isso ocorra de forma adequada, o corpo precisa de um pouco de tempo para descansar.

Além disso, continuar treinando, apesar da dor, pode gerar lesões que, mais adiante, afetam a força muscular e a habilidade de movimento.

Veja também: Qual o colchão recomendado para um bom descanso

6. Está com anemia

A sensação de formigamento, as cãibras noturnas e a fraqueza muscular muitas vezes são produto de um quadro de anemia.

Esta doença, caracterizada pela diminuição na produção de glóbulos vermelhos, reduz a capacidade do corpo para oxigenar os tecidos. Por isso, afeta a saúde dos músculos.

  • Sua aparição está relacionada com a deficiência de ferro, ainda que também possa se originar pela redução de outros nutrientes importantes.
  • O consumo de alimentos ricos neste mineral, além das fontes de aminoácidos essenciais, é benéfico para acelerar sua recuperação.

De fato, estes nutrientes aumentam o nível de energia de todo o corpo, participando na recuperação da força muscular.

Agora que conhece as situações alertadas pelos músculos, procure analisar mais a fundo cada vez que se queixar de alguma doença.

Por fim, apesar de não ser grave e costumar ser de caráter esporádico, sempre é conveniente consultar um médico para saber se precisam de algum tratamento.

  • Brasileiro, J. S., Faria, A. F., & Queiroz, L. L. (2007). Influência do resfriamento e do aquecimento local na flexibilidade dos músculos isquiotibiais. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(1).
  • Carregaro, R. L., Silva, L. C. C. B., & Gil Coury, H. J. C. (2007). Comparação entre dois testes clínicos para avaliar a flexibilidade dos músculos posteriores da coxa. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(2).