6 conselhos para fazer sexo na água

· 19 de janeiro de 2018
Ensaiar na sua mente, tendo pensamentos eróticos, faz parte da sensibilidade sexual. É uma linha tênue que separa a realidade e a simulação, e que tem como objetivo alcançar a plenitude do prazer.

São poucos os que se atrevem a fazer sexo na água. Seja por medo, preconceito ou simplesmente porque desconhecem o assunto.

Como ter relações sexuais na água? Sem dúvida é uma das fantasias que invadem a mente de homens e mulheres.

O simples fato de imaginar o cenário, a iluminação do sol e mergulhar na água são elementos que convidam à sedução.

No entanto, antes de nos deixar levar pelo toque romântico, é importante seguir algumas orientações para evitar riscos.

Recomendações para fazer sexo na água

1. Cuidado com os lugares públicos

É claro que as piscinas têm cloro, mas isso não significa que estejam livres de germes e micro-organismos.

O problema não são as substâncias usadas para limpar a água. O que causa dano são as bactérias trazidas pelas pessoas.

Ou seja, compostos que existem nos produtos para o cabelo, protetores solares, maquiagem e, é claro, os que se encontram na urina.

O aconselhável é colocar em prática o sentido do olfato e, ao detectar mau cheiro, desistir da ideia. Apesar da probabilidade de contrair uma infecção por partículas que se encontram na água ser baixa, o melhor é evitar lugares em que passam ou passaram muitas pessoas.

2. A água não é um lubrificante

Casal se beijando na piscina

Associamos a água automaticamente com umidade. No entanto, na realidade ela não favorece a lubrificação vaginal.

E por quê? No momento de mergulhar, a água entra até o fundo da vagina, ou seja, termina “lavando” as secreções e, por conseguinte, ressecando o canal vaginal.

Portanto, a área se irrita facilmente com o cloro ou água salgada. O cloro, sobretudo, é uma substância cáustica que altera o pH, assim, é possível que possa ocorrer uma infecção por fungos ou bactérias.

Daí a importância de utilizar um lubrificante.

3. Você pode usar preservativo?

Na realidade, não há muitos estudos que falem sobre o uso do preservativo sob a água. No entanto, desde que os níveis de sal marinho não sejam muito elevados, é possível utilizá-lo.

Ou seja, o sal não tem efeitos adversos sobre os materiais que compõem o preservativo, mas o cloro pode danificá-lo. Além disso, é possível que a água tenha resíduos de óleo ou de outras substâncias.

Por outro lado, a ausência de lubrificante provoca secura e fricção, que aumentam as chances dele se romper. Recomenda-se usar um lubrificante à base de silicone.

Cabe ressaltar que o preservativo deve ser colocado antes de entrar na água e quando o membro está em plena ereção. Caso contrário, pode se romper.

Da mesma forma, é preciso retirá-lo antes do fim da ereção, para que não fique dentro da vagina.

4. Há risco de engravidar?

Casal se beijando numa jacuzzi

A possibilidade de engravidar ao ter relações sexuais sem proteção sob a água é a mesma que ao fazê-lo em uma cama.

É falsa a ideia de que, ao entrar um pouco de água na vagina, ela “diluirá” o sêmen.

No entanto, a ideia de que você pode engravidar apenas ao entrar na piscina onde alguém ejaculou é um mito.

É necessário o contato físico e uma ejaculação dentro do canal vaginal para que ocorra a gravidez. Isso significa que é praticamente impossível, pois a penetração é necessária para inserir o sêmen.

Isso sem levar em conta que os espermatozoides só sobrevivem no interior do corpo humano. Não há maneira de sobreviverem ao ar livre, seja em temperaturas altas ou baixas.

5. E quanto a doenças sexualmente transmissíveis?

Esta é outra das razões pelas quais é importante o uso do preservativo, embora seja mais difícil.

A possibilidade de contrair uma DST é a mesma ao fazer sexo na água ou em terra. Apesar de certos desinfetantes eliminarem as bactérias, não diminuirão o risco de contaminação.

6. Há risco de fraturas?

Casal abraçado na água do mar

Talvez pareça exagero, mas ao colocar em prática diferentes posições sexuais sob a água, é melhor ter cuidado.

A densidade da água faz pode fazer você perder equilíbrio facilmente. Assim, controle a paixão ou, do contrário, terminará com machucados e, em casos graves, fraturas.

Você já experimentou fazer sexo na água? Está pronto para tentar?