5 causas da coceira vaginal

· 28 de outubro de 2016
Ainda que não seja um indicativo de nenhuma doença grave, sempre é conveniente consultar um especialista se sentimos coceira vaginal para descobrir o motivo e iniciar o tratamento.

A coceira vaginal é um dos problemas mais comuns na população feminina, já que há muitos fatores que podem causar o seu surgimento.

Trata-se de um problema muito incômodo, que pode estar associado a alguma infecção ou doença ginecológica.

Ainda que seja um sintoma que desaparece com o passar dos dias, muitas mulheres tendem a ficar inseguras e preocupadas, sobretudo quando a coceira vaginal vem acompanhada de irritação e sensibilidade.

Assim, ainda que seja comum, todas as mulheres devem ficar atentas a esse sintoma, já que, por se originar na região íntima, seu tratamento deve ser imediato e adequado.

No entanto, antes de ficar alarmada achando que se trata de um problema mais grave, é essencial consultar o ginecologista para determinar qual sua verdadeira causa.

Como sabemos que muitas desconhecem com que doenças esse sintoma está relacionado, a seguir compartilharemos as 5 mais comuns.

Descubra-as!

1. Coceira vaginal por infecções causadas por fungos

bacterias_fungos_cientista_laboratorio_ciencia

As micoses (infecções causadas por fungos) são uma doença íntima que se desenvolve quando o pH ou a flora vaginal são alterados.

O pH, em geral, mantém-se ácido, e se encontra, em média, abaixo dos 4,7. No entanto, quando o grau de acidez se desequilibra, os lactobacilos diminuem e permitem que os micro-organismos se proliferem.

Essa alteração pode ocorrer pelo uso de certos produtos de higiene, pelas roupas muitos justas e, também, por algumas deficiências nutricionais.

Os fungos se proliferam com muita facilidade em ambientes úmidos, como o oferecido pela vulva e, portanto, originam maus odores e coceira.

Para manter os níveis de pH estáveis, aconselha-se ingerir iogurte natural e outras fontes de probióticos.

2. Irritação da vulva

A vulvite, ou irritação da vulva, é um problema que aparece quando a mulher limpa a região vaginal em excesso, ou utiliza sabonetes fabricados com substâncias químicas agressivas.

A pele desta área é muito sensível e pode sofrer alterações em seu pH diante de qualquer componente irritante dos produtos de higiene cotidianos.

É muito comum entre as mulheres que vão frequentemente à academia e não mudam rapidamente sua roupa suada.

Para diminuir a coceira e aliviar a irritação, aconselha-se um banho com água morna e um sabonete de pH ácido.

Também é conveniente lavar as áreas externas da vagina com uma solução de água morna e vinagre de maçã.

3. Métodos de depilação agressivos

depilacao_virilha_lamina

Ainda que existam muitos métodos de depilação para todas as áreas do corpo, no caso da zona “V” é importante saber escolher o mais adequado.

Técnicas depilatórias como as lâminas e máquinas podem ser um pouco agressivas para a delicada pele que a recobre.

Assim como alguns cremes depilatórios, elas causam irritação, pelos encravados e a sensação prolongada de coceira e ardor.

Uma solução para combater esses incômodos é usar pomadas ou cremes depilatórios específicos para a “área do biquini”.

4. Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)

Ainda que muitas mulheres fiquem aterrorizadas com a ideia de ter uma doença sexualmente transmissível, é importante saber que elas também podem ter como sintoma a coceira.

São muito raros os casos em que esse sintoma tem sua origem em uma DST, mas é bom fazer um exame quando o problema se apresenta constantemente.

A maioria das doenças dessa categoria pode ser assintomática em suas primeiras etapas, e se manifesta como dor ou secreções malcheirosas.

A coceira deve ser um motivo de alerta quando vem acompanhada por pequenas erupções vermelhas, irritação ou secreção vaginal espessa, entre outros sintomas.

5. Doenças de pele

mulher_lenco_branco_frente_vagina

Os problemas de pele, como a psoríase ou o eczema, também podem afetar a região íntima da mulher.

Ainda que na maior parte das vezes comprometam outras regiões do corpo, certos casos levam a uma contínua sensação de coceira na vagina.

Se for o caso, é primordial consultar o ginecologista para receber um tratamento especial para o pH da vagina.

Os corticosteróides tópicos de baixa resistência e a aplicação de um creme hidratante suave podem ajudar nos casos de psoríase na vulva.

Recomendamos ler: Cuidado! As duchas vaginais poderiam duplicar o risco de câncer de ovário

O que fazer diante da coceira vaginal?

Além de utilizar os tratamentos recomendados pelo ginecologista em cada caso, procure melhorar seus hábitos de higiene e usar roupas arejadas e de algodão.

Apesar da região íntima conservar um certo grau de umidade, o melhor é evitar a umidade em excesso para que as bactérias prejudiciais não possam se desenvolver.